Curso de Primeiros Socorros, uma grande ajuda para os pais!

Contents
  1. Primeiros socorros: o que são, procedimentos, técnicas
  2. → Omissão de socorro
  3. → Primeiros socorros em caso de queimaduras
  4. → Primeiros socorros em casos de intoxicações
  5. → Primeiros socorros em caso de picada de serpente peçonhenta
  6. → Primeiros socorros em caso de engasgo
  7. → Primeiros socorros em caso de fraturas
  8. → Primeiros socorros em caso de desmaio
  9. → Primeiros socorros em caso de convulsão
  10. Primeiros socorros: entenda a importância de fazer um curso | Escola de Enfermagem da Paz
  11. Qual a importância do curso de capacitação em primeiros socorros?
  12. A Lei Lucas
  13. O que é abordado no curso de primeiros socorros?
  14. Segurança do paciente
  15. Identificação de riscos
  16. Reanimação cardiorrespiratória (RCP)
  17. Engasgamento
  18. Sangramentos e hemorragias
  19. Quais são os principais equipamentos de primeiros socorros?
  20. Luvas e máscaras
  21. Colar cervical
  22. Talas
  23. Algodão, gaze e bandagens
  24. Soro fisiológico
  25. Termômetro
  26. Como os primeiros socorros podem salvar a vida dos idosos?
  27. Queda
  28. Queimaduras
  29. Machucado no olho
  30. O que deve ser evitado em um atendimento de primeiros socorros ao idoso?
  31. Onde é possível realizar esse curso?
  32. Primeiros socorros nas escolas: prepare-se para lidar com emergências
  33. O que precisa ter no kit de primeiros socorros nas escolas?
  34. E quais são os equipamentos úteis para resgate e primeiros socorros nas escolas?
  35. Em caso de acidentes com alunos, o que fazer, para onde ligar e pedir ajuda?
  36. Casos de primeiros socorros na escola e como agir
  37. 1. Primeiros socorros em caso de sufocamento
  38. 2. Primeiros socorros em caso de Paradas Cardíacas
  39. 3. Primeiros socorros em caso de Intoxicação
  40. 4. Primeiros socorros em caso de sangramento nasal
  41. 5. Primeiros socorros em caso de Convulsões
  42. 6. Primeiros socorros em caso de afogamento
  43. Como preparar sua escola para os primeiros socorros
  44. Posts Relacionados
  45. Primeiros socorros: o que são, procedimentos, dicas
  46. → Telefones úteis em caso de emergência

Primeiros socorros: o que são, procedimentos, técnicas

Curso de Primeiros Socorros, uma grande ajuda para os pais!

Primeiros socorros são intervenções que devem ser feitas de maneirarápida, logo após o acidente ou mal súbito, que visam a evitar o agravamento do problema até que um serviço especializado de atendimento chegue até o local. Essas intervenções são muito importantes, pois podem evitar complicações e até mesmo evitar a morte de um indivíduo.

Antes de qualquer procedimento de primeiro socorro, é importante que o socorrista tenha em mente a necessidade de:
 

  • Manter a calma;
  • Afastar os curiosos;
  • Garantir que serviço de emergência seja chamado.
Telefones úteis em caso de emergência
Samu192
Corpo de Bombeiros193
Disque-intoxicação (Anvisa)0800-722-6001
Defesa Civil199
Polícia Militar 190

É muito importante salientar que algumas pessoas não estão preparadas para realizar os primeiros socorros e, portanto, o ideal é que deixe outra pessoa realizar os procedimentos adequados e auxiliar de outra maneira, como, buscando socorro.

Leia também: 10 principais causas de morte no mundo

Não pare agora… Tem mais depois da publicidade ;)

Omissão de socorro

A omissão de socorro é considerada crime em nosso país.Segundo o Decreto-Lei Nº 2.848, de 7 de dezembro de 1940, deixar de prestar assistência a uma pessoa em risco pode resultar em detenção ou multa. Veja o art. 135 que aborda o tema:

Art. 135 – Deixar de prestar assistência, quando possível fazê-lo sem risco pessoal, à criança abandonada ou extraviada, ou à pessoa inválida ou ferida, ao desamparo ou em grave e iminente perigo; ou não pedir, nesses casos, o socorro da autoridade pública:Pena – detenção, de um a seis meses, ou multa.Parágrafo único – A pena é aumentada de metade, se da omissão resulta lesão corporal de natureza grave, e triplicada, se resulta a morte.

Primeiros socorros em caso de queimaduras

Queimaduras são situações relativamente comuns no nosso dia a dia.

Elas são classificadas, de acordo com o dano causado, em queimadura de primeiro grau, queimadura de segundo grau e queimadura de terceiro grau.

A queimadura de primeiro grau afeta apenas a epiderme (camada mais externa da pele), já a de segundo grau afeta a derme e epiderme, enquanto a de terceiro grau atinge também o tecido abaixo da pele.

Em caso de queimadura leve, é importante colocar a região queimada em água corrente.

O primeiro passo em caso de queimadura é retirar a pessoa da região próxima à fonte de calor. Feito isso, deve-se avaliar a lesão. Se o dano for leve, recomenda-se lavar o local com água corrente ou colocar compressas de soro fisiológico para reduzir a temperatura do local. Caso apareçam bolhas, elas nunca devem ser furadas.

Se ao avaliar a lesão, você perceber que o dano é grave, é fundamental procurar ajuda médica imediatamente. Outro ponto importante é nunca passar no local nenhuma substância caseira nem mesmo medicamentos sem que sejam recomendados por um médico.

Primeiros socorros em casos de intoxicações

As intoxicações ocorrem em consequência à ingestão,inalação ou contatocom a pele de determinadas substâncias.

Plantas tóxicas, alimentos contaminados, produtos de limpeza, remédios, soda, inseticidas e formicidas são exemplos de produtos que podem causar intoxicações.

As intoxicações podem ser identificadas por causar, por exemplo, irritação nos olhos, garganta e nariz, salivação abundante, vômito, diarreia, convulsões, queda de temperatura, asfixia, tontura e sonolência.

Em caso de intoxicações, o recomendado é identificar o agente causador da intoxicação e solicitar atendimento especializado. A pessoa, nesse momento, deve ser deixada imóvel e caso a intoxicação seja por produtos derivados de petróleo e corrosivos, como soda cáustica, alvejantes, tira ferrugem, amônia, gasolina, querosene e benzina, não se pode provocar vômito.

Leia também: Plantas tóxicas

Primeiros socorros em caso de picada de serpente peçonhenta

Algumas serpentes apresentam toxinas que podem levar à morte, sendo fundamental atendimento rápido.

Algumas serpentes são capazes de injetar toxinas que podem causar grandes danos ao organismo e até mesmo a morte. Sendo assim, em caso de acidente com serpentes, é importante realizar alguns procedimentos rapidamente.

Os primeiros socorros consistem em lavar a área da picada com água e sabão, colocar o acidentado em posição confortável, de preferência deixando a vítima deitada com a área afetada em um nível abaixo do coração e levar a vítima ao atendimento médico mais rápido. É fundamental não aplicar qualquer substância, não fazer cortes no local e nem amarrar ou fazer torniquetes. Outro ponto importante é não deixar a vítima locomover-se por meios próprios. Caso seja possível, levar a cobra para a identificação.

Leia também: Serpentes peçonhentas brasileiras

Primeiros socorros em caso de engasgo

O engasgo ocorre quando algum alimento ou um objeto bloqueia as vias respiratórias, impedindo a realização da respiração. Por impedir que a vítima respire, um socorro rápido é necessário para evitar a morte por asfixia.

A manobra de Heimlich visa a eliminar o objeto que está bloqueando as vias respiratórias.

Inicialmente, o socorrista deve acalmar a vítima e, posteriormente, aplicar a técnica conhecida como manobra de Heimlich. Nessa manobra, o socorrista posiciona-se logo atrás da vítima e coloca o braço ao redor abdome dela.

Uma mão fica fechada sobre a boca do estômago e a outra mão é posicionada em cima da primeira e a comprime.

Os movimentos de compressão deverão ser feitos para dentro e para cima, permitindo que o objeto que está bloqueando a via respiratória seja eliminado.

Em bebês, deve-se colocar a criança com a barriga para baixo sobre seu antebraço, deixando a cabeça mais baixa que o corpo, e dar cinco pancadas utilizando o punho da mão.

Vire a criança para cima apoiando sua cabeça e deixando-a mais baixa que o corpo e observe se ocorreu a saída do objeto. Caso o objeto não tenha saído, aplique cinco compressões rápidas no tórax entre a linha dos mamilos utilizando os dois dedos maiores da mão.

Se as manobras não funcionarem, pedir ajuda rapidamente e continuar tentando o procedimento.

Primeiros socorros em caso de fraturas

Dizemos que ocorreu uma fratura quando o osso perde sua continuidade. A fratura pode ser exposta quando a pele é rompida e pode-se ver o osso, e fechada quando a pele não se rompe. Em ambos os casos, é fundamental ajuda médica profissional para que a recuperação do osso seja feita de maneira adequada.

Em caso de fratura deve-se imobilizar o local lesionado.

Primeiramente, o socorrista deve imobilizar a região acometida para evitar a movimentação dos fragmentos dos ossos lesionados. Não se deve tentar colocar o osso no local, pois isso pode agravar o quadro, caso seja feito de maneira inadequada.

Em caso de fraturas expostas, é necessário tentar controlar, caso esteja presente, a hemorragia com um pano limpo que deve ser colocado sobre o local e pressionado.

Lembre-se que fraturas em costas e pescoço necessitam de mais atenção e a movimentação só deve ser feita por profissionais.

Leia também: Diferença entre fratura, entorse e luxação

Primeiros socorros em caso de desmaio

O desmaio caracteriza-se como uma perda transitória de consciência e, diferentemente do que muitos pensam, geralmente, não é uma situação que é considerada uma ameaça à vida.

O desmaio pode ser causado por diferentes causas como, por exemplo, hipoglicemia, cansaço, fortes emoções, calor intenso, dores e mudanças súbitas de posição.

Os maiores problemas decorrentes de desmaio estão no fato de que a queda pode levar ao desenvolvimento de lesões.

Apesar de o desmaio ser uma situação que preocupa muitas pessoas, geralmente, não causa ameaça à vida.

Ao presenciar um desmaio, algumas medidas podem ser tomadas, como deitar a vítima, afrouxar suas roupas, garantir que o ambiente fique arejado e elevar os membros inferiores. Caso a pessoa sinta a sensação de que irá desmaiar, essa pode ser orientada a se sentar e colocar a cabeça entre os joelhos ou então se deitar.

Primeiros socorros em caso de convulsão

As convulsões podem ser definidas como crisesepiléticas em que se observa um acometimento do sistema motor, geralmente, desencadeando uma série de contrações musculares violentas, salivação, palidez, lábios azulados e perda da consciência.

Em caso de convulsões, algumas medidas são importantes, sendo a primeira delas tentar evitar que a vítima caia desamparadamente. Tente deitar a vítima e afastar de perto dela objetos que podem ser perigosos. Suas roupas devem ser afrouxadas e o rosto virado para o lado para evitar engasgos.

Não se deve interferir nos movimentos, nem colocar objetos entre os dentes da vítima. Quando a convulsão passar, mantenha a vítima deitada até a recuperação da consciência. Caso a convulsão demore mais de 5 minutos, é essencial chamar o serviço de emergência.

Por Ma. Vanessa Sardinha dos Santos

Источник: https://brasilescola.uol.com.br/saude/primeiros-socorros.htm

Primeiros socorros: entenda a importância de fazer um curso | Escola de Enfermagem da Paz

Curso de Primeiros Socorros, uma grande ajuda para os pais!

O Brasil é um país com elevado número de acidentes de trânsito. Segundo a Polícia Rodoviária Federal, em um período de 10 anos, morreram, em média, 23 pessoas por dia vítimas de traumas em acidentes, sendo que mais de 1 milhão ficaram feridas, no total.

Embora nos atenhamos às estatísticas de trânsito, situações muito mais simples podem ocasionar danos irreversíveis na vida de uma pessoa em casa, na rua e até mesmo no trabalho. Já imaginou o que você faria caso se deparasse com alguém em asfixia ou com intoxicação, por exemplo?

Pensando nisso, elaboramos este conteúdo com os aspectos básicos do curso de capacitação em primeiros socorros, cujos ensinamentos são fundamentais não apenas para profissionais da saúde, mas para toda a população — principalmente os leigos no assunto. Quer saber mais? Continue a leitura!

Qual a importância do curso de capacitação em primeiros socorros?

Entender a importância dos primeiros socorros é muito simples: é possível salvar a vida de um ser humano por meio de práticas corretas. Pensando pelo lado social, é incomparável e incalculável o valor de uma vida.

Pequenas situações cotidianas podem resultar em acidentes potencialmente fatais. Uma intoxicação, uma queimadura, um corte ou até mesmo um simples engasgo são eventos que representam grande risco caso a assistência prestada logo após o ocorrido seja insuficiente ou ineficaz.

Infelizmente, em setembro de 2017, na cidade de Campinas, um garoto de apenas 10 anos foi a óbito por asfixia mecânica, em decorrência de um engasgo com o lanche. Na ocasião, ele estava em uma excursão escolar, na qual não havia nenhuma pessoa capacitada para prestar assistência diante do acidente.

Além disso, não prestar ou não pedir o socorro é considerado crime pelo Código Penal Brasileiro, quando possível fazê-lo sem risco pessoal.

Quando não se sabe as principais técnicas a serem utilizadas, o mínimo que pode ser feito é acionar socorro especializado — socorristas, bombeiros e médicos.

No entanto, conhecer as primeiras medidas a serem aplicadas na vítima pode evitar que situações se agravem e, até mesmo, salvar uma vida.

O objetivo é que, mesmo com limitações, seja possível evitar que uma emergência se torne mais grave para o paciente. Quando o responsável pelo socorro é um profissional que atua na área da saúde, será possível, ainda, identificar as melhores condições para desenvolver a função.

A Lei Lucas

Em outubro de 2018, foi aprovada a chamada Lei Lucas, inspirada na história que contamos anteriormente, sobre o garotinho que perdeu a vida devido a uma asfixia mecânica causada por um engasgo.

Levando em conta o contexto do acontecimento, a Lei Lucas torna obrigatória a capacitação em primeiros socorros para profissionais de escolas, sejam públicas ou privadas. Além disso, a certificação dos colaboradores deve ser exposta, estando o estabelecimento sujeito à multa caso não atenda a esse requisito.

Embora a lei em questão seja obrigatória apenas para locais de ensino, independentemente de onde estiver, caso alguém tenha se acidentado de alguma forma não consiga socorrer a si mesmo, é necessário realizar condutas que ajudem a preservar a vida dessa pessoa até o socorro adequado chegar com melhores recursos.

Vale ressaltar, ainda, que nem sempre os primeiros socorros são realizados para devolver a saúde em sua plenitude. Em diversos momentos, eles apenas reduzem as sequelas, mas sempre prezando pela manutenção das condições mínimas de vida.

O que é abordado no curso de primeiros socorros?

Até aqui, apresentamos alguns exemplos de situações que requerem conhecimento de primeiros socorros para que a vítima seja bem assistida nos primeiros minutos após um incidente. Mas, afinal, quais conteúdos oferecem capacitação a quem presta socorro? Veja a seguir!

Segurança do paciente

Em um cenário de acidente, por exemplo, é fundamental a quem presta socorro garantir a própria segurança, lembrando-se, ainda, de assegurar a do paciente também. Isso viabiliza que as condutas sejam realizadas sem o risco de maiores danos provocados por causas externas.

Identificação de riscos

Além de garantir a segurança de todas as partes envolvidas na situação, é preciso analisar a vítima como um todo. Assim, as demais eventualidades que poderiam representar fator de piora podem ser evitadas, como manter vias aéreas livres de possível broncoaspiração.

Embora tenha sido citado um exemplo específico, outros fatores como a aglomeração de pessoas ao redor e o local em que a vítima está posicionada podem representar potenciais riscos para a vítima e para quem for socorrer.

Reanimação cardiorrespiratória (RCP)

Abordando agora casos específicos de primeiros socorros, é preciso mencionar uma prática muito eficaz na manutenção da vida: a reanimação cardiorrespiratória.

Antes de realizar as manobras propriamente ditas, é preciso identificar a parada cardíaca. Portanto, é ensinada no curso a avaliação básica das vias aéreas, responsividade da vítima, respiração e circulação para identificar a necessidade da reanimação, além de como executá-la corretamente.

Engasgamento

Uma das situações mencionadas acima e relacionada à Lei Lucas é o engasgo. Detectar um engasgo é simples: dificuldade de respirar e falar, mas realizar o socorro correto requer treinamento.

As manobras de salvamento específicas para esse caso são conhecidas como manobras de Heimlich, e elas podem variar de acordo com a idade da vítima. No curso, são ensinadas as técnicas corretas de posicionamento e a movimentação necessária para prestar esse tipo de socorro.

Sangramentos e hemorragias

Quem nunca cortou o dedo ou sofreu com sangramento nasal? Essas são situações cotidianas e podem ser agravadas por práticas equivocadas nos primeiros socorros. Em situações de sangramentos nasais, por exemplo, o mais indicado é inclinar a cabeça para trás?

Por meio do curso, é possível aprender esta e outras as condutas corretas de acordo com o nível de complexidade da lesão. E se o sangramento não for nasal? Nesse caso, é fundamental para quem presta socorro saber como estancar a hemorragia e fazer o curativo inicial.

Quais são os principais equipamentos de primeiros socorros?

Contar com os principais equipamentos para primeiros socorros é fundamental para que a vítima tenha maiores possibilidades de sobreviver. A seguir, veja os principais itens que podem compor esse conjunto de ferramentas.

Luvas e máscaras

Para tratar de ferimentos, independentemente do seu tamanho ou profundidade, cuidar da higiene é indispensável. Por isso, o uso das luvas é um meio eficaz de impedir a proliferação de bactérias e, consequentemente, a infecção do ferimento.

Além disso, as luvas e as máscaras garantem segurança a quem está lidando com a lesão, evitando o contágio de doenças que possam ser transmitidas pelo contato com o sangue de quem estiver infectado.

Colar cervical

Um dos equipamentos mais importantes para compor o kit de primeiros socorros é o colar cervical, devido à sua função de imobilizar as articulações da região cervical, deixando-a em posição neutra.

Talas

As talas são usadas para imobilizar o membro afetado quando houver trauma, ou seja, no caso de ossos quebrados ou fraturas expostas, evitando problemas mais sérios.

Algodão, gaze e bandagens

Tanto o algodão quanto a gaze ou um pano limpo podem ser usados para limpar ferimentos e comprimir lesões, impedindo que sangramentos em excesso ocorram. Porém, o mais indicado é o uso da gaze, pois o algodão pode soltar fibras que ao entrar em contato com a pele ferida poderão causar inflamações.

Também existem as bandagens, que são importantes para imobilizar regiões do corpo que sofreram torções.

Soro fisiológico

O soro fisiológico é uma solução salina muito usada para realizar a limpeza de áreas sensíveis, como os olhos, protegendo o corpo humano de substâncias indesejadas. Ele realiza a imunização passiva, atuando de forma direta contra toxinas bacterianas.

Termômetro

Quando o paciente ou vítima se encontra com algum quadro infeccioso, o corpo reage para tentar eliminar o organismo estranho. Isso faz com que a temperatura corporal seja um indicador eficaz para apontar se alguém está sofrendo com alguma infecção.

Nesse contexto, o termômetro ajuda a identificar uma possível febre alta, em torno dos 38ºC, que indica a necessidade de cuidados especiais ou, ainda, um quadro agravado, que exige atendimento ágil.

Como os primeiros socorros podem salvar a vida dos idosos?

Na terceira idade, é mais fácil sofrer algum tipo de acidente, pelo fato de a saúde do indivíduo se tornar um pouco mais debilitada e o corpo responder de forma mais lenta aos movimentos. Por esse motivo, é importante que algum familiar ou profissional capacitado tenha conhecimentos específicos sobre primeiros socorros para idosos.

Entre os principais incidentes que podem ocorrer nessa faixa etária estão quedas, engasgamentos, queimaduras e machucados nos olhos. Em todos esses casos, é a ação adequada que vai impedir que o caso se agrave.

Para contribuir caso alguma dessas emergências ocorra, separamos alguns pontos importantes sobre como proceder nesses casos — além de, é claro, manter a calma, a rapidez e chamar o socorro. Confira!

Queda

No caso de uma queda grave, o indicado é não mexer na vítima, mantê-la imobilizada e solicitar o socorro imediatamente. Em casos simples, é possível colocar um saco de gelo na região para minimizar o inchaço.

Agora, se a pessoa for idosa e bater a cabeça, é preciso levá-la ao atendimento médico para averiguar se está tudo certo, já que algumas vezes é preciso fazer exames específicos, como o de raio-X.

Queimaduras

No caso de queimaduras provocadas por calor, é preciso lavar a parte ferida com água corrente promovendo o resfriamento, e, em seguida, higienizar o local com gaze embebida com soro fisiológico. Não use receitas caseiras, como colocar pasta de dente sobre o machucado, não estoure as bolhas, já que isso não vai funcionar e ainda pode piorar o ferimento.

Machucado no olho

Se a vítima ferir o olho com algum corpo estranho pequeno, oriente para que ele não fique friccionando a região e insira um pouco de soro fisiológico. Instrua a fechar ambos os olhos cobrindo-os com um tecido e leve-o imediatamente a um local onde ele possa receber atendimento médico.

Em todas essas situações, para garantir um socorro efetivo à vítima, é importante manter os principais itens de primeiros socorros em casa.

O que deve ser evitado em um atendimento de primeiros socorros ao idoso?

Existem algumas práticas que podem contribuir para o agravamento das condições de saúde do idoso e, portanto, devem ser excluídas no momento de prestar os primeiros socorros às vítimas. Veja quais são:

  • forçar vômito caso a vítima tenha ingerido algum objeto estranho;
  • mover bruscamente a pessoa que sofreu uma queda;
  • tentar realizar diagnósticos por conta própria, caso o idoso passe mal;
  • usar algum remédio caseiro na queimadura;
  • administrar medicamentos sem orientação médica, entre outros.

Como ficou claro até aqui, com o passar da idade, os idosos vão se tornando cada vez mais vulneráveis. Por isso, qualquer tipo de acidente pode gerar sérias consequências. Uma simples caminhada dentro da residência pode oferecer riscos, e é por isso que é importante que cuidadores de idosos ou profissionais de enfermagem tenham conhecimentos específicos sobre primeiros socorros.

Por fim, é importante ressaltar que, embora essas habilidades gerem segurança para as pessoas de terceira idade, também é preciso implementar outras medidas para evitar acidentes. Dentre elas, pode-se mencionar a escolha por pisos não escorregadios na casa, a instalação de barras de segurança no banheiro e a remoção de obstáculos nos cômodos mais transitados.

Onde é possível realizar esse curso?

Agora que você já conhece os principais aspectos abordados em um curso de primeiros socorros, é preciso saber à qual instituição recorrer a fim de se capacitar na área.

A Escola da Paz oferece qualificação nesse quesito, abrangendo procedimentos e técnicas de nível básico para prestar assistência a uma vítima enquanto ela aguarda pela chegada do socorro especializado.

O curso é oferecido com a carga horária de 15 horas e não há pré-requisito para realização da matrícula — ou seja, qualquer pessoa interessada, leiga ou profissional da saúde, pode fazê-lo.

Confira os conteúdos abordados nas aulas:

  • Sistema de Emergências Médicas (SEM);
  • aspectos legais e éticos nos atendimentos de emergência;
  • atendimento de emergências — intervenção de leigos,
  • precauções universais;
  • avaliação básica — vias aéreas, respiração e circulação;
  • avaliação inicial, avaliação da vítima, exame físico e histórico de saúde;
  • estado de choque e hemorragias;
  • ferimentos abertos e fechados, amputação;
  • envenenamentos e intoxicações por substâncias exógenas;
  • queimaduras químicas, elétricas e térmicas;
  • ferimentos músculo esqueléticos — fraturas, luxações, entorses;
  • emergências clínicas — parada cardíaca, crises convulsivas, AVC, desmaio etc;
  • emergências obstétricas;
  • acidentes com animais peçonhentos;
  • combate a princípio de incêndio;
  • aulas práticas de RCP e imobilização.

Uma vez apresentada a grade curricular, é possível chegar à conclusão de que o curso de capacitação em primeiros socorros é bem completo, abordando as principais situações que um acidente pode envolver.

Saber colocar o aprendizado em prática é essencial para oferecer à vítima maiores chances de continuar a viver, mantendo-a estável até a chegada de socorro e cumprindo não apenas com aspectos legais, mas também de humanização.

O que você está esperando para começar a sua capacitação? Esclareça suas dúvidas sobre os principais cursos e matricule-se já!

Источник: https://www.escoladapaz.com.br/blog/por-que-fazer-um-curso-de-primeiros-socorros-entenda-a-importancia/

Primeiros socorros nas escolas: prepare-se para lidar com emergências

Curso de Primeiros Socorros, uma grande ajuda para os pais!

No espaço escolar, é comum a ocorrência de acidentes, principalmente, envolvendo alunos. O crescente registro de emergências nesse ambiente vem reforçando a necessidade de discussões e orientações quanto aos primeiros socorros nas escolas.

Dados da ONG Criança Segura comprovam que acidentes são as maiores causa de morte de crianças de 01 a 14 anos no Brasil. Sendo que grande parte desses casos poderia ser evitada por prevenção ou mesmo com um pronto atendimento realizado por pessoas preparadas.

Não à toa, a Lei Lucas – projeto criado após o menino Lucas, de Campinas, falecer ao engasgar com um pedaço de salsicha de cachorro quente em passeio escolar e que obriga a capacitação de professores e funcionários de escolas, públicas e privadas, de ensino infantil e básico sobre atendimento de primeiros socorros  – é uma das medidas mais preventivas quando o assunto são acidentes em ambientes escolares.

Ao nos depararmos com casos como esses, fica clara a importância do preparo adequado de professores e funcionários das escolas. A instrução adequada, tanto para agir em situações de emergência e ou mesmo para prevenção de acidentes, é crucial para salvar a vida dos alunos. 

E é sobre isso que abordaremos nesse artigo. Levantando as principais informações sobre kits de primeiros socorros, telefones e equipamentos úteis. Além de orientações aos professores em caso de sangramento nasal, intoxicação, engasgamentos, convulsões, paradas cardíacas, desmaios, entre outros possíveis acidentes.

Aproveite a leitura!

O que precisa ter no kit de primeiros socorros nas escolas?

Pode parecer, mas essa não é uma pergunta tão simples assim.

Em quase todo lar ou escola brasileira é possível encontrar um kit de primeiros socorros, mas eles realmente estão completos?

Na dúvida, o primeiro ponto é se certificar que o kit esteja em um lugar seguro, para o acesso rápido de adultos. E se ele compreende uma diversidades de materiais para o maior número de possíveis situações e acidentes.

Por isso selecionamentos abaixo uma lista completa de itens importantes para um kit de primeiros socorros nas escolas:

  • Gaze
  • Compressa
  • Atadura de crepom de 10 cm
  • Micropore
  • Esparadrapo
  • Bolsa Termogel
  • Luvas cirúrgicas descartáveis
  • Almotolia de Sabão Líquido
  • Soro fisiológico 0,9%
  • Band-Aid
  • Tesoura sem ponta
  • Termômetro Digital
  • Frasco de Álcool 70%
  • Desfibrilador Externo Automático DEA 
  • Água oxigenada – volume 10
  • Algodão
  • Antisséptico
  • Cotonetes
  • Pinças
  • Pomada para queimadura
  • Repelente contra insetos
  • Remédios e medicamentos (ex: Paracetamol, ibuprofeno ou cetirizina) ​
  • Solução de iodo
  • Toalhas antissépticas

E quais são os equipamentos úteis para resgate e primeiros socorros nas escolas?

Para além do kit de primeiros socorros nas escolas, assim como outras instituições, é preciso contar com outros itens úteis para resgate e tratamento de emergências.

Listamos abaixo os itens que o kit de primeiros socorros precisa ter a fim de salvar a vida dos alunos e prevenir outros acidentes em sua escola:

  • Boias
  • Lanterna
  • Lençóis descartáveis
  • Sabonete neutro
  • Tala de imobilização
  • Torniquete elástico

Em caso de acidentes com alunos, o que fazer, para onde ligar e pedir ajuda?

Em momentos de acidentes é bastante comum que nos esqueçamos de informações importantes como números de emergência. E ligar para o resgate é a primeira e mais importante ação que deve ser tomada em casos de acidentes.

Afinal, o tempo de resgate é crucial para salvar a vida das crianças, sendo assim é importante que os números de telefones das principais agentes de socorro estejam salvos e de fácil acesso. Tanto nas agendas de celular quanto em locares físicos nas escolas. 

Listamos abaixo os principais telefones úteis e de emergência:

  • Corpo de Bombeiros – 193
  • SAMU – 192
  • Defesa Civil – 199
  • Polícia Militar – 190
  • Disque-Intoxicação (ANVISA) – 0800-722-6001

Além desses números listados, podem existir telefones próprios de instituições socorristas da sua região. Então, mantenha-se atento!

Casos de primeiros socorros na escola e como agir

Reforçamos que acidentes estão entre as principais causas de mortes entre crianças de 01 a 14 anos. Dentre eles se destacam trânsito, sufocamento, engasgo e a parada cardiorrespiratória decorrente desses dois últimos.

 Como dissemos, aprender noções básicas de primeiros socorros nas escolas para esses e outros casos, além de ser obrigatório por lei (Confira informações sobre a lei Federal conhecida como Lei Lucas), ainda é crucial para ajudar a salvar vidas.

Infelizmente, sabemos que alguns casos de acidentes podem não ser contornados. Mas a maioria deles poderia ser evitada com prevenção ou, principalmente, solucionada através da prestação correta das ações de primeiros socorros básicos aliada à chegada de um resgate adequado e preparado. 

Abaixo detalhamos orientações de primeiros socorros nas escolas nos casos mais comuns segundo a pesquisa da ONG Criança Segura. Confira:

1. Primeiros socorros em caso de sufocamento

Infelizmente é bastante comum que crianças, principalmente as mais novas, coloquem objetos e brinquedos pequenos na boca, o que pode causar sufocamento. Fora objetos, alimentos pouco mastigados também podem causar a obstrução e asfixia.

Em caso de asfixia em crianças é importante examinar a cavidade nasal da vítima, buscando identificar o objeto que está obstruindo e concluir se é possível puxá-lo com o dedo, ou com a pinça, de maneira segura. É necessário bastante cuidado para não introduzi-lo ainda mais.

Caso o professor ou funcionário entenda que é possível retirar o objeto ele precisará fazer isso usando os dedos como pinça. Uma boa opção também é incentivar a criança a tossir, isso pode ajudar na retirada do objeto.

Mas se isso não for possível, ou muito arriscado, será necessário realizar uma manobra para acabar com a obstrução. Abaixo, orientamos como fazer isso com crianças maiores:

– Abrace a criança por trás, colocando seus braços por baixo das axilas da vítima.

– Suas mãos devem estar posicionadas na região abdominal da criança, na linha do umbigo. O ideal é que elas estejam bem firmes, uma mão segurando no punho da outra.

– Faça movimentos fortes e repetitivos até que a criança cuspir o que estiver obstruindo a passagem de ar. 

Aproveite e assista este vídeo do Ministério da Saúde que ilustra melhor a prática de desengasgo em criança.

É importante reforçar também o que não fazer, como levantar os braços da crianças e levar sua cabeça para trás. Isso pode fazer com que a obstrução seja intensificada e o objeto desça mais na garganta da vítima.

Já neste outro vídeo, também do Ministério da Saúde, você entende como fazer socorrer bebê de colo que sofreu de engasgo:

A insuficiência de oxigenação pode ter consequências muito graves, pois o quadro pode evoluir rapidamente para uma parada cardíaca.

Nas crianças e bebês, esse risco é ainda maior e o tempo mais curto devido ao fato de o organismo estar acostumado com a oxigenação mais rápida devido aos batimentos cardíacos mais acelerados por natureza. Então é muito importante proceder com essas ações de desengasgo rapidamente.

Se o quadro não for revertido rapidamente, provavelmente vai evoluir, e então será necessário também realizar as manobras de RCP (ressuscitação cardiopulmonar) juntamente com o uso do Desfibrilador Externo Automático, que são as ações para socorrer vítimas de parada cardiorrespiratória.

A cada minuto em parada, uma pessoa pode perder até 10% da sua capacidade vital. O cérebro também sofre com a falta de oxigenação e, quanto mais tempo exposto a esse fator, mais chances de apresentar danos cerebrais.

2. Primeiros socorros em caso de Paradas Cardíacas

Podemos até pensar que esses casos são raros em escolas e com crianças, mas, como demonstrado nos exemplos e pelo risco associado a outros acidentes como engasgos e afogamento, essas ações de primeiros socorros em caso de paradas cardíacas nas escolas merecem ainda mais atenção.

Em caso de parada cardíaca em crianças é crucial que professores e funcionários estejam preparados para 2 ações: saibam realizar corretamente as compressões torácicas no tórax da criança, até porque esse procedimento sofre leves alterações quando feita em crianças; e estejam preparados para utilizar o Desfibrilador Externo Automático (DEA).

Para saber como salvar a vida de uma criança com parada cardiorrespiratória produzimos um artigo específico sobre o tema.  

3. Primeiros socorros em caso de Intoxicação

Falamos como é comum que crianças levem objetos e brinquedos a boca. Quando não ocorre sufocamento, como falamos anteriormente, podem ocorrer intoxicações. E existem alguns sintomas que indicam isso, como: vômito, diarreia, dificuldade para respirar, inquietação, dores, queimaduras, entre outras.

Nesses casos é preciso identificar a causa dessa intoxicação ou envenenamento, e retirar esse objeto do contato com a criança. Os primeiros socorros nesses casos vão variar conforme a causa, se for algo que a criança ingeriu, por exemplo, o mais adequado é encaminhá-la a um centro de saúde, buscando levar o rótulo do produto com você.

No geral quando ocorre uma intoxicação o recomendado é deixar a criança em repouso, evitar forçar vômito e, como dissemos, levá-la ao médico urgentemente. 

4. Primeiros socorros em caso de sangramento nasal

Seja com doenças infecciosas, tempo seco ou mesmo acidente, é comum que ocorram sangramento nasal em crianças.

Quando isso acontece é importante que o professor ou funcionário acalme a criança, a sente em posição ereta com uma leve inclinação para a frente. Em seguida pressione por 5 a 10 minutos a narina que está com sangramento.

Se persistir aplique compressa de gelo na base do nariz e, caso isso também não resolva, leve o aluno a um pronto-socorro.

5. Primeiros socorros em caso de Convulsões

Existem várias causas para as convulsões e quando elas ocorrem é preciso agir rápido para ajudar a criança.

Primeiro de tudo é preciso retirar objetivos perto da criança, dando espaço a ela e evitando que, nos movimentos desnorteados ela esbarre em algo e se machuque. Busque também, com cuidado, colocá-la deitada de costas.

Depois introduza um pedaço de pano entre os dentes da vítima para evitar que ela morda a língua. E incline um pouco seu queixo para facilitar sua respiração. Se ela estiver babando incline seu rosto para o lado de modo que ela não engasgue com a própria saliva. 

Confira se suas roupas, ou se existe acessórios que possam estar prendendo seu corpo.

É importante entender que normalmente as crises convulsivas ocorrem em pouco tempo, e que não é recomendado de modo algum que se segure a pessoa ou dê tapas em seu rosto buscando reanimá-la. Geralmente convulsões não são graves, mas é sempre importante tentar entender suas causas, então, levar a criança para um pronto socorro é necessário.

6. Primeiros socorros em caso de afogamento

As intercorrências por afogamento na escola não são tão incomuns como professores e pais gostariam. A natação como uma atividade física extracurricular oferece saúde física e mental para os alunos.

Mas, infelizmente, o afogamento é uma das principais causas de morte não intencional em crianças de 0 a 4 anos nos EUA, segundo a USA Swimming Foudation. Segundo o Ministério de Saúde, 3 em cada 17 pessoas que morrem afogadas diariamente no Brasil são crianças.

Para evitar o aumento dessas estatísticas, é imprescindível que a criança use boias (seja de braço ou de cintura) ou coletes adequados (coletes de adultos não foram projetados para crianças) na piscina.

As piscinas devem ser cercadas principalmente quando não utilizadas. E qualquer atividade na água deve ser supervisionada por profissional habilitado.

Caso ocorra o afogamento de uma criança, o primeiro passo é retirá-la o mais rápido possível da piscina em posição vertical, de modo que a cabeça fique alinhada no nível acima do corpo. Posteriormente, deve-se avaliar se ela está acordada, se responde a algum comando. Enquanto tudo isso ocorre, alguém deve ficar responsável por acionar o serviço de emergência.

A pessoa que está socorrendo deve identificar se a criança está com dificuldade para respirar, se está tossindo, espumando na boca ou no nariz.

Se a criança estiver respirando e consciente, ela deve ser colocada em posição lateral direita para ter mais conforto ao respirar e aquecida com alguma manta. Se a criança não estiver consciente, é bom seguir as orientações do atendimento de serviço de Bombeiros.

Como preparar sua escola para os primeiros socorros

Como dissemos, muitos dos acidentes com crianças poderiam ser prevenidos, o cuidado nunca é demais

Além dos kits e aulas de primeiros socorros para os professores e funcionários é importante se atentar à infraestrutura do ambiente, buscando identificar possíveis locais sensíveis e propícios a acidentes, principalmente áreas abertas.

Como por exemplo vigilância constante e o cuidado de deixar objetivos e produtos sensíveis em locais seguros.

Construir cartilhas e incentivar a educação de segurança para os pequenos também aparecem como opões necessárias.

Para saber como melhorar a segurança na sua escola ou na escola do seu filho, baixe agora o Guia 5 ações para melhorar a segurança no ambiente escolar. A propósito, aproveite e compartilhe com os colegas da sua escola!

Conheça mais sobre o assunto e também dicas relacionadas a saúde e problemas cardíacos em nosso blog.

Nós somos a CMOS DRAKE, desenvolvemos tecnologia em equipamentos para salvar vidas.

A cada 40 segundos um brasileiro morre devido a problemas cardíacos. Termos a missão de levar um Desfibrilador ao alcance de todos os brasileiros, e também trazemos aqui em nosso blog conteúdo informativo sobre o tema e dicas de saúde e cuidados com o coração.

Voltar para o Blog

Posts Relacionados

Источник: https://cmosdrake.com.br/blog/primeiros-socorros-nas-escolas-como-preparar-professores-para-lidar-com-emergencias/

Primeiros socorros: o que são, procedimentos, dicas

Curso de Primeiros Socorros, uma grande ajuda para os pais!

Primeiros socorros são intervenções imediatas e provisórias que têm por finalidade manter as funções vitais de um indivíduo vítima de um acidente, ferido, que sofreu mal súbito ou está em perigo de vida, até que ele receba a assistência especializada. Os primeiros socorros são essenciais em muitos casos para salvar uma vida, portanto, todos devem ter noções básicas de como agir em certas situações.

Vale salientar, que em qualquer situação, é importante que o socorrista mantenha a calma, afaste os curiosos e garanta que ajuda especializada irá chegar, chamando ou pedindo para alguém chamar o serviço de emergência.

É importante, também, que a ajuda seja realizada quando se tem o devido preparo, pois algumas manobras podem prejudicar mais a vítima.

Caso não seja capaz de ajudar efetivamente, ajude a vítima de outras formas, procurando ajuda e auxiliando o socorrista, por exemplo.

Telefones úteis em caso de emergência

  • SAMU – 192

  • Corpo de Bombeiros – 193

  • Polícia Militar – 190

  • Disque-Intoxicação (ANVISA) – 0800-722-6001

  • Defesa Civil – 199

Embarazo y niños
Deja una respuesta

;-) :| :x :twisted: :smile: :shock: :sad: :roll: :razz: :oops: :o :mrgreen: :lol: :idea: :grin: :evil: :cry: :cool: :arrow: :???: :?: :!: