Como se cura o impetigo em crianças?

Impetigo

Como se cura o impetigo em crianças?

O impetigo é uma infecção na pele causada por bactérias que habitam nossa pele, boca e trato respiratório superior. Com a queda no sistema imunológico, se proliferam e a doença se manifesta.

Impetigo é uma infecção cutânea, altamente contagiosa, causada por dois diferentes germes: o Staphylococcus aureus, uma bactéria gram-positiva, com o formato aproximado de um cacho de uva, que pode formar colônias na pele e nas narinas de pessoas saudáveis, e o Streptococcus pyogenes (estreptococos beta-hemolíticos do grupo A) que habita normalmente nossa pele, boca e trato respiratório superior.

De maneira geral, essas bactérias não fazem mal nenhum ao hospedeiro. No entanto, uma queda no sistema de defesa do organismo, um ferimento superficial na pele (um pequeno corte, um arranhão, a picada de um inseto) ou mesmo lesões provocadas por outras doenças de pele que possam servir de porta de entrada para o micróbio, são fatores favoráveis para a manifestação da doença.

Embora possa acometer pessoas de qualquer idade, o impetigo é mais comum em crianças entre dois e seis anos, especialmente nos meses mais quentes e úmidos do ano e em ambientes com condições de higiene precárias.

O contágio pode ocorrer através do contato direto com as feridas ou com gotículas da secreção nasal das pessoas infectadas ou, ainda, por objetos contaminados (roupas pessoais, de cama, de banho, brinquedos, etc.). O período de incubação varia de quatro a dez dias, fase em que o paciente pode transmitir a doença, apesar de não apresentar nemhum sinal visível da infecção.

Portadores de diabetes ou com o sistema imunológico comprometido correm risco maior de desenvolver impetigo.

Tipos e sintomas

As manifestações cutâneas do impetigo variam de acordo com o tipo do agente infeccioso:

  • Impetigo comum ou não bolhoso: O agente infeccioso costuma ser a bactéria estreptococos. A principal manifestação da doença é o aparecimento de pequenas bolhas parecidas com espinhas cheias de pus (pápulas eritematosas), especialmente ao redor do nariz e da boca, mas que também podem surgir nos braços e nas pernas. Quando rompem e vazam, essas bolhinhas dão lugar a feridas avermelhadas que, depois, são cobertas por uma crosta cor de mel, que cai sem deixar cicatrizes.
  • Impetigo bolhoso: É causado pelo Staphylococcus aureus, que produz toxinas que favorecem o aparecimento de vesículas maiores, cheias de líquido amarelado. Em geral, elas se instalam no peito, braços, abdômen e nádegas, principalmente de bebês e crianças na idade pré-escolar, e podem vir acompanhadas de febre e mal-estar. Quando rompem,  deixam no lugar uma lesão vermelho-vivo, inflamada e úmida, que não dói, mas pode coçar e desaparece sem deixar marcas. Segundo dados publicados pela Anvisa, o impetigo bolhoso é responsável por 10% dos casos da doença.
  • Ectima’ É considerada a forma mais grave do impetigo, porque acomete as camadas mais profundas da pele. Geralmente é causada pelo Streptococcus pyogenes, embora possa ocorrer uma infecção simultânea pelo Staphilococus aureus. As lesões (uma ou várias) – úlceras profundas, dolorosas e cheias de pus – aparecem sobretudo nas pernas e deixam cicatrizes depois de curadas. Outro sinal de ectima é a presença de linfonodos (gânglios linfáticos) aumentados na cadeia próximas das feridas, como resposta do sistema de defesa do organismo contra o agente agressor.

Diagnóstico

O diagnóstico baseia-se na avaliação clínica das lesões que aparecem na  pele. No entanto, é possível recorrer a exames laboratoriais para determinar o agente patogênico, o que ajuda a estabelecer o disgnóstico diferencial com outras doenças de pele e a selecionar o tipo de tratamento mais indicado para o caso.

Complicações

Em geral, o impetigo é uma doença benigna que evolui favoravelmente, desde que receba o tratamento adequado. Em alguns poucos casos, porém, podem ocorrer as seguintes complicações:

  • Glomerulonefrite pós-estreptocócica – doença renal grave produzida pelo estreptococo beta-hemolítico do grupo A, o mesmo causador de infecções em órgãos da orofaringe;
  • Celulite infecciosa – doença grave, potencialmente fatal, que afeta os tecidos sob a pele e pode alcançar os nódulos linfáticos, a corrente sanguínea e disseminar-se pelo organismo.

Observação: não confundir a celulite infecciosa com a lipodistrofia ginoide (também conhecida popularmente por celulite), distúrbio que afeta mais as mulheres e é causado pelo acúmulo do tecido gorduroso, água e toxinas sob a pele, que adquire uma aparência característica.

Tratamento

O tratamento do impetigo deve começar tão logo seja feito o diagnóstico da doença ou, no máximo, 48 horas depois do aparecimento dos primeiros sintomas para evitar complicações.

Ele inclui a indicação de antibióticos por via oral ou em forma de cremes e pomadas de uso tópico, isto é, aplicados diretamente sobre as lesões cutâneas, depois que as crostas foram amolecidas com água morna e retiradas.

Mesmo que os sintomas tenham melhorado com as primeiras doses ou aplicações do antibiótico, é fundamental que seu uso seja mantido nos horários e prazo prescritos pelo médico para evitar que as bactérias desenvolvam resistência aos remédios.

Os cuidados com a higiene pessoal e com a área infectada, somados ao tratamento medicamentoso, além de acelerar o processo de cura, são medidas fundamentais para reduzir os casos de contágio e possíveis recidivas da doença.

Recomendações/Prevenção

Na maioria dos casos, o risco de contágio do impetigo só desaparece 48 horas depois de iniciado o tratamento com antibióticos ou quando as feridas deixaram de eliminar secreção e estão cicatrizando.

Enquanto isso não acontece, o paciente deve permanecer em casa, sem contato direto com os outros moradores, e seus objetos devem ser separados para seu uso exclusivo.

Essas medidas se tornam necessárias, porque  impetigo é um problema de pele muito contagioso.

Além disso, você deve observar as seguintes recomendações:

  • Nunca se descuide dos cuidados básicos de higiene, como lavar as mãos com frequência, especialmente antes das refeições e depois de usar o banheiro;
  • Não compartilhe com as pessoas doentes objetos de uso pessoal, como toalhas, lençóis, pentes e escova de cabelo, por exemplo;
  • Evite tocar nas feridas, se elas já apareceram na pele, para não espalhar a infecção por outras partes do corpo;
  • Lave as lesões com água e sabão, seque bem e cubra com gaze ou outro tipo de curativo;
  • Use lenços de papel para assoar o nariz ou quando espirrar e depois descarte-os.

Acima de tudo, não se automedique. Procure o dermatologista ou o pediatra tão logo apareça qualquer problema na pele.

Fontes

www.sbd.org

www.mdsaude.com/dermatologia

http://www.mayoclinic.org

www.clevelanclinic.org/diseases

www.uptodate.com

http://www.emedicinehealth.com

Источник: https://drauziovarella.uol.com.br/doencas-e-sintomas/impetigo/

IMPETIGO – Causas, sintomas e tratamento

Como se cura o impetigo em crianças?

O impetigo é uma infecção bacteriana da pele que acomete preferencialmente crianças entre 2 e 5 anos, apesar de também poder surgir em adultos.

O impetigo é uma doença contagiosa que surge com mais frequência nos meses quentes de verão.

Causas

O impetigo é uma infecção superficial da pele que pode ser causada por dois tipos de bactérias: Streptococcus pyogenes ou Staphylococcus aureus.

Ambas as bactérias costumam viver em nossa pele sem nos causar nenhum dano. Entretanto, através de uma pequena ferida, corte ou mesmo uma picada de mosquito, elas podem alcançar camadas internas da pele e provocar infecção.

Como se pega?

Nossa pele é colonizada por bilhões de bactérias, sendo algumas colonizadoras persistentes e outras colonizadoras transitórias.

Geralmente nossa convivência com essas bactérias não nos causa problemas porque a pele age como uma armadura, impedindo o contado de germes do meio externo com nosso meio interno.

As doenças dermatológicas infecciosas geralmente surgem quando há alguma lesão que quebra esta barreira da pele, favorecendo a entrada de bactérias para dentro do nosso corpo.

As bactérias colonizadoras persistentes são as bactéria que vivem na nossa pele e são muito difíceis de serem eliminadas definitivamente. Porém, isso não é um problema, uma vez que este grupo raramente é capaz de nos causar doença, mesmo quando há lesões na pele.

Já as bactérias colonizadoras transitórias são aquelas que adquirimos de outras pessoas por contato direto, permanecendo em nossa pele apenas por um tempo determinado.

São essas as bactérias que costumam causar as infecções de pele. As duas bactérias causadoras do impetigo, Streptococcus pyogenes e Staphylococcus aureus, são bactérias colonizadoras temporárias.

Furúnculo, foliculite, celulite e erisipela são outros exemplos de doenças de pele causadas por essas bactérias.

A contaminação pelo Streptococcus pyogenes ou Staphylococcus aureus costuma se dar pelo contato direto de pele com pele, porém, também pode ocorrer através de roupas, toalhas e até brinquedos nos casos de crianças.

Alguns pacientes, após se contaminarem com essas bactérias, podem armazená-las na cavidade nasal, tornando sua eliminação definitiva difícil, permanecendo, assim, colonizados por muito tempo. Mesmo que a bactéria seja eliminada da pele, basta manipularmos o nariz com as mão para nos contaminarmos novamente.

Sintomas

Existem três formas de impetigo: comum, bolhoso e ectima.

Impetigo comum

O impetigo comum, também chamado de impetigo não-bolhoso, é a forma mais comum.

O quadro geralmente se inicia com pequenas pápulas vermelhas, semelhantes a picadas de mosquito, que, entretanto, evoluem rapidamente para pequenas pústulas (lesões com pus). Essas pústulas estouram e formam leões crostosas com coloração dourada ou cor de mel.

O processo costuma durar uma semana e as lesões atacam preferencialmente a face e/ou o crânio, mas também podem surgir em braços e pernas.

Não é comum haver sintomas sistêmicos, como febre ou mal estar; todavia, alguns linfonodos dolorosos no pescoço costumam surgir.

As lesões do impetigo não costumam doer, mas podem eventualmente causar comichão. O ato de coçar as lesões pode favorecer a disseminação da doenças pelas mãos contaminadas.

Com o tempo as crostas somem, deixando pequenas marcas vermelhas que desaparecem a longo prazo sem deixar cicatriz.

Impetigo bolhoso

O impetigo bolhoso é causado apenas pela bactéria Staphylococcus aureus, que é capaz de produzir toxinas que causam descolamento da epiderme (camada mais superficial da pele), favorecendo o aparecimento de bolhas.

A forma bolhosa costuma acometer membros superiores e inferiores e surge em nádegas e tronco com mais frequência que no impetigo comum. O impetigo bolhoso não costuma acometer a face.

A lesão inicial do impetigo bolhoso é igual ao do impetigo comum, com pequenas pápulas, porém, evoluem rapidamente para bolhas com conteúdo amarelado. A pele ao redor das bolhas costuma estar avermelhada e com comichão. Assim como no impetigo comum, as lesões da forma bolhosa não costumam causar dor.

As bolhas geralmente rompem-se deixando uma crosta amarelo-avermelhada, que costuma ser maior e mais duradoura que no impetigo comum. No impetigo bolhoso pode haver febre e outros sintomas de infecção, como mal estar e perda do apetite.

As lesões também costumam curar sem deixas sequelas.

Ectima

A ectima é a forma mais grave de impetigo, pois acomete camadas mais profundas da pele. Geralmente são lesões que evoluem para a formação de úlceras na pele que podem drenar pus. Essas úlceras costumam evoluir para crostas grossas e amareladas, com margem avermelhadas, que curam-se lentamente, deixando cicatrizes. Não é comum haver febre no ectima.

O ectima acomete mais frequentemente os membros inferiores e pode ser causado tanto pelo Streptococcus pyogenes quanto pelo Staphylococcus aureus.

Qualquer uma das três apresentações do impetigo podem complicar com febre reumática ou com glomerulonefrite. Outra complicação comum é a evolução da lesão para uma celulite ou erisipela, infecções mais graves, pois acometem planos mais profundos da pele.

Imagens

  • Lesões do impetigo
  • Impetigo na face
  • Impetigo no tronco
  • Impetigo na face

Tratamento

O impetigo não costuma ser uma infecção grave e muitas vezes cura-se sozinho. Entretanto, o tratamento com antibiótico costuma ser indicado para diminuir a chance de contaminação de outras pessoas, acelerar a resolução das lesões e diminuir os riscos de complicações.

Se as lesões forem muito discretas, o tratamento pode ser feito apenas com boa higiene e antibióticos tópicos. O mais indicado é a pomada de Mupirocina (Bactroban® ) três vezes por dia.

Quando as lesões forem muito disseminadas ou se houver impetigo bolhoso ou ectima, o tratamento costuma ser feito com antibióticos por via oral por uma semana. Os mais usados são os derivados da penicilina.

Referências

Источник: https://www.mdsaude.com/dermatologia/impetigo/

Impetigo: o que é, causas e sintomas

Como se cura o impetigo em crianças?

Impetigo (CID 10 – L01) é uma infecção bacteriana comum que atinge as camadas superficiais da pele. É altamente contagiosa, e acomete frequentemente o rosto (nariz e boca) e extremidades da pele de crianças.

Causas

O impetigo é causado por uma bactéria, o Staphylococcus aureus, o Streptococcus pyogenes, ou, ainda, ambos.

Uma pessoa pode adquirir a doença quando for exposta à bactéria, principalmente quando entra em contato com feridas de alguém que já está infectado. Também pode contrair quando entrou em contato direto com itens compartilhados como roupas, lençóis, toalhas e até mesmo brinquedos.

NÃO PARE AGORA… TEM MAIS DEPOIS DA PUBLICIDADE ;)

NÃO PARE AGORA… TEM MAIS DEPOIS DA PUBLICIDADE ;)

Foto: Ph.wittaya/Shutterstock

Fatores de risco

Os fatores que aumentam o risco de impetigo incluem:

  • Crianças: Embora qualquer um possa desenvolver impetigo, a doença ocorre mais comumente em crianças dos dois aos seis anos de idade
  • Locais fechados: Impetigo se espalha facilmente em escolas, ambientes infantis e outros locais fechados e lotados
  • Clima quente e úmido: a doença é mais comum em estações quentes do ano, facilita a transmissão da bactéria
  • Lesões na pele: causadas por mordidas, picadas de inseto e outros tipos de feridas também podem facilitar a ocorrência da infecção
  • População de risco: Idosos e as pessoas com diabetes ou um sistema imunológico comprometido são mais propensos a desenvolver impetigo e algumas de suas complicações.

Sintomas de Impetigo

Os principais sinais e sintomas de impetigo são:

NÃO PARE AGORA… TEM MAIS DEPOIS DA PUBLICIDADE ;)

NÃO PARE AGORA… TEM MAIS DEPOIS DA PUBLICIDADE ;)

  • Uma ou mais pústulas com pus que facilmente estouram. Em crianças, a pele é avermelhada com aspecto machucado, principalmente onde houve rompimento da pústula
  • Pústulas que coçam, preenchidas com um líquido amarelado
  • Vazamento de pus e formação de crostas
  • Erupções cutâneas que pode começar com um único ponto, mas espalhar-se para outras áreas conforme a pessoa coça
  • Lesões de pele no rosto, lábios, braços ou pernas, que se espalham para outras áreas do corpo
  • Nódulos linfáticos inchados próximos ao local de infecção.

Na consulta médica

Entre os especialistas que podem diagnosticar impetigo estão:

  • Clínico geral
  • Dermatologista
  • Infectologista.

NÃO PARE AGORA… TEM MAIS DEPOIS DA PUBLICIDADE ;)

NÃO PARE AGORA… TEM MAIS DEPOIS DA PUBLICIDADE ;)

Diagnóstico de Impetigo

Os médicos costumam diagnosticar impetigo por meio da observação clínica, dando especial atenção às feridas presentes na pele. Normalmente, testes de laboratório não são necessários para confirmar o diagnóstico.

Mas, caso as feridas não melhorem com o tratamento, o médico deverá avaliar se as terapias utilizadas estão sendo seguidas e realizadas corretamente pelo paciente.

Tratamento de Impetigo

Os antibióticos são a principal forma de tratamento do impetigo. Eles podem ser aplicados diretamente nas feridas por meio de creme ou pomada, ou também podem ser ministrados oralmente, em doses pré-definidas pelo especialista.

NÃO PARE AGORA… TEM MAIS DEPOIS DA PUBLICIDADE ;)

NÃO PARE AGORA… TEM MAIS DEPOIS DA PUBLICIDADE ;)

Atenção: certifique-se de tomar os antibióticos até o final do prazo estabelecido pelo médico, mesmo que as feridas já estejam curadas. Isso ajuda a evitar resistência bacteriana.

Medicamentos para Impetigo

Os remédios mais usados para o tratamento de impetigo são:

  • Bactroban
  • Cefanaxil
  • Ceclor
  • Cefadroxila
  • Cefalotina
  • Ceftriaxona Dissódica
  • Ceftriaxona Sódica
  • Ciprofloxacino
  • Clindamicina
  • Cilodex
  • Clindamin-C
  • Clocef
  • Clordox
  • Levofloxacino
  • Meticorten
  • Mupirocina
  • Nebacetin
  • Oxacilina

NÃO PARE AGORA… TEM MAIS DEPOIS DA PUBLICIDADE ;)

NÃO PARE AGORA… TEM MAIS DEPOIS DA PUBLICIDADE ;)

Somente um médico pode dizer qual o medicamento mais indicado para o seu caso, bem como a dosagem correta e a duração do tratamento. Siga sempre à risca as orientações do seu médico e NUNCA se automedique. Não interrompa o uso do medicamento sem consultar um médico antes e, se tomá-lo mais de uma vez ou em quantidades muito maiores do que a prescrita, siga as instruções na bula.

Complicações possíveis

Impetigo pode levar a algumas complicações, como o surgimento de manchas escuras após a inflamação e, em alguns casos, doenças fora da pele.

Impetigo tem cura?

As lesões do impetigo curam-se lentamente, mas as taxas de cura são altas – desde que o paciente siga as orientações médicas corretamente. Cicatrizes são raras. A reinfecção, no entanto, é comum em crianças.

NÃO PARE AGORA… TEM MAIS DEPOIS DA PUBLICIDADE ;)

NÃO PARE AGORA… TEM MAIS DEPOIS DA PUBLICIDADE ;)

Referências

Revisado por: Dra. Selma Helene, médica dermatologista e membro da Sociedade Brasileira de Dermatologia – CRM: 56736

NÃO PARE AGORA… TEM MAIS DEPOIS DA PUBLICIDADE ;)

NÃO PARE AGORA… TEM MAIS DEPOIS DA PUBLICIDADE ;)

Ministério da Saúde

Sociedade Brasileira de Dermatologia

Источник: https://www.minhavida.com.br/saude/temas/impetigo

O que é Impetigo, tratamento, sintomas, prevenção e mais | MS

Como se cura o impetigo em crianças?

Início » Saúde » Doenças » O que é Impetigo, tratamento, sintomas, prevenção e mais

Impetigo é uma doença bacteriana, infecciosa e contagiosa de pele. Ela normalmente se desenvolve em crianças, sendo uma das mais comuns dermatoses infantis, mas adultos também podem desenvolvê-la. A doença é caracterizada por feridas avermelhadas e que possuem um fluido amarelado. Quando as feridas são estouradas, uma crosta de cor amarelo/marrom se forma em volta da lesão.

De acordo com a Organização Mundial de Saúde (OMS), o impetigo é mais comum em países que estão em desenvolvimento, geralmente por conta da falta de higiene que há neles. Já de acordo com a Agência de Saúde Pública do Canadá, mais de 100 milhões de pessoas são diagnosticadas com a doença anualmente.

Quais são as causas? E a transmissão, como se dá?

Nossa pele é habitada por diversos micro-organismos, incluindo as que causam o impetigo. No caso dessa doença, duas bactérias são as causadoras: a Streptococcus pyogenes e a Staphylococcus aureus.

Para que a doença seja desenvolvida, é preciso que essas bactérias entrem em nossa pele e isso acontece através de uma pequena ferida, corte ou até mesmo uma picada de mosquito. O tempo de incubação da bactéria é de 1 a 10 dias e elas são transmitidas da seguinte maneira:

  • Streptococcus pyogenes: através do contato direto com as lesões.
  • Staphylococcus aureus:  através do contato com as lesões e com objetos contaminados.

Fatores de risco

Por mais que qualquer pessoa possa desenvolver a doença, é preciso ressaltar que alguns fatores de risco contribuem para que isso aconteça. Confira abaixo quais são:

  • Idade: impetigo acontece principalmente em crianças de 2 a 5 anos de idade.
  • Superlotação: a doença se espalha mais facilmente em lugares que possuem uma grande quantidade de crianças (ex: escolas e creches).
  • Tempo úmido: infecções como o Impetigo são mais comuns de ocorrerem no Verão.
  • Prática de esportes de contato: a participação em esportes de contato, como o futebol, aumenta o risco da transmissão do Impetigo.
  • Pele lesionada: as bactérias causadoras do impetigo entram em sua pele através de pequenas lesões.
  • Sistema imunológico comprometido: pessoas idosas ou com diabetes, por exemplo, são mais propensos a desenvolverem a doença.

Tipos e sintomas do Impetigo

Há 3 tipos catalogados de impetigo e, a seguir, você conhecerá quais são e quais sintomas cada um apresenta.

Impetigo comum ou Impetigo não-bolhoso

Esse tipo da doença é a mais recorrente. Ele normalmente começa com pequenas lesões avermelhadas, bem parecidas com picadas de mosquito, que evoluem rapidamente para lesões maiores e com pus e, quando estouradas, formam crostas de cor dourada.

As lesões do impetigo comum normalmente aparecem na face e/ou crânio, mas podem ocorrer também nos braços e pernas do indivíduo. Elas não costumam doer, entretanto causam muito comichão na pessoa. Lembrando que o ato de coçar essas lesões pode favorecer na transmissão da doença através das mãos contaminadas.

Conforme o tempo vai passando, as crostas dessas lesões desaparecem, sem deixar cicatriz alguma.

Esse tipo de impetigo é causado apenas pela bactéria Staphylococcus aureus, que é capaz de produzir toxinas que causam o descolamento da epiderme (camada mais externa da pele), fazendo com que bolhas apareçam. O impetigo bolhoso costuma aparecer nos membros superiores e inferiores, nádegas e tronco.

As suas lesões iniciais se desenvolvem da mesma maneira que no impetigo comum, porém elas evoluem de forma muito rápida para bolhas que contêm um conteúdo amarelado. Quando se rompem, deixam uma crosta amarelo-avermelhada, normalmente maior e mais duradoura do que no impetigo comum. Além desses sintomas, outros como o mal estar e perda de apetite também são comuns.

Sobre a cura das lesões, assim como no impetigo comum elas também costumam sarar sem deixar sequelas.

Diagnóstico

Na maioria das vezes, a doença é diagnosticada apenas com a análise clínica realizada pelo médico, que pode ser tanto o dermatologista (no caso dos adultos) quanto o pediatra (no caso das crianças).

  Como o impetigo produz lesões com crostas e cores características, normalmente não é necessário a realização de testes adicionais no diagnóstico – a não ser que o caso seja de impetigo recorrente ou de ectima, nesses casos há a coleta de material das lesões a fim de serem analisadas em laboratório.

O médico poderá, ainda, fazer algumas perguntas ao paciente para ter a certeza se a infecção é ou não impetigo, tais como:

  • Quando as lesões começaram?
  • Como as lesões se pareciam quando começaram?
  • As lesões são dolorosas ou dão comichão?
  • Alguém da sua família já teve impetigo?
  • Etc.

Tratamento do Impetigo

Por mais que seja uma infecção, o impetigo não é grave e na maioria dos casos cura-se sozinho, apenas com a ajuda de uma boa higiene e o isolamento da pessoa – para que a doença não seja transmitida rápida e facilmente.

Porém, o especialista pode receitar o uso de algum antibiótico para que a chance de transmissão da doença para outras pessoas seja reduzida, além de acelerar a cura das lesões e diminuir os riscos de complicações da doença.

Dentre esses antibióticos, há a possibilidade deles serem aplicados diretamente na ferida, por meio de creme ou pomada, ou serem ministrados oralmente, em doses pré-estabelecidas. Lembre-se de sempre se consultar com um médico especialista em dermatoses antes de fazer uso de qualquer medicamento.

Medicamentos fitoterápicos

Atenção: o uso desses métodos deve ser feito como complemento aos medicamentos previamente indicados pelo seu médico.

  • Óleo da árvore do chá (melaleuca, tee tree);
  • Pomada de calêndula.

Atenção! 

NUNCA se automedique ou interrompa o uso de um medicamento sem antes consultar um médico. Somente ele poderá dizer qual medicamento, dosagem e duração do tratamento é o mais indicado para o seu caso em específico.

As informações contidas nesse site têm apenas a intenção de informar, não pretendendo, de forma alguma, substituir as orientações de um especialista ou servir como recomendação para qualquer tipo de tratamento.

Siga sempre as instruções da bula e, se os sintomas persistirem, procure orientação médica ou farmacêutica.

Complicações

Como já mencionado, o impetigo não é uma doença grave e nem perigosa. Por isso, raramente há alguma complicação referente a essa doença – mas elas existem. Veja abaixo quais são essas complicações.

  • Celulite: contrária ao que toda mulher, principalmente, pensa, a celulite é uma infecção grave que afeta os tecidos subjacentes da pele, podendo se espalhar para os nódulos linfáticos e também na corrente sanguínea. Quando não tratada rapidamente, ela pode ser fatal.
  • Problemas renais: uma das bactérias causadoras do impetigo também pode afetar os rins.
  • Cicatrizes: as lesões do ectima, tipo mais grave de impetigo, pode deixar cicatrizes no corpo do paciente.

Como prevenir o Impetigo

Se você está com impetigo ou conhece alguém que esteja, é interessante que você não tenha contato próximo a ela, pois a doença pode ser facilmente transmitida através do contato direto com a ferida ou a partir de objetos contaminados pela pessoa doente. Além disso, manter-se com a pele limpa o melhor que você conseguir também ajuda.

Dentre outras formas de prevenção, estão:

  • Lavar as áreas afetadas com sabão neutro delicadamente e, após o enxágue, cobrir com gaze;
  • Lavar as roupas, lençóis e toalhas do doente todos os dias e não compartilhá-los com outros membros da família;
  • Usar luvas ao aplicar a pomada antibióticos e lavar bem as mãos após;
  • Cortar as unhas da criança infectada para que ela evite de se arranhar e, assim, se infectar novamente;
  • Lavar as mãos com frequência;
  • Manter a pessoa infectada em casa até o médico apontar que ela já não é mais contagiosa para os demais.

Feito o uso dessas recomendações e também da propagação dessas informações do artigo, a prevenção e o conhecimento sobre o impetigo aumenta. Portanto, nos ajude com o seu compartilhamento, seja para amigos ou familiares!

Referências

http://www.webmd.com/skin-problems-and-treatments/tc/impetigo-overview
http://www.mdsaude.com/2011/05/impetigo-bolhoso.html
http://www.criasaude.com.br/N8034/doencas/impetigo.html
http://www.mayoclinic.org/diseases-conditions/impetigo/home/ovc-20202557
http://www.minhavida.com.br/saude/temas/impetigo
http://www.healthline.com/health/impetigo

Источник: https://minutosaudavel.com.br/o-que-e-impetigo-tratamento-sintomas-prevencao-e-mais/

Remédios para Impetigo

Como se cura o impetigo em crianças?

O tratamento pra impetigo é feito conforme a orientação do médico e é normalmente indicado aplicar uma pomada de antibiótico 3 a 4 vezes por dia, por 5 a 7 dias, diretamente na ferida até não existam mais sintomas. É importante que o tratamento seja iniciado o mais rápido possível para evitar que a bactéria atinja regiões mais profundas da pele, cause complicações e torne o tratamento mais difícil.

O impetigo é mais frequente nas crianças e é contagioso, por isso é recomendado que a pessoa infectada não vá à escola ou trabalho até que a doença tenha sido controlada. Durante o tratamento é importante também separar toda a roupa, tolhas, lençóis e objetos de uso pessoal para evitar que a doença passe para outras pessoas.

Quando a pessoa apresenta pequenas feridas com crosta na pele estas podem ser removidas com água e sabão, o que costuma ser suficiente. No entanto, quando as feridas são grandes, tendo mais de 5 mm de diâmetro não se deve remover a crosta, mas sim passar a pomada ou a loção recomendada pelo médico.

Impetigo leve

Para tratar o impetigo, o médico normalmente recomenda o uso de pomadas antibióticas, como Bacitracina, Ácido Fusídico ou Mupirocina, por exemplo. Porém, o uso constante ou frequente dessas pomadas podem levar à resistência bacteriana, não sendo indicado que sejam usadas por mais de 8 dias ou de forma frequente.

Alguns outros remédios para Impetigo que podem ser indicadas pelo médico são:

  • Loção antisséptica, como o Merthiolate, por exemplo, para eliminar outros microrganismos que possam estar presentes e causar complicações;
  • Pomadas antibióticas como Neomicina, Mupirocina, Gentamicina, Retapamulina, Cicatrene, ou Nebacetin por exemplo – Saiba como usar o Nebacetin;
  • Amoxicilina + Clavulanato, que pode ser usado em bebês e crianças, quando há muitas lesões ou sinais de complicações;
  • Compridos antibióticos, como Eritromicina ou Cefalexina, quando há muitas lesões na pele.

Além disso, o médico pode recomendar passar soro fisiológico para amolecer as feridas, aumentando a eficácia da pomada. O tratamento dura entre 7 e 10 dias, e mesmo que as feridas na pele desapareçam antes, é preciso manter o tratamento durante todos os dias indicados pelo médico.

Sinais de melhora e piora

Os sinais de melhora começam a surgir entre 3 e 4 dias após o início do tratamento, com a diminuição do tamanho das feridas. Após 2 ou 3 dias do início do tratamento a pessoa já pode voltar à escola ou trabalho porque a doença deixa de ser transmissível.

Os sinais de piora geralmente surgem quando o tratamento não é realizado, sendo que o primeiro sinal pode ser o aparecimento de novas feridas na pele. Neste caso, o médico pode solicitar antibiograma para identificar a bactéria causadora da infeção e assim poder indicar o antibiótico mais indicado.

Possíveis complicações

As complicações devido ao impetigo são raras e afetam mais as pessoas que tem o sistema imune comprometido, como por exemplo pessoas em tratamento contra a AIDS ou câncer, ou pessoas com doença autoimune, por exemplo. Nessas situações, pode haver aumento das feridas na pele, celulite, osteomielite, artrite séptica, pneumonia, glomerulonefrite ou septicemia, por exemplo.

Alguns sinais de que podem haver complicações, são urina escura, ausência de urina, febre e calafrios, por exemplo.

O que fazer para não ter impetigo de novo

Para evitar ter impetigo novamente deve-se seguir o tratamento indicado pelo médico até que as feridas estejam totalmente curadas.

Por vezes as bactérias ficam armazenadas dentro do nariz por longos períodos e por isso, se a criança colocar o dedo dentro do nariz para remover sujeira ou por hábito, suas unhas poderão cortar a pele e a proliferação dessas bactérias podem acontecer novamente.

Assim, é muito importante usar a pomada antibiótica por até 8 dias consecutivos e ensinar a criança que ela não pode colocar o dedo no nariz, para evitar que pequenas lesões aconteçam.

Manter as unhas da criança sempre bem curtinhas e limpar seu nariz diariamente com soro fisiológico também são ótimas estratégias para evitar que o impetigo surja novamente.

Saiba mais sobre a transmissão do impetigo.

Cuidados para não passar a doença para outros

Para evitar a transmissão do impetigo para outras pessoas, é recomendado que a pessoa lave bem as mãos com água e sabonete várias vezes ao dia, além de evitar tocar em outras pessoas e compartilhar pratos, copos e talheres, por exemplo.

Também é importante evitar cobrir as feridas na pele com muita roupa, deixando a pele respirar e manter as unhas cortadas e lixadas para evitar possíveis infecções que podem ser causadas por coçar as feridas com as unhas sujas.

Depois de tratar das feridas da criança os pais precisam lavar as mãos e manter as unhas curtas e lixadas para evitar a contaminação.

A alimentação não precisa ser especial, mas é recomendado ingerir mais água ou líquidos como suco de fruta natural ou chás para acelerar a recuperação e evitar o ressecamento da pele, que poderia piorar as lesões.

O banho deve ser tomado pelo menos 1 vez por dia, e os remédios devem ser aplicados em todas as feridas logo a seguir ao banho. Toalhas de rosto, de banho, toalhinha de mão e roupas devem ser separadas diariamente para lavar com água quente e sabão, separadamente das outras roupas da família, para não espalhar a doença.

Источник: https://www.tuasaude.com/tratamento-para-impetigo/

Embarazo y niños
Deja una respuesta

;-) :| :x :twisted: :smile: :shock: :sad: :roll: :razz: :oops: :o :mrgreen: :lol: :idea: :grin: :evil: :cry: :cool: :arrow: :???: :?: :!: