Atraso menstrual e fluxo branco

Contents
  1. Corrimento branco vaginal sinaliza chance de engravidar
  2. Tipos e significados do corrimento branco
  3. 1 – Corrimento branco do período não-fértil
  4. 2 – Corrimento branco que sinaliza período fértil
  5. Algumas mulheres não apresentam muco
  6. Candidíase
  7. Gonorreia ou Clamídia
  8. Tricomoníase
  9. Vaginose bacteriana
  10. Outras causas
  11. Como identificar o corrimento pela cor e aspecto
  12. Marrom
  13. Amarelado
  14. Branco
  15. Cor de rosa
  16. Como prevenir o surgimento de corrimento vaginal?
  17. Higiene íntima para saúde genital
  18. Sintomas de gravidez: os primeiros sinais
  19. 1. Amenorreia
  20. 2. Corrimento branco
  21. 3. Corrimento vaginal cor-de-rosa
  22. 4. Cólica, inchaço abdominal e gases
  23. 5. Espinhas e pele oleosa
  24. 6. Mamas sensíveis e inchadas
  25. 7. Mudança na aparência dos seios
  26. 8. Desejo sexual
  27. 9. Aumento da frequência urinária
  28. 10. Enjoos, vômitos e maior salivação
  29. 11. Cansaço fácil e sono
  30. 12. Tontura
  31. 13. Dor de cabeça e dor nas costas
  32. 14. Aversão a cheiros fortes
  33. 15. Desejos alimentares
  34. 16. Aumento da temperatura basal (valor próximo aos 37°C)
  35. 17. Variações de humor
  36. Veja também:
  37. Flujo blanco antes de la menstruación: principales causas y qué hacer
  38. 1. Ciclo menstrual
  39. 2. Vaginosis bacteriana
  40. 3. Candidiasis
  41. 4. Vaginitis
  42. 5. Embarazo
  43. Atraso menstrual: estou grávida?
  44. É normal ter a menstruação atrasada por alguns dias?
  45. O atraso menstrual é sinônimo de gravidez?
  46. Atividade física intensa
  47. Uso de anticoncepcionais
  48. Problemas na tireoide
  49. Má alimentação
  50. Gravidez
  51. Quais são os sintomas de gravidez que aparecem logo de cara?
  52. Eu acho que estou grávida. E agora?
  53. Corrimento branco pastoso: é normal?
  54. Corrimento branco pastoso antes da menstruação
  55. Corrimento branco pastoso depois da ovulação

Corrimento branco vaginal sinaliza chance de engravidar

Atraso menstrual e fluxo branco

Sabe aquele corrimento branco que o corpo da mulher libera? Ele é natural e ocorre em momentos específicos do seu ciclo menstrual.

O corrimento branco aparece mais especificamente no período fértil, na fase pré-menstruação e durante a menstruação – e é chamado de muco. Os sinais enviados pelo corrimento branco são tão certeiros que alguns países utilizam o muco como método contraceptivo natural.

Os médicos australianos Dr. John e Dra Evelyn Billings desenvolveram o “método de ovulação”, que consiste em evitar relações sexuais nos períodos férteis – descobertos apenas pelos sinais apresentados no muco vaginal – sim! Por esse corrimento branco.

Afinal, não é possível engravidar se o espermatozoide não encontrar óvulo na trompa uterina – algo que só acontece durante o período de ovulação da mulher.

Tipos e significados do corrimento branco

Antes de você entender os diferentes tipos de corrimento branco, é importante compreender seu ciclo menstrual – que não deve ser confundido com a menstruação. O ciclo menstrual ocorre ao longo de um mês inteiro e começa a ser contado no primeiro dia que você menstrua.

O tempo ideal e comum de um ciclo é exatamente 28 dias, assim como a fase da lua. No entanto, em algumas mulheres o ciclo pode ocorrer em um intervalo de tempo um pouco maior ou menor.

O ciclo menstrual é dividido em três fases e em cada uma o corpo da mulher produz um tipo diferente de muco. Veja abaixo.

1 – Corrimento branco do período não-fértil

Este tipo de muco indica período não-fértil (Imagem: Roberta Struzani)

Na fase folicular, é possível observar um muco meio pastoso, sem muita consistência e elasticidade, sinalizando momento não-fértil. A fase ocorre aproximadamente no 14º dia após a menstruação e tem esse nome por conta do hormônio folículo-estimulante (HFS), que estimula o crescimento de folículos no ovário.

A cada ciclo menstrual um desses folículos entra em atividade com o hormônio HFS, que vai amadurecendo para, posteriormente, dar origem ao óvulo.

Enquanto isso acontece no ovário, lá no útero a camada interna começa a crescer e ficar mais espessa.

Como dizem popularmente, vai “preparando o bercinho” para um possível embrião, o que acontece graças ao aumento do hormônio estrogênio. No entanto, este hormônio ainda não está no seu ápice, pois na fase folicular é liberado apenas um pouquinho dele.

2 – Corrimento branco que sinaliza período fértil

A fase ovular sinaliza o período fértil da mulher. Neste período, o corpo sinaliza isso por meio de um muco clarinho, parecendo clara de ovo.

Este fluido é bastante elástico e demora para arrebentar quando você o coloca entre os dedos e afasta um do outro, como na foto abaixo.

Muco parecendo clara de ovo é sinal de período fértil (Imagem: Roberta Struzani)

Nesse período existe também outro muco, sem consistência, que parece água. Ao passar o dedo na vagina, ela estará constantemente umidificada, quase que lubrificada.

Levando em conta a sobrevida do espermatozoide, existe certa possibilidade de engravidar enquanto o corpo da mulher está produzindo este muco, mas ainda não é o ápice da fertilidade – este só ocorre quando o muco passa a ter as características apresentadas na foto acima.

Nesta fase, o folículo – que começou a crescer na fase anterior, a folicular – se desenvolve completamente e dá origem ao óvulo. O momento que identifica o final da fase folicular e o início da fase ovular é a liberação do hormônio luteinizante (LH), que estimula o rompimento do folículo e a liberação do óvulo, que será direcionado para a trompa do útero.

Agora o estrogênio está no seu ápice, sendo responsável pelo aumento do desejo e liberação de feromônio, que é exalado pelos poros e atrai o sexo oposto, deixando-o mais envolvido e excitado.

Apesar do período fértil ter mais de um dia no aspecto emocional – no qual a mulher apresenta mais libido e sedução, cabelos sedosos, pele corada, entusiasmo, vontade de se divertir e paquerar, além de outros sinais únicos femininos – a ovulação em si só ocorre em um período de 24 horas.

Depois disso, o óvulo começa a se degenerar e não é mais possível fecundá-lo. No entanto, alerto que, para evitar uma gravidez, a mulher não deve focar apenas na prevenção durante o período exato de ovulação.

Como o tempo de vida do espermatozoide é de, no máximo, 72 horas (3 dias), ele pode sobreviver na trompa uterina – mesmo que a ejaculação no canal vaginal ocorra fora do período fértil – e fecundar o óvulo em seguida, quando o óvulo maduro for liberado no período da ovulação.

Portanto, o ideal é levar em conta uns quatro ou sete dias de período fértil, por questão de segurança. Caso saiba o dia exato fértil, previna a ejaculação no canal vaginal três dias antes desta data.

Já se sua intenção é engravidar, esses são os dias ideais. Melhor ainda seria se o seu parceiro conseguisse ficar alguns dias sem ejacular para que no ato ele libere a maior quantidade possível de esperma.

Depois do tempo de ovulação, o folículo começa a se desintegrar e liberar hormônios, virando o que chamamos de corpo lúteo, cujas células produzem estrogênio e quantidade alta de progesterona.

Muco da Fase Lútea sinaliza proximidade da menstruação e impossibilidade de engravidar (Imagem: Roberta Struzani)

Cerca de duas semanas após a ovulação, os níveis de progesterona caem e aquela camada grossa do útero começa a se descamar, dando início à menstruação, ou seja ao início de um novo ciclo.

No início da descamação um novo muco vaginal irá sinalizar uma pré-menstruação. Este muco tem cor mais opaca e sua textura é espessa, assemelha-se a um creme hidratante. Se colocá-lo entre os dedos, não tem nada de elástico.

Além do muco sinalizar o período do seu ciclo, ele também tem a função de facilitar ou dificultar a locomoção do espermatozoide. Quanto mais espesso, maior a dificuldade do espermatozoide se locomover, morrendo rapidamente.

O melhor período para avaliar o corrimento branco vaginal é pela manhã. Durante a madrugada – quando a mulher está dormindo e relaxada – o corpo trabalha melhor e, com isso, os hormônios do ciclo menstrual ficam bastante atuantes, assim como a progesterona, que causará a produção de um muco vaginal espesso.

Portanto, assim que acordar, introduza o dedo bem no fundo da vagina e tente molhá-lo no colo do útero (final da vagina e começo do útero). Depois disso, avalie.

Outra forma de avaliar é ao secar a vulva com papel higiênico após urinar.

Veja qual desses métodos de avaliação é mais fácil para você, afinal, algumas mulheres têm mais muco que outras, tornando mais fácil ou mais difícil a percepção.

Algumas mulheres não apresentam muco

Quando a mulher tem ciclo menstrual muito curto, como de 25 dias, por exemplo, ou ainda quando ela menstrua durante muitos dias (por exemplo, mais de 7), não é possível observar o muco.

Nesses casos, os últimos dias de menstruação praticamente coincidem com o período fértil, impedindo a observação, já que o resto de menstruação se mistura com o surgimento do muco.

Não é errado se referir ao muco como “corrimento vaginal”, já que este também é um tipo de fluido produzido pela vagina. O nome correto dado ao corrimento – aquele que representa alguma disfunção no organismo – é “leucorreia”.

A forma mais fácil de diferenciar o muco vaginal da leucorreia é por meio dos sintomas que aparecem junto com o corrimento, como, por exemplo: cheiro forte, irritação, ardor, vermelhidão ou comichão na vagina ou vulva.

A causa do corrimento (leucorreia) está relacionada com alguma doença ginecológica ou irritação. Além disso, após a menopausa a mulher também pode apresentar corrimento, por conta da atrofia do útero.

A vagina tem PH ácido para se defender de agentes nocivos que vêm de fora e entram na vagina durante o sexo ou até mesmo por higienizar de forma errada a vulva após urinar. Com essa acidez vaginal, as bactérias não sobrevivem.

No entanto, alguns maus hábitos como, por exemplo, usar sabonete de corpo na vulva, alteram o PH e retiram a proteção da vagina, fazendo com que bactérias e fungos se proliferem com maior facilidade. Isso pode gerar infecções ou inflamações, que dão origem à produção de secreção, que é a leucorreia – popularmente conhecida como corrimento vaginal.

Veja abaixo alguns exemplos de doenças íntimas que geram a produção de corrimento vaginal:

Candidíase

A cândida é um fungo natural da flora vaginal, mas qualquer desarranjo do organismo, como uso excessivo de antibióticos, muito estresse, diabetes, traumas, excesso de lubrificação e alteração da flora vaginal com a gestação, podem ocasionar a proliferação deste fungo e gerar a candidíase.

  • Tipo de corrimento: se assemelha à nata de leite, é espesso e esbranquiçado, que pode ser comparado também ao queijo cottage.

Gonorreia ou Clamídia

Doença sexualmente transmissível (DST), causada pelas bactérias “neisseria gonorrhoeae” e “chlamydia trachomatis”. Ambas causam infecção do colo do útero, causando corrimento vaginal.

  • Tipo de corrimento: amarelo turvo e mucopurulento.

Tricomoníase

Também é uma DST causada por um protozoário chamado “trichomonas vaginalis”. Pode se apresentar assintomática por muito tempo.

  • Tipo de corrimento: quando apresenta corrimento é do tipo fino e amarelado ou esverdeado.

Vaginose bacteriana

Essa é a maior causa de corrimento, ocorre através de uma infecção por qualquer tipo de alteração da flora vaginal normal, resultando na redução das bactérias boas da vagina, que protegem-na das bactérias nocivas.

Neste caso, a diminuição de lactobacillus faz com que a acidez diminua e as bactérias se proliferem mais, portanto a dica é usar sabonete íntimo com lactobacillus na fórmula.

  • Tipo de corrimento: fino e acinzentado, com odor muito forte, comparado muitas vezes ao cheiro de “peixe”.

Pode ocorrer pelo uso de lubrificantes, camisinhas, perfumes, espermicidas, sabonetes, produtos de higiene íntima ou produtos sensuais e até pelo sêmen do parceiro. Tudo isso pode causar uma reação de inflamação, gerando o corrimento vaginal.

  • Tipo de corrimento: branco, parecendo pus.

Outras causas

Outras causas menos comum do aparecimento de corrimento são: câncer no colo do útero, herpes genital, infecção por HPV, camisinha perdida no canal vaginal ou restos de produtos eróticos de fabricação ruim ou pequenos pedaços de algodão de absorvente interno. Tudo isso pode gerar inflamação e infecção, causando corrimento.

Como identificar o corrimento pela cor e aspecto

O corrimento vaginal acontece por conta de alguma alteração na vagina, seja por bactérias, fungos, inflamação, infecção ou doença. Saiba identificar os diferentes tipos:

Marrom

Resto de menstruação, ou início do período menstrual, sangue coagulado por traumas ou infecções, câncer ginecológico (mais raro) ou início de gravidez.

Amarelado

Geralmente é sinal de infecção ginecológica. Se for o caso, costuma vir associado a sinais de mau cheiro, coceira, ardência.

Branco

Pode ser muco vaginal, como já explicado. Mas se vier associado a sintomas e for constante dia após dia, pode ser candidíase.

Cor de rosa

Início de menstruação ou de gravidez ou pós-parto.

Após identificar que está com corrimento e não muco vaginal, é necessário que faça uma consulta médica, para que o ginecologista colete o corrimento no colo do útero e faça uma investigação microscópica e cultura desta amostra.

Como prevenir o surgimento de corrimento vaginal?

Não há um tratamento geral para corrimento, pois é preciso descobrir suas causas e tratá-las individualmente. Mas é possível prevenir o aparecimento deste problema indesejável. Veja abaixo como.

Higiene íntima para saúde genital

  • Lave a genital com sabonete íntimo, e não com sabonete comum. Neste caso, é preciso encontrar o produto ideal para você, pois enquanto algumas mulheres tem PH mais ácido e se adaptam a qualquer sabonete íntimo, outras são mais alcalinas e têm maior facilidade de irritação. A ideia é que avalie qual produto se adequa exatamente às necessidades do seu organismo.
  • Mantenha a região íntima sempre sequinha: após o banho e urinar, seque bem. Se houver extrema umidade genital – como nos casos de gestação e de candidíase – seque a vulva com o próprio secador de cabelo, mas é preciso que o aparelho esteja no modo frio.
  • Evite usar desodorantes íntimos molhados, de preferência opte pelos que possuem jato seco.
  • Sabe aquela indicação de que a calcinha de algodão é a melhor pedida para a saúde intima? Nem sempre é verdade. O algodão retém líquido, portanto, mulheres muito úmidas ou com candidíase devem optar por ficar o maior tempo possível sem calcinha ou optar por calcinhas sintéticas e evitar calça jeans. O ideal é usar diversos tipos de lingerie e observar qual sua genital se adapta melhor.

Olá, essa matéria foi útil para você?

Источник: https://www.personare.com.br/corrimento-branco-vaginal-sinaliza-chance-de-engravidar-m7353

Sintomas de gravidez: os primeiros sinais

Atraso menstrual e fluxo branco

É comum que os primeiros sintomas de gravidez passem despercebidos.

Isso porque muitos deles se manifestam antes mesmo do atraso da menstruação e são facilmente confundidos com a TPM, como no caso de alterações de humor e do aparecimento de espinhas.

Algumas mulheres que conhecem muito bem os seus corpos são capazes de perceber alterações (sintomas de gravidez) logo nos primeiros dias após a fecundação, mas o ideal é só comemorar (ou se preocupar) após o atraso menstrual.

1. Amenorreia

É a ausência da menstruação. De todos os sintomas, a ausência de menstruação é o sintoma de gravidez mais evidente e aquele que mais deve ser levado em consideração.

Se sua menstruação é regular e estiver atrasada, vale a pena fazer um teste de farmácia para tirar a dúvida.

O impacto emocional envolvido em uma gravidez, seja ela desejada ou não, é muitas vezes o grande responsável pelo aparecimento de outros sintomas associados.

2. Corrimento branco

O corrimento branco pode ser um dos sintomas de gravidez, pois ele pode ser causado pelo o aumento dos níveis de progesterona, um dos indicativos de gravidez.

  • Candidíase: conheça causas, sintomas, tipos e saiba como tratar

3. Corrimento vaginal cor-de-rosa

De difícil percepção, o corrimento cor-de-rosa é normal e resulta da entrada do espermatozoide no óvulo. Ele pode aparecer desde minutos após a relação sexual em que ocorre a fecundação até três dias depois, que é o tempo de vida do espermatozoide no útero feminino.

4. Cólica, inchaço abdominal e gases

São reações comuns no início da gestação, pois o corpo está se preparando para receber o embrião no útero. O sangue que se concentra no útero desde a fecundação até a 7ª semana de gravidez é o responsável por esses distúrbios gástricos. Tomar bastante água e evitar alimentos de alta fermentação são algumas dicas para conseguir alívio.

  • Chá de canela é ótimo para cólica, mas pode ser abortivo

5. Espinhas e pele oleosa

As espinhas e o aumento da oleosidade da pele também podem ser alguns dos sintomas de gravidez. Pessoas que já tem a pele oleosa podem sofrer mais com esse problema, resultante das alterações hormonais em andamento.

6. Mamas sensíveis e inchadas

Outro resultado do grande aporte de hormônios que começam a circular em seu organismo com a chegada de uma nova vida.

7. Mudança na aparência dos seios

Além da sensibilidade, pode ser que você repare que as auréola dos seus seios estão mais escuras ou inchadas. As veias da região também podem ficar mais aparentes do que o normal.

8. Desejo sexual

As alterações hormonais em seu corpo também podem aumentar seu desejo sexual, um dos sintomas de gravidez.

9. Aumento da frequência urinária

O aumento do xixi acontece desde o começo da gravidez, por conta das elevadas taxas de progesterona no organismo, e vai até o final, quando o aumento físico do útero pressiona a bexiga.

10. Enjoos, vômitos e maior salivação

Esse é um dos sintomas mais comuns e ataca principalmente no primeiro trimestre de gravidez. O desenvolvimento da placenta é apontado como uma das causas, mas há também o baixo nível de açúcar no sangue e a tensão.

  • Remédio para enjoo: 18 dicas no estilo caseiro

11. Cansaço fácil e sono

Seu corpo está se preparando para receber uma nova vida. São muitas mudanças físicas e hormonais pelas quais ele irá passar e é normal que você se sinta mais cansada. Coma bastante e procure descansar.

12. Tontura

Os enjoos e vômitos podem fazer com que a mulher grávida fique desidratada e sinta tonturas. Procure se alimentar bem e beba bastante água.

13. Dor de cabeça e dor nas costas

A dor de cabeça está relacionada aos novos hormônios que estão circulando em seu corpo. Já a dor nas costas é resultado das alterações físicas pelas quais o corpo passa e, com o passar da gravidez, também resulta do peso adicional que você está carregando.

14. Aversão a cheiros fortes

A aversão a cheiros fortes é um dos sintomas de gravidez mais conhecidos popularmente. Isso acontece porque o olfato das grávidas fica mais sensível. O jeito é evitar os cheiros muito fortes.

15. Desejos alimentares

Em algumas mulheres, um dos sintomas de gravidez é o surgimento de desejos ou aversões estranhas. Elas podem deixar de comer coisas das quais gostavam antes da gravidez e passar a gostar de coisas das quais costumavam ter aversão. É normal.

16. Aumento da temperatura basal (valor próximo aos 37°C)

O aumento da progesterona e do estrogênio presentes no corpo da mulher após a fertilização podem causar um leve aumento na temperatura geral do corpo, esse também é um dos sintomas de gravidez.

17. Variações de humor

Outra consequência desagradável da grande quantidade de hormônios circulando no corpo feminino. É um sintoma muito fácil de ser confundido com a TPM, então não crie expectativas (positivas ou negativas) antes da hora. Se você desconfia de que apresenta sintomas de gravidez adquira um teste de farmácia, pois ele é um diagnóstico mais seguro.

Veja também:

Cadastre-se e receba nosso conteúdo em seu email. Comunicar erro

Источник: https://www.ecycle.com.br/6099-sintomas-de-gravidez.html

Flujo blanco antes de la menstruación: principales causas y qué hacer

Atraso menstrual e fluxo branco

Antes de la menstruación es normal que la mujer note la presencia de un flujo o secreción blanca, espesa y sin olor, la cual es considerada normal y ocurre debido a las alteraciones hormonales típicas del ciclo menstrual.

Esta secreción tiene como función garantizar la lubricación de la mujer, además de proporcionar información acerca del período del ciclo en el que ella se encuentra, siendo importante su observación principalmente en aquellas que quieran quedar embarazadas. 

No obstante, cuando la secreción blanca antes de la menstruación se encuentra acompañada por otros signos y síntomas, como mal olor, incomodidad, comezón o ardor, es importante acudir al ginecólogo para que sean llevados a cabo exámenes y sea identificada la causa de la alteración, pues puede ser indicativo de infección por hongos o bacterias, lo que requiere de tratamiento específico.  

1. Ciclo menstrual

La secreción blanca normalmente es parte del ciclo menstrual normal de la mujer, este se encuentra constituido por lo general por leucocitos y ocurre debido a alteraciones hormonales, las cuales usualmente se dan gracias al aumento de la producción de progesterona por el cuerpo lúteo. A medida que la cantidad de progesterona aumenta en la sangre, se libera la secreción blanca antes de la menstruación. 

Qué hacer: como es algo normal y no está asociado a ningún signo ni síntoma, no es necesario tratamiento. Sin embargo, algunas mujeres que desean quedar embarazadas pueden estar más atentas a la textura de la secreción y del moco cervical para saber si están cerca de ovular, lo que se conoce como método de ovulación Billings.

Conozca cómo funciona y cómo realizar el método de ovulación Billings. 

2. Vaginosis bacteriana

La vaginosis bacteriana corresponde al desequilibrio de la microbiota vaginal, lo que genera la proliferación de bacterias que se encuentran presentes de forma natural en la región y ocasionan el surgimiento de signos y síntomas.

La principal bacteria relacionada con la vaginosis es la Gardnerella vaginalis, la cual, además de causar secreción blanca maloliente antes de la menstruación, también puede generar comezón y ardor en la región.

Conozca cómo reconocer los síntomas de la vaginosis. 

Qué hacer: el tratamiento para la vaginosis bacteriana normalmente es realizado mediante el uso de antibióticos, como Metronidazol, el cual debe ser utilizado de acuerdo con las indicaciones del ginecólogo. Es importante que la vaginosis bacteriana sea identificada y tratada de forma adecuada para evitar que la bacteria permanezca proliferándose y genere complicaciones, como la enfermedad inflamatoria pélvica. 

3. Candidiasis

La candidiasis es una infección causada por hongos que están presentes de forma natural en la región genital de las mujeres.

Esta afección está relacionada principalmente con el desarrollo de hongos del género Candida, sobre todo de la especie Candida albicans.

En este caso, aparte de la secreción blanca, es común que la mujer presente otros síntomas, como comezón, ardor y enrojecimiento en la región íntima. Conozca cómo identificar los síntomas de la Candida. 

Qué hacer: para eliminar el exceso de hongos y aliviar los síntomas, puede recomendarse por parte del ginecólogo el uso de medicamentos antimicóticos, como el Fluconazol y el Miconazol, los cuales pueden venir en forma de pastillas, pomadas o cremas vaginales y deben ser usados de acuerdo con la recomendación médica. 

4. Vaginitis

La secreción blanca antes de la menstruación igualmente puede ser signo de vaginitis, condición también conocida como vulvovaginitis o colpitis, la cual es una inflamación de la vagina y del cuello uterino causada por bacterias, hongos y protozoarios;  por alergias o alteraciones en la piel.

Además de la secreción, la mujer también puede percibir un olor desagradable que empeora luego de las relaciones sexuales, hinchazón de la región genital y pequeños puntos blancos o rojos en la mucosa vaginal y en el cuello uterino, los cuales son identificados mediante la evaluación del ginecólogo. 

Qué hacer: es importante acudir al ginecólogo para que sea llevada a cabo una evaluación, realizado el diagnóstico e indicado el tratamiento, el cual en estos casos es realizado mediante el uso de antibióticos en forma de crema, pomadas o comprimidos. Vea más detalles sobre el tratamiento de la vaginitis.

5. Embarazo

En ciertos casos, la secreción blanca antes de la menstruación también puede ser indicativo de embarazo, siendo esta más espesa en comparación con la secreción blanca que surge normalmente. 

Qué hacer: es importante estar atento al surgimiento de otros signos y síntomas de embarazo, como mareos, dolores de cabeza, retraso de la menstruación y cólicos, por ejemplo. En estos casos se recomienda realizarse la prueba de embarazo y consultar al ginecólogo para que sea comprobada la gestación.

Conozca cómo reconocer los primeros síntomas de embarazo. 

Vea en el video a continuación cómo identificar correctamente el flujo de cada color y qué puede ser:

Источник: https://www.tuasaude.com/es/flujo-blanco-antes-de-la-menstruacion/

Atraso menstrual: estou grávida?

Atraso menstrual e fluxo branco

A possibilidade de gravidez é uma ideia muito comum entre as mulheres logo nos primeiros dias de atraso menstrual. Porém, não é sempre que esse fenômeno é sinônimo de um bebê.

Ficou curiosa? Então continue lendo este post. A seguir, listamos as principais dúvidas a respeito do atraso menstrual e da possibilidade de uma gravidez.

É normal ter a menstruação atrasada por alguns dias?

Sim, isto é completamente normal e ocorre com frequência entre as mulheres.

O ciclo regular tem a duração de, mais ou menos, 28 dias. Existem, porém, alguns mais curtos, de 24 dias, e outros que chegam até a 30. Ou seja, não dá para seguir um padrão em relação ao calendário menstrual de uma mulher.

Caso sua menstruação atrase por até 10 dias, não se desespere. É preciso ficar atenta apenas quando o fato ocorre com frequência; daí é importante procurar um especialista para averiguar a situação.

Um dos motivos mais comuns que geram o atraso menstrual é estresse ou fatores emocionais em geral. Isso acontece porque os hormônios que têm ação no sistema reprodutor feminino são formados na hipófise e no hipotálamo, glândulas localizadas no cérebro.

Quando você está um pouquinho estressada, preocupada ou com alguma outra coisa que deixe sua mente em alerta, é comum que a menstruação atrase.

Ao perceber a alteração no ciclo e ficar com uma expectativa muito grande, também é comum que ela demore ainda mais a “descer”, já que os níveis hormonais são afetados.

Entretanto, em situações nas quais o atraso passa de 10 dias, existem chances de você estar grávida ou com alguma outra disfunção no organismo.

O atraso menstrual é sinônimo de gravidez?

Não necessariamente. Por mais que a primeira hipótese seja a de uma possível gravidez, o atraso menstrual também é sintoma de diversos outros fatores que podem estar acontecendo no seu corpo. Separamos os principais abaixo:

Atividade física intensa

Mulheres que iniciam ou já praticam uma rotina de atividade física intensa — porém, aumentam a intensidade — podem viver os atrasos menstruais.

Quando os exercícios são intensificados, acontece uma diminuição nas células de gordura — que são depósito do hormônio feminino estrogênio.

É comum que a menstruação chegue com atrasos ou diminua seu fluxo, já que a mulher pode chegar até a deixar de entrar no período fértil (dependendo da frequência e da intensidade das atividades).

Uso de anticoncepcionais

Pílulas anticoncepcionais também podem ser um fator que desregula o ciclo menstrual.

Quando a mulher usa a pílula por muito tempo e decide parar, é muito provável que a menstruação não “desça” de acordo com os padrões anteriores ao corte do medicamento.

Isso acontece porque, após parar de tomar o remédio, o organismo precisa de um tempo para adaptar a produção hormonal que foi alterada durante todo o período no qual foi feito o uso das pílulas.

Problemas na tireoide

Disfunções na tireoide afetam o ciclo menstrual, já que a glândula tem influência na liberação dos hormônios estimuladores dos ovários. Além disso, ela é responsável por regular o metabolismo do corpo.

Se for o caso dos níveis estarem fora do normal, é possível que haja uma interferência na periodicidade da menstruação e da ovulação.

Má alimentação

Quando a dieta não garante a quantidade necessária de nutrientes para o organismo, é comum que o ciclo menstrual sofra alterações.

Desnutrição e falta de vitaminas geram um colapso hormonal. Mudar drasticamente de dieta tem efeito semelhante, já que o corpo precisa se acostumar com a nova rotina alimentar.

Gravidez

Após procurar um médico e não identificar nenhum problema aparente, existem grandes chances de você estar grávida.

Algo que aumenta a dúvida e a ansiedade a respeito de uma possível gravidez é o corrimento branco.

Corrimentos (que na verdade devem ser chamados de “muco”), quando não acompanhados por coceira ou por odores fortes, são naturais no corpo de uma mulher.

Após a fecundação, no momento que o embrião chega até seu destino final, é comum que haja um aumento considerável nos níveis de mucosas e de pequenos sangramentos.

Sabendo disso, ele é associado à gravidez — porém, é certo. Ainda é preciso buscar alternativas que te assegurem em 100% que você está realmente grávida.

Quais são os sintomas de gravidez que aparecem logo de cara?

Listamos os principais sintomas que podem indicar uma gravidez e que aparecem logo no início do atrasomenstrual. Eles são os seguintes:

  • cólicas;
  • fadiga constante;
  • enjoos e vômitos;
  • variações de humor;
  • aumento na vontade de fazer xixi;
  • e mamas sensíveis, inchadas e doloridas.

Alguns desses sintomas podem aparecer ainda antes do atraso menstrual. Porém, na maioria das vezes, são tão sutis que nem mesmo a mulher consegue perceber. É mais comum que eles surjam com mais frequência e intensidade após o atraso.

Eu acho que estou grávida. E agora?

Se você está passando por um atraso menstrual superior a 10 dias, não tem nenhum outro problema de saúde e, além disso, apresenta algum dos sintomas citados anteriormente, é possível que você esteja grávida.

A dúvida deve ser esclarecida a partir da realização de testes de gravidez. Logo de imediato, é muito comum que o teste de farmácia seja comprado.

Ele funciona da seguinte maneira: ao urinar no “palitinho” do aparelho, serão detectados os níveis do hormônio beta HCG no organismo. O hormônio só começa a ser produzido no corpo de uma mulher quando o óvulo é implantado. Ou seja, caso exista Beta HCG no seu organismo, a gravidez é confirmada.

O mesmo processo ocorre no exame de sangue, que detecta uma possível presença do hormônio no sangue. Geralmente é mais recomendável do que as outras opções, que estão mais suscetíveis a sofrerem interferências externas.

Mas tenha em mente que, em ambos os métodos, o “falso positivo” é normalmente incomum.

Existem diversos testes de gravidez on-line que podem te ajudar a esclarecer as dúvidas de maneira mais prática e contextualizada de acordo com a sua rotina. Neles são feitas perguntas como “você está tendo algum tipo de corrimento?” e “você está sentindo dores abdominais?”.

Lembre-se, porém, que é preciso realizar um teste real (às vezes, até mais de um) para ter certeza ou para descartar a hipótese.

Aproveite para conferir quais são os 15 primeiros sintomas de gravidez.

Источник: https://eunenem.com/blog/atraso-menstrual-estou-gravida/

Corrimento branco pastoso: é normal?

Atraso menstrual e fluxo branco

O corrimento branco pastoso provavelmente é um dos corrimentos vaginais mais comuns. Esse tipo tem várias causas diferentes, variando de normal a patológico.

Corrimento branco pastoso antes da menstruação

O corrimento branco pastoso antes da menstruação é bastante comum. Contanto que seja inodoro e não cause coceira, ele provavelmente é uma parte normal do seu ciclo menstrual.

É importante lembrar que, em muitos casos, o corrimento vaginal é uma forma de seu corpo se manter limpo. Mesmo que possa parecer um pouco nojento, ele está ali para proteger você. 

As glândulas do seu colo do útero produzem fluidos ao longo do seu ciclo. A quantidade de fluido secretada por elas pode deixar seu corrimento mais viscoso ou aquoso, dependendo da fase do ciclo.

Antes da menstruação, seu corrimento provavelmente será mais viscoso. Isso acontece porque, diferentemente de quando secreta fluido elástico durante a ovulação, nesses dias seu corpo está tentando evitar que os espermatozoides subam até o colo do útero. 

Sem um óvulo a ser fertilizado, o corrimento viscoso e pastoso serve para manter os espermatozoides longe.

Corrimento branco pastoso depois da ovulação

É normal ter um corrimento transparente, elástico e parecido com clara de ovo exatamente quando você ovula. Esse corrimento serve para ajudar os espermatozoides a nadar e chegar ao óvulo viável que está em suas tubas uterinas.

Mas esse óvulo permanece viável apenas por 24 horas. Uma vez que a ovulação acaba, você pode esperar que seu corrimento vaginal mude de novo. Essa é a chamada fase lútea do seu ciclo. 

Durante essa fase, a progesterona faz com que suas glândulas cervicais secretem menos fluido, deixando o corrimento mais viscoso e menos penetrável.

Há muitas coisas que podem causar corrimento vaginal depois do sexo. Algumas delas são:

  • lubrificação feminina natural;
  • ejaculação feminina;
  • ejaculação masculina, se você não usou preservativo;
  • corrimento pastoso branco normal;
  • lubrificantes.

Algumas mulheres também têm corrimento pastoso cor-de-rosa depois do sexo. Em alguns casos, isso pode ser decorrente de uma relação sexual mais intensa, que fez seu colo do útero sangrar um pouco. Isso também pode acontecer se você fizer sexo logo antes, durante ou após a sua menstruação.

A maioria das mulheres vai ter um aumento do corrimento vaginal durante suas gestações. Ainda que seja compreensível ficar preocupada, não há motivo para ter medo. Contanto que esse corrimento branco pastoso não tenha cheiro nem cause coceira, seu aumento é perfeitamente normal.

Tenha em mente que, se estiver grávida e observar um corrimento com odor desagradável ou sentir coceira na vagina, você deve ir ao médico. Infecções vaginais durante a gestação podem causar diversas complicações, incluindo parto prematuro e sepse neonatal.

Em circunstâncias normais, o corrimento branco espesso não deve ter odor. Se perceber que seu corrimento tem odor, você pode ter uma infecção vaginal.

Infecções por fungos são muito comuns e afetam três a cada quatro mulheres em algum momento da vida. Elas são causadas por um fungo chamado cândida, que é um elemento normal da sua flora vaginal.

No entanto, a cândida pode causar sintomas desagradáveis quando se multiplica em excesso. É mais provável que isso aconteça quando a mulher toma contraceptivos orais ou antibióticos, ou quando tem diabetes. Infecções por fungos causam corrimento branco pastoso, o qual forma coágulos e parece queijo cottage.

Os sintomas de infecção fúngica também incluem:

  • coceira e ardência na vagina;
  • vermelhidão ou inchaço na genitália;
  • dor ao urinar;
  • dor nas relações sexuais.

O corrimento espesso e pastoso que acompanha a infecção fúngica geralmente é inodoro.

Contanto que seu corrimento branco pastoso seja inodoro e não esteja acompanhado por outros sintomas, ele provavelmente é apenas um aspecto normal do seu ciclo menstrual. 

No entanto, se você notar novos sintomas ou um aumento repentino na quantidade do corrimento, um médico pode ajudar a determinar a causa dessas mudanças.

Última modificação 25 de agosto de 2020 https://www.babymed.com/am-i-pregnant/vaginal-discharge-early-pregnancy-symptoms-and-signs https://my.clevelandclinic.org/health/diseases/9131-vaginitis https://www.healthline.com/health/thick-white-discharge https://www.webmd.com/women/guide/vaginal-discharge-whats-abnormal#1 https://www.mayoclinic.org/diseases-conditions/yeast-infection/symptoms-causes/syc-20378999

Источник: https://flo.health/pt/seu-ciclo/saude/corrimento-vaginal/corrimento-branco-pastoso

Embarazo y niños
Deja una respuesta

;-) :| :x :twisted: :smile: :shock: :sad: :roll: :razz: :oops: :o :mrgreen: :lol: :idea: :grin: :evil: :cry: :cool: :arrow: :???: :?: :!: