É normal ter abortos espontâneos?

Contents
  1. Aborto de repetição: entenda o que é
  2.  Aborto de repetição: quais as principais causas?
  3. Causas mais frequentes de aborto de repetição:  
  4. Alterações genéticas 
  5. Anomalias anatômicas
  6. Trombofilias
  7. Causas imunológicas
  8. Aborto de repetição e hábitos de vida
  9.  Aborto de repetição e o fator masculino
  10. Aborto de repetição e infertilidade: há alguma relação?
  11. Quais são os tratamentos para o aborto de repetição?
  12. Então, se você passou ou está passando por aborto de repetição, lembre-se de que você pode ter esperança. Procure um especialista e faça uma investigação completa para descobrir a origem do seu problema. Nesse sentido, sua chance de ter uma gestação com sucesso na próxima vez pode chegar a 70%. Clique aqui e veja o nosso e-book que fala sobre as causas que podem dificultar a realização do seu sonho. 
  13. As 5 causas mais comuns de aborto espontâneo | Blog Clínica Viventre
  14. O que é aborto espontâneo?
  15. As principais causas de aborto espontâneo e como evitá-las
  16. Anormalidades Cromossômicas
  17. Anormalidades no útero e em outros órgãos reprodutores
  18. Alterações Hormonais
  19. Infecções virais ou bacterianas
  20. Alimentação e estilo de vida desequilibrados também é uma das causas de aborto espontâneo
  21. Aborto espontâneo pode ser causado pelo uso de anticoncepcional?
  22. Abortos espontâneos são mais comum do que você pensa
  23. Quão comuns são os abortos espontâneos?
  24. Uma menstruação atrasada pode ser um aborto espontâneo
  25. Nem todos os óvulos fecundados se transformam em gravidez
  26. Na maioria das vezes, o aborto espontâneo é aleatório
  27. É possível ser fértil mesmo depois de um aborto espontâneo
  28. As emoções podem variar
  29. Conhecer suas opções pode ser de grande ajuda
  30. Baixe hoje o Clue e saiba mais sobre seu ciclo menstrual e fertilidade

Aborto de repetição: entenda o que é

É normal ter abortos espontâneos?

O aborto de repetição é definido como a ocorrência de três ou mais interrupções involuntárias da gravidez antes da 22ª semana, ou seja, até o quinto mês de gestação.

O abortamento espontâneo é relativamente freqüente entre as mulheres. Aproximadamente 20% das gestações não evoluem e, na maioria dos casos, se deve a alguma alteração cromossômica do embrião que inviabiliza a vida.

Entretanto, quando esta situação ocorre pelo menos três vezes de forma consecutiva é considerado aborto de repetição e deve ser investigado pelo casal para descobrir a origem do problema.

 Aborto de repetição: quais as principais causas?

São várias as causas que podem originar o aborto de repetição. Neste sentido, uma investigação cautelosa de cada caso precisa ser realizada. 

Dessa maneira, o especialista em reprodução humana deve solicitar uma série de exames ginecológicos, genéticos e imunológicos, além de fazer uma avaliação da história familiar e clínica do casal para tentar descobrir o motivo dos sucessivos abortos. Com diagnóstico preciso de cada paciente, os médicos e embriologistas podem, então, definir o melhor tratamento para evitar novas perdas.

Causas mais frequentes de aborto de repetição:  

Existem algumas causas de aborto de repetição que podem ser diagnosticadas através de exames. 

Confira as situações mais frequentes: 

Alterações genéticas 

As anomalias cromossômicas fetais são a causa mais comum de aborto espontâneo antes das 10 semanas de gravidez. Nesse sentido, quanto maior a idade materna, mais chance de ocorrer abortos de repetição. Os erros mais comuns são a trissomia, poliploidia e monossomia do cromossoma X.

O exame de análise citogenética deve ser realizado a partir da terceira perda consecutiva. Caso este exame revele anomalias, é indicado proceder à análise do cariótipo através do sangue periférico do casal.

Anomalias anatômicas

As anomalias uterinas, como malformações müllerianas, miomas, pólipos e sinéquias uterinas, podem também estar associadas ao aborto de repetição.

Desta forma, todas as mulheres que tiveram sucessivos abortos devem ser submetidas a um exame da cavidade uterina, através de ecografia pélvica com sonda transvaginal 2D ou 3D e histerossalpingografia, que podem ser complementadas com endoscopia.

Trombofilias

As trombofilias são doenças que provocam alterações na coagulação do sangue e que aumentam a chance de formar coágulos sanguíneos e causar tromboses, que podem impedir a implantação do embrião no útero ou provocar abortos. Geralmente, as trombofilias não são detectadas em exames de sangue comuns.

Causas imunológicas

Durante a gestação, o embrião é considerado um corpo estranho pelo organismo da mãe, geneticamente diferente. Para isso, o sistema imune materno tem que se adaptar para não rejeitar o embrião. No entanto, em alguns casos, isto não acontece, levando à ocorrência de abortos ou à dificuldade para engravidar.

Existe um exame chamado de cross-match, que pesquisa a presença de anticorpos contra linfócitos paternos no sangue da mãe. Para realizar este exame, retiram-se amostras de sangue do casal e realiza-se uma prova cruzada entre os dois, para identificar a presença de anticorpos.

No gráfico abaixo, a representatividade das principais causas de aborto de repetição:

Aborto de repetição e hábitos de vida

Sabe-se que os hábitos de vida influenciam diretamente na gravidez, podendo causar aborto de repetição. Nesse sentido, o casal deve ser orientado a seguir um estilo de vida saudável: 

  • Não fumar;
  • Consumir pouco álcool e cafeína; 
  • Praticar exercício moderado;
  • Controlar o peso e cuidar da alimentação; 
  • O uso de drogas também está associado a um maior risco de aborto de repetição, uma vez que influencia negativamente na saúde do corpo humano.  

Para as mulheres, é indicada a suplementação de ácido fólico e progesterona e, muitas vezes, é necessário suporte psicológico para que o casal, abalado pelas perdas prévias, não desista de tentar uma nova gravidez.

Além disso, é importante ressaltar que, melhorando os hábitos de vida, a chance de se ter uma gestação normal é de 50 a 75%, dependendo da idade da mulher e do número de abortos prévios.

 Aborto de repetição e o fator masculino

O aborto de repetição também pode estar ligado ao fator masculino. Em geral, os médicos concentram a atenção nas mulheres quando procuram as causas de abortos recorrentes, mas a saúde dos homens e de seus espermatozoides também devem ser analisados, pois podem influenciar na gravidez.

A descoberta a esse respeito é de um novo estudo do Colégio Imprerial de Londres e publicada no jornal científico Clinical Chemistry.

Na pesquisa, os cientistas avaliaram a qualidade do esperma de 50 homens com parceiras que haviam passado por três abortos consecutivos.

A partir daí, descobriram que os espermatozoides deste grupo apresentavam um nível maior de DNA danificado do que os de homens com parceiras que não tiveram abortos espontâneos.

O autor do estudo Channa Jayasena afirmou que a pesquisa é importante para mostrar que, muitas vezes, os dois parceiros estão envolvidos em casos de abortos de repetição.

Aborto de repetição e infertilidade: há alguma relação?

Na maior parte das vezes, a consulta de Reprodução Humana é para investigação de infertilidade, ou seja, dificuldade de engravidar. Entretanto, alguns casos são de pacientes que engravidam facilmente, mas a gestação não evolui, tendo abortos de repetição.

Neste sentido, a ASRM (American Society for Reproductive Medicine) indica a realização de uma criteriosa investigação, pois, na maioria das vezes, é possível diagnosticar e tratar a causa sucessiva de abortamentos.

Como já vimos aqui, a maioria dos abortos espontâneos, independentemente de se repetirem ou não, são devidos a anormalidades cromossômicas, e se deve a uma chance aleatória (no processo de desenvolvimento embrionário) ou idade materna avançada. Entretanto, quando isso acontece repetidas vezes, temos que investigar outras causas.

Muitas doenças que causam infertilidade podem gerar aborto de repetição e, se forem tratadas, resultam em gestações bem sucedidas. Neste sentido, as estatísticas revelam que duas em cada três mulheres com acompanhamento adequado nestes casos terão uma gestação normal na próxima vez.

Quais são os tratamentos para o aborto de repetição?

A medicina reprodutiva evoluiu tanto que hoje contamos com tratamentos eficazes para quase todas as causas de aborto de repetição. Mesmo assim, em algumas situações, os especialistas encontram casos mais difíceis de resolver ou não acham explicações, apesar de todos os exames terem sido realizados.

Nesses casos, uma possibilidade para se atingir o sucesso de uma gravidez saudável é a Fertilização in vitro acompanhada de biópsia embrionária, para diagnóstico de alterações cromossômicas do embrião (PGT-A – Teste Genético Pré-Implantacional para Aneuploides). Desta forma, só os embriões saudáveis serão transferidos para o útero, diminuindo as chances de aborto de repetição.

Vale ressaltar que a melhor opção de tratamento deve ser proposta por um médico, após diagnóstico rigoroso de cada caso.  

Então, se você passou ou está passando por aborto de repetição, lembre-se de que você pode ter esperança. Procure um especialista e faça uma investigação completa para descobrir a origem do seu problema. Nesse sentido, sua chance de ter uma gestação com sucesso na próxima vez pode chegar a 70%. Clique aqui e veja o nosso e-book que fala sobre as causas que podem dificultar a realização do seu sonho. 

Источник: https://www.nilofrantz.com.br/aborto-de-repeticao/

As 5 causas mais comuns de aborto espontâneo | Blog Clínica Viventre

É normal ter abortos espontâneos?

A gestação é um período permeado por uma série de sentimentos. Além das boas emoções, ela também é marcada por uma certa dose de preocupação, às vezes, potencializada por informações equivocadas, que trazem insegurança e podem ocasionar problemas na gravidez. No intuito de evitá-los, elencamos, nesse texto, as principais causas de aborto espontâneo

Apesar do aborto espontâneo poder ocorrer por vários motivos médicos, muitos dos quais não estão sob o controle de uma pessoa, conhecer as causas desse evento pode ajudá-lo a entender melhor e obter qualquer suporte ou tratamento necessário.

O que é aborto espontâneo?

A notícia da gravidez é sempre uma surpresa na vida da mãe e dos familiares. E, principalmente quando há um planejamento para tal, tende a ser encarada de forma bastante positiva por todos.

Contudo, em alguns casos, as coisas podem não sair como o planejado, e a gestação pode não ir para frente, sendo interrompida naturalmente nos primeiros meses, fenômeno conhecido como aborto espontâneo.

Um aborto espontâneo é um evento que resulta na perda de um feto antes da vigésima semana de gravidez. Ou seja, é quando a gestação é interrompida naturalmente, pelo próprio organismo da mulher. 

Em 80% dos casos, isso geralmente ocorre no início da gestação, durante o primeiro trimestre. Infelizmente, muitas mulheres experimentam esse tipo de perda de gravidez.

Mas embora seja uma experiência relativamente comum, lidar com um aborto espontâneo é frustrante e dolorido para muitos casais que estão tentando engravidar.

É um momento emocionalmente difícil, no qual sentimentos de tristeza e perda são normais.

As principais causas de aborto espontâneo e como evitá-las

Antes de mais nada, é preciso ressaltar que o aborto espontâneo pode ocorrer na gestação de qualquer mamífero.

Apesar de ser muito triste e até traumático para algumas famílias, é muito importante considerar que essas possibilidades existem e que os abortos não devem trazer o sentimento de “culpa” a ninguém.

Algumas causas de aborto espontâneo, entretanto, podem ser estudadas e eventualmente tratadas, reduzindo assim o risco de recorrência.

Quais podem ser as causas de um aborto espontâneo é uma dúvida bastante frequente. Por isso, a seguir, vamos abordar as cinco mais comuns. Lembre-se: é muito importante consultar um médico especialista e não faltar aos exames de rotina. Vamos à leitura?

Anormalidades Cromossômicas

Responsável por mais de 50% das causas de aborto espontâneo, os problemas nos cromossomos podem acontecer independentemente das condições de saúde da mãe e do pai.

Um embrião com material cromossômico alterado pode apresentar desenvolvimento anormal, parando de se desenvolver espontaneamente. É o mecanismo que a natureza encontra de impedir a evolução de embriões com alterações graves.

É por isso que essas perdas em geral ocorrem já no primeiro trimestre da gestação.  Chamamos esses embriões alterados de embriões aneuplóides.

Como Evitar: caso a mulher tenha sofrido mais de dois abortos espontâneos, o casal deve se submeter a exames genéticos para avaliar possíveis problemas cromossômicos. Dessa forma, fica mais fácil encontrar uma solução para o problema do casal e evitar maiores sofrimentos.

Anormalidades no útero e em outros órgãos reprodutores

Muitas vezes, a causa do aborto espontâneo está associada a anormalidades na anatomia do útero. Caso o formato do útero seja alterado, o embrião pode não conseguir se implantar ou ter dificuldades para conseguir os nutrientes necessários para sobreviver.

Um colo do útero enfraquecido também pode levar ao aborto, pois o embrião cresce e pode não encontrar sustentação para continuar se desenvolvendo no lugar certo. Esse tipo de problema é responsável por até 10% dos abortos espontâneos. Além disso, o aborto espontâneo pode acontecer por causa de miomas.

Como Evitar: A melhor solução é procurar um diagnóstico médico mais preciso. Em alguns casos pode ser necessária uma cirurgia de modificação do útero, bem como a retirada de possíveis pólipos ou miomas que impeçam uma gravidez saudável.

Alterações Hormonais

Os hormônios são essenciais para que a gestação ocorra bem até o nascimento do bebê. O aborto espontâneo por causa de falta de progesterona, por exemplo, é possível. Pode levar a sangramentos no início da gestação e se deve à chamada insuficiência do corpo lúteo (estrutura ovariana responsável pela produção de progesterona no início da gravidez).

Como Evitar: O diagnóstico da falta de progesterona é mais clínico que laboratorial, pois sabe-se que os níveis de progesterona oscilam muito ao longo do dia, não sendo possível diagnosticar seu déficit apenas com dosagens hormonais. Por este motivo, é tão frequente a prescrição de progesterona para mulheres que sangram no começo da gravidez (ainda que, acredita-se, apenas uma pequena parcela delas de fato tenham falta de progesterona).

Infecções virais ou bacterianas

Muitas doenças causadas por vírus ou bactérias aumentam as chances de a mulher sofrer um aborto espontâneo. Por isso, a dica é tomar bastante cuidado com as doenças sexualmente transmissíveis, como clamídia, sífilis, gonococo, entre outras.

Como Evitar: Consultar o ginecologista com frequência e sempre que sentir algum sintoma diferente é a melhor opção para diagnosticar e tratar as infecções. Realizar o tratamento com antibióticos, quando necessário, também costuma solucionar o problema.

Alimentação e estilo de vida desequilibrados também é uma das causas de aborto espontâneo

Essa talvez seja a causa de abortos espontâneos mais sutil. É preciso ter em mente que o corpo será a morada do futuro bebê e que é preciso que o organismo esteja em equilíbrio.

Bebidas alcoólicas e cigarro devem ser evitados, assim como outras drogas e produtos que contenham cafeína em excesso. Manter o peso e prezar por uma rotina de exercícios físicos diários também é uma boa pedida para melhorar as condições gerais de saúde.

Como Evitar: Mantenha uma dieta equilibrada e evite o consumo de bebidas alcoólicas e cigarro. Faça exercícios físicos e mentalize energias boas!

Aborto espontâneo pode ser causado pelo uso de anticoncepcional?

Muitas mulheres que sofrem uma perda de gravidez se perguntam se sua pílula anticoncepcional pode ter causado o aborto.

Apesar de ser uma preocupação comum, continuar tomando a pílula antes ou depois da confirmação da gravidez não abortará o feto.

Isso porque os contraceptivos orais não funcionam dessa maneira: as pílulas geralmente são feitas de estrogênio e progestina, que impedem a gravidez inibindo a ovulação ou causando o espessamento do muco cervical. 

Portanto, se você sofreu um aborto espontâneo e estava tomando contraceptivos orais antes de conceber, essa não era a causa.

Esperamos que com a dose certa de cuidado e informação o casal possa compreender e evitar as principais causas do aborto espontâneo. Assim, conseguirão gerar um bebê saudável e que certamente trará muitas alegrias ao casal e aos familiares.

Источник: https://www.viventre.com.br/causas-aborto-espontaneo/

Abortos espontâneos são mais comum do que você pensa

É normal ter abortos espontâneos?

Este artigo está disponível também em: English

Tradução: Mariana Rezende

Fala-se muito sobre bebês, mas o debate sobre os aspectos menos fofos da saúde reprodutiva é praticamente inexistente. Um desses aspectos, o aborto espontâneo, além de ser o mais negligenciado, é uma parte muito normal do ciclo reprodutivo. Ele acontece com todos os mamíferos que engravidam.

Quão comuns são os abortos espontâneos?

O aborto espontâneo pode acontecer em uma a cada cinco gestações detectadas (1). A taxa de aborto é mais próxima de um a cada três quando se trata de gravidez não detectada (2, 3, 4). Na maioria dos casos, o aborto espontâneo não é causado por ações, comportamento ou mesmo pelo corpo da pessoa grávida.

Apesar disso, ainda há muita confusão, silêncio e desinformação em torno da questão. Figuras públicas como Priscilla Chan falaram sobre o isolamento que sentiram durante suas experiências pessoais de aborto espontâneo. Compreender o que é o aborto espontâneo e por que isso acontece é um passo importante para enfraquecer o estigma que o envolve.

Uma menstruação atrasada pode ser um aborto espontâneo

Um aborto espontâneo é uma gravidez interrompida nas primeiras 20 semanas, embora a maioria aconteça nas primeiras oito semanas (5). O aborto espontâneo pode acontecer até mesmo antes da gravidez ser detectada.

Em pessoas que têm relações sexuais desprotegidas, não é incomum que a causa de um ciclo irregular seja um aborto espontâneo, antes que a pessoa sequer saiba que está grávida (4, 6).

Como o aborto espontâneo pode acontecer na mesma época em que a menstruação é esperada, é possível que ele passe despercebido.

Nem todos os óvulos fecundados se transformam em gravidez

Quando um espermatozoide encontra um óvulo na trompa de Falópio, ele pode ser fecundado.

Se isso acontecer, o óvulo fecundado então cresce e se desenvolve um pouco antes de poder se implantar no útero.

Muitos óvulos fecundados não passam dessa fase, porque não começam a se desenvolver ou não são implantados. Nestes casos, uma pessoa não engravida e o ciclo menstrual continua normalmente.

Na maioria das vezes, o aborto espontâneo é aleatório

Grande parte dos abortos espontâneos acontece pelo mesmo motivo que a maioria dos óvulos fecundados não chega à gravidez: «anomalias cromossômicas». Isso pode acontecer quando há um problema nos genes do óvulo, no espermatozoide ou em ambos.

Esses problemas geralmente são causados por erros aleatórios e normais que acontecem quando as células se dividem e não porque existem algum problema grave nos genes de um dos pais.

O aborto é a maneira como o corpo lida com essas situações após a implantação de um óvulo.

Entre 5 e 7 de cada 10 abortos espontâneos são causados por anormalidades cromossômicas no embrião (7, 8). Em muitos desses casos, um embrião nem sequer começa a se desenvolver.

Um aborto espontâneo também pode ser causado por uma condição médica na pessoa grávida.

Ele pode acontecer por causa de uma condição hormonal, como a síndrome do ovário policístico, um distúrbio da tireoide ou um problema físico no útero, como por exemplo, condições como miomas uterinos ou endometriose (9, 10, 11, 12).

O aborto espontâneo também pode ser causado por problemas como infecções, exposição a certas toxinas ambientais, alto estresse e comportamentos como o consumo de álcool (13, 14).

Depois que uma gravidez precoce é interrompida, o tecido interno do útero, junto com qualquer tecido novo que tenha crescido, geralmente se desprende e é expelido do corpo pela vagina. No momento em que ocorre o sangramento, a gravidez já foi interrompida, o que significa que um aborto espontâneo não pode ser «controlado» pela interrupção do sangramento ou outros sintomas, como as cólicas.

A maioria das pessoas que tiveram um, dois e até três abortos espontâneos inexplicáveis pode ter uma gravidez saudável (15, 16).

É possível ser fértil mesmo depois de um aborto espontâneo

Pode ser que o sangue e o tecido de um aborto espontâneo demorem de algumas horas a semanas para que sejam totalmente expelidos do útero. Se um aborto espontâneo acontecer dentro das primeiras oito semanas de gravidez, geralmente a menstruação leva de 4 a 6 semanas para voltar ao normal (17).

É possível voltar a ser fértil imediatamente após um aborto espontâneo, o que significa que uma pessoa pode engravidar mesmo antes de sua menstruação voltar.

Os médicos geralmente recomendam esperar um ou mais ciclos antes que se volte a tentar engravidar.

As emoções podem variar

Uma a cada duas pessoas poderá experimentar sintomas emocionais consideráveis nas semanas e meses após um aborto espontâneo (18). Ansiedade, tristeza, luto e depressão são sentimentos comuns que podem durar semanas ou meses. Outras pessoas podem sentir alívio, caso não queiram engravidar.

Embora os profissionais de saúde possam ser ótimos para tratar do nosso corpo, eles nem sempre estão preparados para lidar com as nossas emoções de forma mais apropriada… Algumas pessoas precisarão procurar ajuda profissional para lidar com emoções fortes que perduram e se tornam sufocantes.

Reconhecer uma perda dolorosa pode ser uma ferramenta útil na recuperação emocional (19).

Por exemplo, algumas pessoas optam por um enterro dos tecidos curetados e outras preferem dar um tempo das atividades cotidianas para lidar com o sofrimento.

Conhecer suas opções pode ser de grande ajuda

A maioria dos abortos espontâneos não precisa necessariamente de intervenção e pode ser administrada medicamente com um processo chamado «espera vigilante» (20, 21). Algumas pessoas podem optar pela intervenção para ter algum controle sobre a experiência e/ou para que ela acabe mais depressa.

Outras podem receber intervenção porque estão em risco de uma complicação ou porque o aborto espontâneo não foi finalizado por conta própria.

Dependendo do cenário, as intervenções incluem um procedimento de aspiração para remover o conteúdo uterino ou uma pílula para ajudar a eliminá-lo mais rapidamente.

Entre em contato com um profissional de saúde se achar que está tendo um aborto espontâneo. Serão feitas algumas perguntas para garantir que esteja tudo bem. Algumas pessoas podem precisar de um exame de sangue.

Em certos casos, um aborto espontâneo não é finalizado por conta própria e precisam de intervenção.

Se sentir dor aguda, febre ou dor no ombro vá ao médico ou pronto-socorro para descartar complicações como a gravidez ectópica.

O controle dos padrões de sangramento e outros sintomas com o Clue durante e/ou após um aborto espontâneo pode ajudar você a ter um registro de como as coisas estão mudando em seu corpo.

O Clue também pode ajudar a detectar quando algo pode estar errado ou quando um aborto espontâneo pode precisar de tratamento adicional.

Se estiver preocupada com o seu ciclo ou com quaisquer sintomas, fale com um profissional de saúde.

Lembre-se de que você pode garantir que um aborto espontâneo (ou outros ciclos anômalos) não afetem suas previsões no Clue (e suas médias estatísticas) [excluindo quaisquer ciclos irregulares] posteriormente.

A compreensão de como o aborto espontâneo é realmente comum e os motivos pelos quais ele acontece pode nos ajudar a orientar e informar o processo emocional e de tomada de decisões. Quanto mais conseguimos conversar sobre isso, mais fraco se torna o estigma cultural.

Baixe hoje o Clue e saiba mais sobre seu ciclo menstrual e fertilidade

*O Clue preza pela neutralidade de gênero: falamos de menstruação a partir de um esforço inclusivo – leia e saiba mais.

Источник: https://helloclue.com/pt/artigos/fases/aborto-espontaneo-mais-comum-do-que-voce-pensa

Embarazo y niños
Deja una respuesta

;-) :| :x :twisted: :smile: :shock: :sad: :roll: :razz: :oops: :o :mrgreen: :lol: :idea: :grin: :evil: :cry: :cool: :arrow: :???: :?: :!: