Actividades extra-curriculares. Qual é a mais conveniente?

6 maneras de mejorar la autoestima de su hijo con actividades extracurriculares

Actividades extra-curriculares. Qual é a mais conveniente?

Muchos chicos que tienen dificultades de aprendizaje y de atención pueden tener momentos en los que se sienten que “no son buenos para nada”. Sus dificultades pueden deteriorar su autoestima y hacer de la escuela un lugar estresante. Pero las actividades extracurriculares son una manera excelente de enfocarse en sus destrezas y pasiones.

Estas actividades pueden desarrollar la confianza del niño en sí mismo. Pueden ayudarlo a mejorar sus habilidades sociales, desarrollar sus intereses e inspirarlo a intentar nuevas cosas. También son una buena manera para que un niño que tiene problemas en la escuela aprenda en un entorno divertido y sin presión.

Estas son seis maneras de mejorar la autoestima de su hijo al participar en actividades extracurriculares.

1. Enfocarse en las destrezas

Los chicos con dificultades de aprendizaje y de atención pueden tener problemas en la escuela, por lo que es importante destacar sus destrezas.

Por ejemplo, si usted tiene un hijo artístico al que le gusta dibujar o pintar, existen diversas clases de arte a las que él puede asistir.

Si le gusta cantar o tocar un instrumento, puede participar en la banda de la escuela, en una orquesta o en un coro.

2. Promover una asignatura que disfrute

A su hijo puede que le gusten ciertas asignaturas escolares pero se estresa por la cantidad de trabajo que le exigen. Por ejemplo, si a su hijo le gustan las ciencias pero se siente ansioso en clase, puede que disfrute participar en un club de ciencias donde aprender sea más divertido.

Los clubes escolares son una buena manera de que su hijo desarrolle su pasión, sin exámenes ni exigencias escolares. Muchas escuelas tienen clubes en una amplia variedad de intereses, como la fotografía, el teatro y el servicio comunitario. También puede buscar actividades y clases privadas, como por ejemplo de cocina o natación.

3. Fomentar que participe en deportes sin presionarlo

Si a su hijo le gustan los deportes, existen actividades físicas apropiadas para sus aptitudes. Y los deportes son una manera excelente de desahogarse. Si le gusta el baloncesto o el fútbol, puede unirse al equipo de la escuela o a la liga vecinal.

Los deportes en equipo pueden desarrollar habilidades sociales y proporcionar oportunidades para recibir orientación.

Pero los deportes en equipo también pueden causar ansiedad en algunos chicos que tienen dificultades de aprendizaje y de atención. Incluso pueden sentirse rechazados si creen que no son buenos jugadores. Es bueno que ellos sepan que existen otras opciones.

4. Buscar actividades que desarrollen sus habilidades

Algunas actividades pueden desarrollar las habilidades de su hijo para aprender y son tan divertidas que puede que él no se dé cuenta de que está aprendiendo.

Actividades como el yoga y el baile pueden ayudar a desarrollar la coordinación y el control motor.

Las clases de teatro pueden ayudar con la comprensión lectora. Y el ajedrez y los clubes de robótica pueden desarrollar destrezas para solucionar problemas.

5. Buscar talentos ocultos

En ocasiones los chicos pueden ser renuentes a intentar cosas nuevas por temor a fracasar. Los chicos que tienen dificultades de aprendizaje y de atención pueden ser aún más reacios porque ya de por sí tienen problemas.

Por ello es una buena idea animar a su hijo a que intente una nueva actividad que le interese. Pueden acordar que después de probar una actividad él puede decidir si continúa o no.

La recompensa podría ser descubrir un nuevo talento. Por ejemplo, su hijo podría estar enfocado en jugar béisbol pero descubrir que tiene aptitud para la pintura. Ese sería un gran descubrimiento y un gran estímulo para mejorar la confianza en sí mismo.

6. Buscar actividades que mejoren las destrezas sociales

Los chicos con dificultades de aprendizaje y de atención pueden temer a las situaciones sociales. Sus dificultades pueden causar que sus interacciones con otros chicos sean complicadas o raras. Y para los chicos que han sido acosados debido a sus dificultades, puede que sea muy difícil abrirse y hacer nuevos amigos.

Una actividad extracurricular es una buena manera para que los chicos socialicen en un ambiente más relajado. Y además puedan conocer a otros chicos con los mismos intereses. Estar con otros chicos que disfrutan las mismas cosas puede ayudar a que su hijo se sienta aceptado.

Email

Print

Sms

Share

El equipo de Understood está integrado por entusiastas escritores, editores y moderadores de la comunidad en línea. Muchos de ellos tienen hijos que piensan y aprenden de manera diferente.

Jenn Osen-Foss capacita educadores en el uso de instrucción diferenciada, intervenciones y planificación.

Источник: https://www.understood.org/es-mx/friends-feelings/child-social-situations/sports/6-ways-to-improve-your-childs-self-esteem-with-extracurricular-activities

Actividades extra-curriculares. Qual é a mais conveniente?

Actividades extra-curriculares. Qual é a mais conveniente?

Quando as crianças estão em idade escolar, Setembro significa voltar à rotina e às tarefas diárias.

O tempo converte-se numa questão crucial e planificar o seu dia escolar e pós-escolar para que coincida com o seu horário laboral é um tema que não deve deixar para trás.

As actividades curriculares são indespensáveis e, dessa forma, não as pode deixar fora desta planificação.

Índice

Actualmente as actividades extra-curriculares são uma excelente opção para complementar a educação dos filhos, para além de aproveitarem o tempo livre, evitam que passem tanto tempo à frente da televisão ou a brincarem com jogos de vídeo. Dessa maneira, é uma forma de se relacionar com outras crianças da sua idade.

Existem diversos tipos de actividades extra-curriculares que escolhemos em função das habilidades da criança e dos seus gostos próprios.

Encontramos assim as actividades desportivas, os cursos de idiomas, as actividades artísticas, as de aprendizagem e desenvolvimento e as de apoio ou reforço.

Por isso, na hora de escolher uma ou outra actividade extra-curricular, o melhor é contar previamente com a opinião do seu filho. Afinal a criança é a principal interessada.

Os profissionais de educação também reforçam o facto de a opinião da criança contar, já que se se coloca a criança a frequentar uma actividade por simples obrigação dos pais o mais normal é que a identifique como uma tarefa imposta e negativa.

O que devemos ter em conta?

No momento de decidir por uma actividade o melhor é ter em conta uma série de regras. Segundo a psicóloga Asunción Pozueco “uma destas regras é que seja uma actividade que enriqueça e que divirta a criança. As actividades extra-curriculares devem ser um tempo de diversão, por isso é muito importante que seja algo lúdico e que não sobrecarregue os horários”.

Outro importante factor é que, na actividade, o pequeno se relacione com mais criança para assim fomentar a aprendizagem de valores como o respeito pelos outros, o trabalho em equipa ou a cooperação. Especialmente nesta época de jogos de vídeo, que fazem com que as crianças passem muito tempo sozinhas.

Asunción Pozueco afirma que também é importante ter em conta a opinião dos professores, já que eles conhecem bem as crianças e sabem o que mais lhes convém. E, por último, que as actividades extra-curriculares não sobrecarreguem nem saturem o horário da criança para que não afecte o seu comportamento em casa nem o seu rendimento escolar.

Idade para começar

Não existe uma idade específica na hora de integrar a criança numa actividade extra-curricular. De acordo com Asunción Pozueco podemos afirmar que, geralmente, aos 6 anos é uma boa altura já que é quando a criança começa a primária.

“Eu aconselho igualmente deixar um período prévio de adaptação à rotina e aos horários da escola antes de começar com as actividades extra-curriculares que, insisto, devem supor um momento de lazer e de expansão para a criança; se o nosso filho vê a actividade como uma obrigação, o mais provável é que a enfrente negativamente”.

Xadrez

Características: Desenvolve o raciocínio lógico, aumenta a memória e a capacidade de concentração. Fomenta a toma de decisões e o sentido da responsabilidade.

Idade para começar: 6 ou 7 anos

Ideal para crianças com dificuldades de atenção ou concentração.

Dança e Ballet

Características: Ajuda a melhorar a elasticidade, a coordenação, o equilíbrio e a percepção do espaço. Permite às crianças expressarem-se corporalmente e relaxa-as.

Idade para começar: 6 anos

Ideal para crianças que gostem de se expressar e actuar em público

Desportos Individuais (Ténis, Artes Marciais, etc.)

Características: Ajuda a criança a aumentar o seu espírito de superação. Também desenvolve a sua psicomotricidade, coordenação, força e reflexos.

Idade para começar: 6 anos

Ideal para crianças com peso a mais para que façam exercício de maneira divertida.

Desportos de Grupo (Futebol, etc.)

Características: Ajuda na socialização da criança, fomenta o trabalho em equipa e aumenta o espírito de superação.

Idade para começar: 6 anos

Ideal para crianças com peso a mais para que façam exercício de maneira divertida, enquanto fomentam o companheirismo.

Idiomas (Inglês, Francês, etc.)

Características: Básicos nos nossos dias, os idiomas ampliam as possibilidades de futuro das crianças. Dessa forma, facilitará futuras aprendizagens de outros idiomas e actividades graças à maior capacidade de relação neural que se desenvolve ao aprender outra língua.

Idade para começar: paralelamente a outra língua entre os 0 e os 3. De forma sistemática, desde os 5 anos.

Ideal para qualquer criança.

Informática

Características: Permite a familiarização com ferramentas como a Internet e o computador.

Idade para começar: 4 anos

Ideal para qualquer criança.

Música e Movimento

Características: Desenvolve as capacidades musicais de maneira lúdica, fazendo coisas com o corpo aprendem a conhecer o som, a explorá-lo e a manipulá-lo.

Idade para começar: Desde os 18 meses

Ideal para crianças sensíveis à música, que gostem de cantar ou tocar algum instrumento.

Pintura e Desenho

Características: Desenvolve a criatividade, a expressão artística e a sensibilidade das crianças.

Idade para começar: 6 anos

Ideal para: Muito indicado para crianças tranquilas e que demonstrem a sensibilidade artística.

Teatro

Características: Desenvolve as capacidades criativas, comunicativas e expressivas. Dessa forma, contribuir para a socialização e desinibição da pessoa.

Idade para começar: 6 anos

Perfeito para crianças tímidas para superarem essa mesma timidez.

TodoPapás es una web de divulgación e información. Como tal, todos los artículos son redactados y revisados concienzudamente pero es posible que puedan contener algún error o que no recojan todos los enfoques sobre una materia. Por ello, la web no sustituye una opinión o prescripción médica.

Ante cualquier duda sobre tu salud o la de tu familia es recomendable acudir a una consulta médica para que pueda evaluar la situación en particular y, eventualmente, prescribir el tratamiento que sea preciso.

Señalar a todos los efectos legales que la información recogida en la web podría ser incompleta, errónea o incorrecta, y en ningún caso supone ninguna relación contractual ni de ninguna índole.

Источник: https://www.todopapas.com.pt/criancas/educacao/actividades-extra-curriculares-qual-e-a-mais-conveniente-1775

Atividades extracurriculares: o que pesa na hora da decisão!

Actividades extra-curriculares. Qual é a mais conveniente?

As atividades extracurriculares foram já abordadas num artigo de reflexão sobre o seu papel e peso na vida das crianças.

Constatamos que estas têm vindo a assumir um papel crucial, não só na gestão quotidiana das famílias, como também no desenvolvimento cultural, artístico, expressivo e psico-motor das crianças, contribuindo para um reforço da sua autoestima e melhoria do seu relacionamento social.

Então, se tais atividades são um complemento indispensável à educação das crianças e contribuem fortemente para a harmonia familiar, faz todo o sentido que os pais sejam, por um lado, os responsáveis pela apresentação das mesmas aos seus filhos, e, por outro, orientem os seus filhos para a escolha mais acertada. Só que na hora da seleção os pais vêem-se confrontados com duas questões:

  1. Quais são as atividades extracurriculares disponíveis? Onde as posso encontrar?!
  2. Qual será a mais adequada para o meu filho?

Tipos de atividades extracurriculares

Existe uma panóplia de atividades extracurriculares.

Desde teatro, dança e ballet, desportos individuais (como ténis, artes marciais, yôga, patinagem, equitação, natação, atletismo), desportos coletivos (como futebol, vólei, basquete, andebol, ginástica artística), desportos de aventura (escalada, surf, btt), ciclismo, canoagem, xadrez, línguas (como inglês, espanhol, francês, alemão), informática, música, pintura, escultura ou desenho, e escutismo. A oferta é realmente vasta e todas envolvem compromisso e dedicação!

Fatores a ter em conta no momento de escolha

É conveniente que, no momento da seleção, os pais ponderem sobre fatores como o tempo e despesas com deslocação.

Felizmente, para comodidade de muitos pais e seus filhos, a maioria das escolas tem vindo a investir na oferta de atividades extracurriculares a disponibilizar às crianças.

Porém, isto não torna a tarefa da escolha mais fácil para os pais!

Cada atividade extracurricular é única no tipo de aprendizagens que promove e nos benefícios que proporciona ao desenvolvimento das crianças. Por outro lado, as crianças já passam demasiadas horas em atividades letivas, pelo que a sua participação nas atividades extracurriculares não deve ser sentida como obrigatória.

Os pais devem ter em consideração que as atividades extracurriculares não podem sobrecarregar o horário dos filhos. Eles necessitam de tempo para si próprios, para as brincadeiras típicas da sua idade e para se dedicarem ao estudo.

Como tal, os pais devem envolver os filhos no processo de escolha. Salvaguardando aqui, como é óbvio, que o nível de envolvimento é diretamente proporcional à idade da criança. Quanto mais velha, mais a sua opinião deve ser tida em conta.

Atividades extracurriculares: uma escolha participada e informada.

Para que haja uma educação integral das crianças, os pais devem deixá-las participar ativamente no processo de escolha das atividades.

Assim, os pais devem começar por ter uma conversa franca e direta com os seus filhos. Nesta, devem falar, de forma informada, sobre as atividades extracurriculares que consideram mais adequadas ao seu perfil. Para além disso, também, devem deixar em aberto a apresentação de possibilidades de atividades por parte dos filhos.

A verdade é que nem todas as crianças possuem os mesmos gostos, vontades e habilidades e, muitas das vezes, estas são díspares das dos pais. Manipular os gostos dos filhos é um erro comum a muitos pais na altura da escolha das atividades extracurriculares. E, claro, o resultado depois não é o esperado!

O nível de ansiedade das crianças aumenta, gerando conflitos familiares que facilmente se evitariam se os pais estivessem bem cientes de que a decisão final da atividade extracurricular pertence aos seus filhos.

Por isso, os pais não devem forçar as crianças a escolher atividades extracurriculares em que eles gostariam de ter participado quando tinham a idade dos seus filhos.

Antes sim, devem ajudar os filhos a optarem por atividades curriculares que lhes permitam superar problemas ou dificuldades.

Por exemplo, se uma criança tem problemas de relacionamento interpessoal, então os pais devem estimulá-la a praticar em atividades em grupo, como os desportos coletivos. Se a criança for mais introvertida, atividades como o ballet, o teatro e os grupos corais poderão contribuir para um reforço da sua autoestima.

Esteja preparado: querer mudar de atividade é normal

Outro aspeto a ter em consideração é que a volatilidade dos interesses das crianças é uma constante.

Os pais devem estar preparados para que a escolha inicial de uma dada atividade extracurricular não seja a escolha definitiva! E devem ter capacidade de encaixe.

O essencial é que a criança enquanto participa em determinada atividade, o faça de forma motivada, aprenda a superar-se e desenvolva e amplie as suas competências.

Contudo, deixamos a ressalva, compreensão não é sinal de benevolência. Responsabilize o seu filho pela escolha. Alerte sobre a importância de manter um compromisso até ao fim, ainda que todos possamos errar uma vez.

No final, o que pesa mais, é a felicidade das crianças!

O mais importante é que, aquando da escolha das atividades extracurriculares, os pais valorizem a personalidade dos seus filhos e as suas motivações, tenham em conta as suas capacidades e aptidões individuais bem como as suas dificuldades, orientando-os na opção mais adequada.

Esta é no fundo a premissa deste texto, pese embora os pais tenham que, caso a caso, acrescentar outros fatores na equação. No meio de tantas preocupações, é importante não esquecer o essencial: o que deve sempre pesar na seleção das atividades extracurriculares é a felicidade das crianças!

Источник: https://noticias.externatochampagnat.pt/wordpress/2017/05/atividades-extracurriculares-hora-da-decisao/

Embarazo y niños
Deja una respuesta

;-) :| :x :twisted: :smile: :shock: :sad: :roll: :razz: :oops: :o :mrgreen: :lol: :idea: :grin: :evil: :cry: :cool: :arrow: :???: :?: :!: