Mitos sobre se é menino ou menina

Contents
  1. O sexo do bebê influencia no formato da barriga? Veja esse e outros mitos
  2. Quando se define o sexo do bebê?
  3. Quais são os principais mitos sobre sexo do bebê?
  4. Formato da barriga
  5. Enjoo pela manhã
  6. Técnica da aliança ou agulha
  7. Teste do garfo e da colher
  8. Como descobrir o sexo do bebê?
  9. Ultrassonografia obstétrica
  10. Sexagem fetal
  11. Mitos e verdades sobre a gravidez
  12. Se a barriga estiver pontuda, é menina; arredondada, é menino
  13. Mulher grávida não pode fazer sexo
  14. O feto consegue sentir quando há relação sexual entre o casal
  15. Se a grávida tem muita azia, é porque o bebê vai ser cabeludo
  16. Se a mulher teve o primeiro filho por parto cesariana, não poderá ter o próximo por parto normal
  17. Mulher grávida tem que comer por dois
  18. Se os desejos alimentares da grávida não forem realizados, a criança poderá nascer com algum problema
  19. Tomar cerveja preta melhora a produção de leite
  20. Grávidas sentem mais calor
  21. A gestante não deve praticar exercícios físicos
  22. Se a grávida cruza as pernas, pode fazer com que o cordão umbilical dê voltas e enforque o bebê
  23. Grávidas podem ficar com a pele manchada por causa do sol
  24. Sexo do bebê: 11 mitos e verdades para descobrir se é menino ou menina!
  25. 1- Os desejos alimentares dirão se você espera um menino ou uma menina!
  26. 2- A forma da barriga diz tudo sobre o sexo do bebê 
  27. 3- Maior ganho de peso da mãe indica que é menino!
  28. 4- Gravidez de menino é mais complicada
  29. 5- A frequência cardíaca do bebê
  30. 6- Linha Nigra ou Linha Alba determina diretamente o sexo do bebê
  31. 7- O excesso ou a falta de enjoos pode determinar o sexo do bebê
  32. 8- Pele bonita ou não
  33. 9- Quais crianças estão se aproximando de você?
  34. 10- Os sonhos falam o sexo do bebê para você!
  35. 11- Como está o seu nariz hoje?
  36. Como saber, na real, qual é o sexo do bebê?
  37. Ultrassonografia
  38. Intelligender
  39. Como saber se é menino ou menina? [6 mentiras e 3 verdades]
  40. Como e quando surge o sexo do bebê?
  41. 6 mitos sobre como saber se é menino ou menina
  42. 1) Barriga alta ou baixa
  43. 2) Mudanças de humor
  44. 3) Ter mais enjoos matinais
  45. 4) Ter cabelos e pele mais ou menos saudáveis
  46. 5) Desejo de alimentos salgados ou doces
  47. 6) Frequência cardíaca fetal mais baixa
  48. 3 métodos eficazes para saber se é menino ou menina
  49. 1) Ultrassom
  50. 2) Exames de sangue
  51. 3) Outros testes genéticos
  52. Comentários:

O sexo do bebê influencia no formato da barriga? Veja esse e outros mitos

Mitos sobre se é menino ou menina

Existem muitas maneiras de descobrir o sexo do bebê. Alguns métodos são baseados em mitos e outros têm comprovação científica. Conheça os testes mais comuns!

O sexo do bebê é uma das informações mais aguardadas por grande parte das mamães e papais, sejam eles de primeira viagem ou não. Através dos tempos, a sabedoria popular disseminou inúmeras técnicas para prever se a criança será um menino ou uma menina. Um desses métodos, por exemplo, sugere que se a barriga da mulher tiver um formato mais arredondado, é sinal de que ela terá uma filha. 

Apesar de muito comuns, esses mitos não estão embasados em constatações científicas. Mesmo assim, é possível que você já tenha ouvido casos em que essa especulação deu certo. Entretanto, a maneira mais confiável de se chegar a uma resposta que não deixe dúvidas, é por meio de exames realizados por profissionais da área. 

De qualquer forma, devido a inúmeros fatores, é evidente que a gravidez é um período que gera bastante ansiedade. Por isso, até pode ser divertido experimentar fazer alguns dos testes de adivinhação como uma forma de recreação para aliviar o estresse.

Mas cuidado! A gestação é um momento que exige atenção redobrada à saúde. O que realça a ideia de que é preciso ter muita cautela na hora de realizar qualquer procedimento.

Portanto, não esqueça de agendar seu pré-natal e seguir à risca as indicações do seu obstetra.

Continue lendo para entender melhor como se dá a formação do sexo do bebê. Leia mais!

Quando se define o sexo do bebê?

Para responder essa pergunta, precisamos, primeiramente, entender um processo conhecido como determinação sexual humana.

Ele acontece no momento da fecundação e é o primeiro passo para definir se a criança será um menino ou uma menina. Enquanto a mulher tem uma constituição cromossômica do tipo XX, o homem produz dois tipos de gametas, o X e o Y.

  Dessa maneira, se o espermatozoide tem uma formação Y, a mulher terá um filho. Se for X, certamente, uma filha.

Em seguida, inicia-se um segundo mecanismo: a diferenciação. Até a 7ª semana de gravidez, o embrião tem o que chamamos de “crista genital”. Então, somente a partir da presença da testosterona, desenvolve-se um órgão reprodutor masculino. Em contrapartida, na ausência desse hormônio, o feto passa a adquirir características femininas.

Ainda que o sexo do bebê esteja ligado ao processo de determinação sexual, e isso se define logo no início da gestação, a constatação visual só é possível mais tarde. 

Como esse processo é natural e foge ao controle humano, muitas pessoas recorrem a métodos não convencionais. Um deles, por exemplo, sugere que se a concepção ocorrer em uma noite de lua cheia, é garantido que nasça uma menina. Contudo, será que isso acontece dessa forma ou pode ser considerado folclore?

Infelizmente, essa técnica não se sustenta cientificamente. Mas, assim como este método, existem inúmeros outros. Conheça, a seguir, algumas lendas populares deste tipo. Acompanhe!

Quais são os principais mitos sobre sexo do bebê?

Como mencionamos anteriormente, a sabedoria popular ensina inúmeras maneiras para identificar se a criança será menino ou menina. Esses conhecimentos são tão difundidos que, muitas vezes, podem acabar gerando algum tipo de confusão. Para que isso não aconteça, separamos algumas das crenças mais comuns. Confira.

Formato da barriga

Esse exemplo já citamos anteriormente. De acordo com ele, é possível identificar o sexo do bebê a partir do formato da barriga da mãe. A hipótese sugere que se o abdômen tiver uma característica mais pontuda, significa que um menino está a caminho. Ao passo que, se a aparência for mais arredondada, quem vem é uma menina.

Enjoo pela manhã

A náusea é um sintoma que pode estar relacionado a inúmeros fatores. Entretanto, esta lenda pode ter uma explicação hormonal. Quando a mulher está esperando uma menina, ocorre uma maior produção de gonadotrofina coriônica humana (HCG). Por esse motivo, é possível que os enjoos sejam mais fortes. Mas, ainda assim, não podemos tratar esse mito como uma regra.

Técnica da aliança ou agulha

Podemos considerar um dos métodos mais populares. Trata-se de amarrar uma aliança ou agulha na ponta de um barbante e suspender ele sobre a barriga da mãe. Se o objeto começar a se movimentar em círculos, é uma menina. Caso se mexa em linha reta, menino.

Teste do garfo e da colher

É perfeito para ser realizado como uma brincadeira em um chá de fraldas, por exemplo. Primeiro, você pega duas almofadas e, sob cada uma delas, coloca um talher sem que a grávida veja. Se a mulher sentar sobre uma colher, é sinal de que vem uma filha. Caso seja um garfo, filho.

Como descobrir o sexo do bebê?

Durante muito tempo só era possível descobrir o sexo do bebê no momento do parto. Atualmente, existem alguns tipos de exames disponíveis. Antes de passarmos a eles, é válido ressaltar a importância do acompanhamento médico desde os primeiros sinais de gravidez.

Ultrassonografia obstétrica

Ao ultrassom é possível visualizar o sexo a partir de 16 semanas, existem alguns fatores que podem influenciar na avaliação como posição fetal, biótipo materno, tipo de aparelho que é feito o exame. Apesar desses fatores, trata-se de uma maneira confiável para investigação.

Sexagem fetal

A partir de 8 semanas, já é possível realizar esse teste por meio de uma pequena amostra de sangue da mãe. O exame consiste na análise laboratorial do sangue materno em busca do cromossomo Y, que caracteriza o sexo masculino. Se ele é detectado, isso significa que o bebê é um menino. Caso contrário, trata-se de uma menina. A sua confiabilidade e precisão são de até 98%.

Existem outros meios para identificar o sexo do bebê, uns mais precisos que os outros. Independente de qualquer coisa, o mais importante é você procurar ajuda profissional logo no início da gravidez e fazer o pré-natal.

Entre em contato com um de nossos atendentes e agende uma consulta!

Источник: https://www.cmmartins.com.br/2020/08/11/o-sexo-do-bebe-influencia-no-formato-da-barriga-veja-esse-e-outros-mitos/

Mitos e verdades sobre a gravidez

Mitos sobre se é menino ou menina

Veja os mitos e verdades envolvendo a gravidez, período no qual a mulher passa por inúmeras alterações físicas e emocionais.

Ao longo dos nove meses de gestação, a mulher passa por um turbilhão de mudanças físicas e, principalmente, hormonais.  O crescimento do feto no interior do útero da mãe altera de maneira evidente a silhueta da gestante e, também, os seios, que começam a ficar mais inchados devido à produção de leite.

As modificações acontecem por causa da alta descarga hormonal que prepara o corpo da mãe para abrigar o feto.

São produzidos em grande quantidade os hormônios progesterona, responsável por manter o metabolismo da gravidez, estrogênio, que favorece a dilatação dos vasos e prepara o corpo para o aumento do volume de sangue em veias e artérias, e a prolactina, que deixa as glândulas mamárias aptas para amamentação.

Veja também: Enigma da gravidez

À medida que o bebê cresce, as taxas hormonais se elevam no organismo da mãe, influenciando as emoções e sentimentos da gestante. Ela se sente, então, em um redemoinho emotivo, e fica mais suscetível ao bombardeio de teorias dos mais supersticiosos, que tentam dar dicas e orientar a futura mãe com dicas sem nenhuma ou quase nenhuma base científica.

Frases como “barriga pontuda é sinal de menina”, “grávida tem que comer por dois”, “cerveja preta ajuda a produzir leite” não têm fundamentos científicos, segundo o ginecologista e obstetra dr. Guilherme Fernandes, Associação de Obstetrícia e  Ginecologia de São Paulo (Sogesp).

Aqui apontamos o que é mito e o que é verdade sobre a gravidez.

Se a barriga estiver pontuda, é menina; arredondada, é menino

Mito. Não existe nenhuma influência do sexo do bebê no formato da barriga da gestante. “A barriga da mãe cresce conforme anatomia e genética da gestante, sem nenhuma influência do sexo do feto”, explica o dr. Fernandes.

Mulher grávida não pode fazer sexo

Depende. Se a gestante apresentar sangramento vaginal ou placenta de inserção baixa (quando a placenta fica na parte inferior do útero, cobrindo o colo do útero), ela não deve fazer sexo durante a gravidez.

Nesses casos, a prática pode estimular a contração do útero e gerar mais sangramento, provocando parto prematuro. Caso contrário, o sexo está liberado.

Muitas mulheres sentem aumento da libido durante a gestação, que ocorre devido às alterações hormonais que marcam o período.

O feto consegue sentir quando há relação sexual entre o casal

Mito. O feto esta dentro do útero da mãe e não no canal vaginal, onde ocorre a penetração. “Não existe a menor possibilidade de o pênis atravessar o colo do útero e entrar no útero da mãe. Além disso, existem membranas da placenta que servem para proteger o feto de contrações mecânicas, como as que ocorrem durante o sexo”, esclarece o dr. Fernandes.

Não há nenhum estudo científico que comprove a relação entre o alimento consumido e o aumento da produção do leite.

Se a grávida tem muita azia, é porque o bebê vai ser cabeludo

Mito. O que vai definir se o bebê vai ser ou não cabeludo é a genética, e não a azia. Os enjoos surgem porque o útero pressiona o estômago, causando um refluxo do ácido estomacal e, também, por causa das altas taxas de progesterona, que em grande quantidade acaba causando azia.

Se a mulher teve o primeiro filho por parto cesariana, não poderá ter o próximo por parto normal

Depende.  Para o dr. Guilherme Fernandes, essa afirmação está apenas parcialmente correta. “Muitas vezes a mãe não faz o primeiro parto normal porque não tem dilatação necessária para isso.

 Após uma cesariana, o útero se recupera, mas fica com uma cicatriz que pode romper com as contrações do trabalho de parto normal. Essa possibilidade é mínima, de apenas 0,03%”, explica.

Outro fator que pesa na hora de optar pela cesariana em um segundo parto é que a maioria das mulheres está optando por engravidar mais tarde. “Quanto maior a idade, menor a intensidade e o número de contrações”, afirma o dr. Fernandes.

Mulher grávida tem que comer por dois

Mito. Se a grávida comer por dois pode acabar engordando. O dr.

Guilherme Fernandes lembra que gestantes obesas têm maior risco de parto prematuro, de enfrentar dificuldade no trabalho de parto, de desenvolver diabetes na gravidez, hipertensão e distúrbio na tireoide, além de a obesidade contribuir para o aumento de peso do feto, que pode nascer obeso, e até óbito do bebê.

Ao longo do dia, devem ser feita de seis a sete refeições balanceadas e bem distribuídas. É importante que a gestante consuma proteína e carboidrato, pois essas são as principais fontes de nutrientes que alimentam o feto. Mas sem exageros!

Devido à aceleração do metabolismo por conta da gestação, as grávidas tendem a suar mais e a sentir mais calor

Se os desejos alimentares da grávida não forem realizados, a criança poderá nascer com algum problema

Mito.  “Isso não passa de superstição e, em alguns casos, até mesmo chantagem emocional da grávida”, desmistifica o dr. Fernandes.

As vontades repentinas realmente existem e, segundo estudos ainda em andamento, podem ser reflexos de carências nutritivas do bebê, transmitidos via placenta até o cérebro da mãe. O reflexo então seria processado na forma de desejo por algum alimento.

“Se o bebê necessita de carboidrato, a mensagem será levada ao cérebro da mãe, que irá decodificar esse sinal em formato de imagem, provavelmente de algum alimento com carboidrato, podendo ser uma torta de morango ou uma coxinha”, explica o ginecologista.

Tomar cerveja preta melhora a produção de leite

Mito.  Não há nenhum estudo científico que comprove a relação entre o alimento consumido e o aumento da produção do leite. O que pode acontecer é o sabor do leite sofrer alteração de acordo com a alimentação da mãe.

Grávidas sentem mais calor


Verdade
. Devido à aceleração do metabolismo por conta da gestação, as grávidas tendem a suar mais e a sentir mais calor.

A gestante não deve praticar exercícios físicos

Mito. Primeiro, a grávida deve passar por uma avaliação médica completa e, se não tiver fatores de risco, ela pode fazer atividade física com moderação. Na gravidez são indicados esportes de baixo impacto, como caminhadas, ioga, natação e hidroginástica.

Se a grávida cruza as pernas, pode fazer com que o cordão umbilical dê voltas e enforque o bebê

Mito. Durante todo o período da gestação o bebê se enrola no cordão umbilical. Os movimentos da mãe não interferem nesse deslocamento e muito menos colocam o feto em risco.

Grávidas podem ficar com a pele manchada por causa do sol

Verdade. Toda grávida tem mais tendência a ter manchas na pele por causa do aumento da liberação de melanina. O ideal é que a grávida utilize protetor solar no rosto e, principalmente, na barriga, onde há maior concentração dessa proteína.

Источник: https://drauziovarella.uol.com.br/mulher-2/obstetricia/mitos-sobre-a-gravidez/

Sexo do bebê: 11 mitos e verdades para descobrir se é menino ou menina!

Mitos sobre se é menino ou menina

Existem muitos mitos que pretendem “adivinhar” se a criança que está sendo gerada é menino ou menina. Mas, como saber o sexo do bebê com certeza? Confira o post!

Enquanto não chega a hora de descobrir o sexo do pequeno, haja coração pra segurar tanta ansiedade, não é mesmo?! «Será que teremos uma menina ou um menino?» Essa é a pergunta que todos os pais fazem na hora em que descobrem que terão um bebê. Mas quando é hora de descobrir?

Entre a 11ª e a 14ª semana de gestação é possível ter algumas pistas sobre o sexo do bebê, mas para ter certeza mesmo, só depois da 16ª semana.

Para isso, o bebê ainda precisa “colaborar”, ficando em uma posição favorável.

Isso porque, se ele estiver com as perninhas cruzadas ou de costas no momento da ultrassonografia, por exemplo, fica difícil para o médico visualizar a região pélvica dele.

É nessa hora que começam a surgir os palpites, quase sempre originados de crendices populares que ultrapassam gerações, mas que não possuem nenhum embasamento científico. 

Provavelmente você vai ouvir muitos questionamentos do tipo «se você está assim é porque é menina, e se estiver assado é porque é menino» e assim por diante. Acompanhe o post e descubra o que é mito e o que é verdade sobre esse assunto!

1- Os desejos alimentares dirão se você espera um menino ou uma menina!

Há quem diga que quando o bebê é menino, a grávida tem preferências e desejos por alimentos salgados e ácidos e, que quando é menina, a mamãe sente mais vontade de ingerir alimentos doces. 

Bem, isso não passa de um mito. O fato é que o paladar e as preferências por determinados alimentos variam de mulher para mulher. Portanto, não existe qualquer relação entre os desejos da grávida e o sexo do bebê.

2- A forma da barriga diz tudo sobre o sexo do bebê 

“Se a barriga for pontuda, é menina, mas se for mais arredondada, é menino!”. Você já ouviu alguém dizer isso? Inclusive, há quem diga exatamente o contrário: “barriga pontuda é menino e barriga bem redonda é menina”. 

Na verdade, tanto faz, pois isso não passa de mais um mito. Não há nenhuma evidência científica nisso e a verdade é que o formato da barriga da grávida é definido somente em função da posição do bebê e pela genética da mamãe.

3- Maior ganho de peso da mãe indica que é menino!

Existe sim, uma relação entre o ganho de peso da gestante e o sexo do bebê. Uma pesquisa que analisou cerca de 68 milhões de nascimentos, em um período de 23 anos, realizada na Universidade da Geórgia, nos Estados Unidos, e publicada na revista científica PLOS One, confirmou esse fato.

O estudo constatou que os embriões masculinos necessitam de mais calorias para se desenvolver. Isso porque, salvo exceções, as gestantes que tiveram maior ganho de peso deram à luz meninos.

Então, fique de olho no seu peso: se ganhar peso demais, pode ser que há um menininho vindo por aí!

4- Gravidez de menino é mais complicada

Outro estudo, realizado pelo Instituto de Pesquisa Robinson, da Universidade de Adelaide, na Austrália, e divulgado na revista científica PLOS One, apontou um fato surpreendente: complicações mais sérias na gestação são, de fato, mais comuns em mulheres grávidas de meninos! 

O estudo apurou aproximadamente 600 mil nascimentos entre os anos de 1981 e 2011 e concluiu que, quando a mamãe está esperando um menino, é maior a ocorrência de diabetes gestacional, partos prematuros e pré-eclâmpsia.

Calma! Não há motivo para desespero. Independente do sexo do bebê, é essencial contar com um bom acompanhamento médico e seguir à risca as orientações do seu obstetra para ter uma gravidez saudável, tanto para você quanto para o seu bebê.

5- A frequência cardíaca do bebê

Há quem diga que se a frequência cardíaca do bebê for superior a 140 bpm (batimentos por minuto) é uma menina, e que se os batimentos cardíacos forem mais lentos, abaixo de 140 bpm, é porque é um menino. Esqueça isso!

Na verdade, a frequência cardíaca do bebê varia entre 120 e 160 bpm e não há nenhuma distinção entre o ritmo cardíaco de meninos e meninas. Também varia dependendo da idade gestacional.

6- Linha Nigra ou Linha Alba determina diretamente o sexo do bebê

Essa linha é a famosa linha escura que atravessa verticalmente a barriga da mamãe durante a gravidez. Dizem que, se a linha cruzar a barriga, ou seja, chegar até o estômago, é um menino. Se a linha chegar somente até o umbigo, é menina.

Esse dilema é um mito. Não existe relação nenhuma comprovada com a linha e o sexo do bebê. A Linha Nigra nada mais é do que uma consequência das alterações hormonais da gravidez, que está relacionada diretamente ao nível de estrogênio do corpo da mãe.

7- O excesso ou a falta de enjoos pode determinar o sexo do bebê

Mito! Geralmente os mais antigos diziam que poucos enjoos matinais representavam que a mulher teria um menino, enquanto os enjoos mais frequentes representavam que uma menina estava a caminho.

Mas isso não é verdade. Os enjoos são refletidos conforme a quantidade de magnésio presente no sangue da mãe. Ou seja, quando ele está mais baixo, maiores as quantidades de náuseas e enjoos durante a gravidez. Portanto, os enjoos nada têm a ver com o bebê.

8- Pele bonita ou não

Dizem que se a pele da mamãe estiver mais bonita do que antes da gestação, significa que vem um menininho por aí. Já se a mãe estiver com a pele mais oleosa e tendenciosa para espinhas, está chegando uma menininha!

Porém, este é mais um mito sobre como saber o sexo do bebê! Esse é um fator do organismo da mãe e não tem relação com o desenvolvimento do sexo do bebê.

9- Quais crianças estão se aproximando de você?

Quando uma menina simpatiza com você, dizem que o bebê que está na sua barriga é um menino, e se outro menino simpatizar com você significa que será uma menina.

Não há comprovações sobre isso, então, este é mais um mito! É bem possível que cada criança sinta curiosidade, atração ou conexão com coisas e pessoas diferentes. Logo, não há como provar que a criança possui um «radar de descoberta de sexo».

10- Os sonhos falam o sexo do bebê para você!

Como você sabe, não é possível mandarmos nos nossos sonhos, afinal, eles são um mix de emoções e vivências que passamos durante o dia ou um período de tempo.

Mesmo assim, muitas mulheres acreditam (através das crenças mais antigas), que sonhar com uma menina significa que você terá um menino, e que se você sonhar com um menino, terá uma menina.

Mas isso é mais um mito! Os sonhos são incontroláveis e não falam por si só, não é possível fazer uma ligação óbvia para que isso aconteça.

11- Como está o seu nariz hoje?

Dizem que quando a mamãe espera uma menina, o seu nariz vira uma bolinha, de tão inchado. Enquanto isso, mamães com o nariz da maneira natural, sem inchaços, terão um menino.

Isso também não passa de um mito. O inchaço é algo natural durante a gestação e pode variar de mulher para mulher. Então não há uma comprovação para isso que diga que através da quantidade de inchaço determina se a gravidez é uma menina ou vice versa.

Como saber, na real, qual é o sexo do bebê?

Apesar de não passarem de mitos e verdades da gestação, é possível que alguns deles deem certo para você, pode ser que alguns dos sintomas e características apresentadas acima correspondem ao sexo do seu bebê! Mas vale lembrar que, esses são métodos não comprovados cientificamente, por isso são considerados mitos, ok?

Identificar o sexo do bebê é algo importantíssimo para os papais, e exige um tempo de espera. Porém, se você não aguenta mais esperar, existem algumas alternativas para você descobrir o sexo do seu bebê. Veja quais são:

Ultrassonografia

No ultrassom que normalmente é feito entre a 11ª a 14ª semana, é difícil enxergar na imagem se o bebê tem um órgão sexual masculino ou feminino. Por este motivo, muitos obstetras esperam até a 20ª ou 21ª semana para ver com clareza o que a mamãe carrega no ventre.

Intelligender

Esse teste é encontrado na farmácia, e é bem semelhante ao teste de gravidez. Ele é realizado com a urina da mãe, e é através dela que é detectada a presença de alguns hormônios que identificam o sexo do bebê.

Gostou deste conteúdo? Aproveite para conferir outros assuntos no nosso blog e não deixe de fazer o seu cadastro para receber informações sobre a gestação mês a mês.

Siga a Bilila Baby no Instagram para se inspirar e receber dicas. Curta nossa página noe fique por dentro das novidades.

Источник: https://blog.bililababy.com.br/bebe/menino-ou-menina-mitos-e-verdades-sobre-o-sexo-do-bebe/

Como saber se é menino ou menina? [6 mentiras e 3 verdades]

Mitos sobre se é menino ou menina

Todos já ouviram alguma vez sobre simpatias e sinais que ajudam a descobrir o sexo do bebê, de testes da colher até o fato da barriga está maior ou menor. Mas, afinal, como saber se é menino ou menina? O que é mito e o que realmente ajuda a revelar o sexo do neném? Continue lendo para descobrir!

Como e quando surge o sexo do bebê?

O sexo do bebê é definido desde o momento de sua concepção, em um processo chamado de diferenciação sexual humana. 

Funciona da seguinte forma: 

Todos os óvulos contêm um cromossomo X, enquanto o esperma pode ter um cromossomo X ou Y, resultando em duas possibilidades: 

  1. Se o óvulo for fertilizado por um espermatozoide carregando um cromossomo X, resultará em um embrião XX, que será uma menina.
  2. Já se a célula espermática tiver um cromossomo Y, o embrião terá cromossomos XY, resultando em um menino.

Entretanto, apesar disso, você só consegue descobrir se vai ter um menino ou menina quando já está com alguns meses de gestação. 

Isso acontece porque, a princípio, todos os embriões parecem iguais e, se não fosse pelos efeitos do hormônio testosterona, todos os bebês teriam apenas traços femininos. 

Até a 7º semana de gravidez, o bebê terá uma estrutura chamada “crista genital”. Só após esse período é que ele começa a produzir hormônios que estimulam o desenvolvimento de seus órgãos sexuais.

Quando esses hormônios sexuais entram em ação, a crista genital começa a se diferenciar nessas estruturas.

Portanto, os ovários e os lábios vaginais são formados a partir das mesmas células (crista genital) que os testículos, assim como o clitóris e o pênis.

Nos meninos, esse desenvolvimento acontece da seguinte maneira:

  • A crista genital começa a aumentar para um pênis na 9º semana. 
  • Minúsculos botões formarão a próstata por volta da 10º semana
  • O sistema urinário é formado lá pela 14º semana. 
  • Os testículos descem para o escroto por volta da 26º semana e o pênis continua crescendo durante o terceiro trimestre.

Já nas meninas:

  • os ovários se desenvolvem entre a 11º e 12º semanas e enchem-se com 7 milhões de óvulos (a bebê nasce com apenas cerca de 2 milhões).
  • Duas estruturas chamadas ductos paramesonéfricos se fundem para formar o útero e a vagina durante o terceiro mês de gravidez. 
  • A vagina será aberta por volta da 22º semana.

6 mitos sobre como saber se é menino ou menina

Existem muitas crenças e mitos populares de como saber se é menino ou menina, principalmente através de sintomas físicos apresentados pela mãe. 

Embora seja tentador pensar que você pode determinar o sexo do bebê de forma tão simples, alguns fatos desmentem esses mitos. Confira! 

1) Barriga alta ou baixa

Um dos mitos mais comuns em torno do sexo do bebê diz que, se a barriga da mãe estiver alta, vai ser uma menina e, se estiver baixa,  um menino. 

Porém, não é bem assim, pois os fatores que determinam a aparência da barriga durante a gestação na verdade são:

  • a condição física da mãe, 
  • a quantidade de gestações que ela teve, 
  • a forma física dos músculos abdominais 
  • e o ganho total de peso durante a gravidez.

2) Mudanças de humor

Algumas pessoas pensam que o estrogênio que as meninas produzem pode afetar o humor da mãe, causando mudanças em seu temperamento, o que não acontece quando gestam meninos.

No entanto, isso não é verdade, já que existe a mesma probabilidade de sofrer variações de humor estando grávida de um garoto ou uma garota. 

Isso porque todas as mulheres grávidas podem sofrer flutuações hormonais que geram mudanças em seu temperamento, é um processo natural da gestação e não está relacionado ao sexo do bebê.

3) Ter mais enjoos matinais

Outra crença popular afirma que, como as meninas produzem mais hormônios, suas mães vão sofrer com mais enjoos matinais. 

Porém, na verdade, esse é um sintoma que pode variar de mulher para mulher e até mesmo de gestação para gestação. 

Se você se sentiu muito enjoada durantes a gravidez do primeiro filho, não quer dizer que isso vá ocorrer com o segundo, mesmo o bebê sendo do mesmo sexo que o anterior.

4) Ter cabelos e pele mais ou menos saudáveis

Algumas pessoas acreditam que, se a mulher gesta uma menina, desenvolve uma pele oleosa e com muita acne e que, ao contrário, se gesta um menino, sua pele fica mais saudável e tem cabelos grossos e brilhantes.

Mas, novamente, essas mudanças dependem apenas dos hormônios da gravidez e variam de mulher para mulher, independentemente do sexo do bebê.  

5) Desejo de alimentos salgados ou doces

Uma crença popular afirma que as mulheres que esperam meninas desejam mais doces,  enquanto as que esperam meninos desejam principalmente alimentos salgados.

Na verdade, todas as grávidas experimentam desejos de comida em algum momento da gravidez, mas o fato de desejarem salgados ou doces têm mais probabilidade de estar relacionado às suas necessidades nutricionais do que ao sexo do bebê.

6) Frequência cardíaca fetal mais baixa

Outro mito sobre como saber se é menino ou menina afirma que, se a frequência cardíaca do bebê for de cerca de 140 batimentos por minuto, é um garoto e, se for mais rápido, é uma garota. 

Mas estudos científicos mostraram que não há uma diferença significativa entre os batimentos cardíacos de fetos femininos e masculinos.

3 métodos eficazes para saber se é menino ou menina

Mas, afinal, como saber se é menino ou menina? Estes são alguns dos testes confiáveis que seu médico pode usar para determinar o sexo do seu bebê:

1) Ultrassom

Normalmente, você pode descobrir o sexo do seu bebê por meio de ultrassom, que pode ser realizado entre a 18º e 20º semana.

O técnico de ultrassom vai examinar a imagem do bebê, analisando os órgãos genitais em busca de diferentes características que sugiram se tratar de um menino ou menina. 

Veja como funciona um exame de ultrassom do bebê do vídeo abaixo:

Entretanto, mesmo durante esse tipo de exame, às vezes não é possível determinar o sexo da criança. 

Isso acontece, por exemplo, nos casos em que o bebê não está em uma posição adequada, desfavorecendo a visualização dos órgãos sexuais.

2) Exames de sangue

Também é possível realizar um exame de sangue às nove semanas da gravidez que pode revelar o sexo do bebê.

Testes de DNA de células gratuitas, como o Panorama, funcionam na gravidez porque o sangue materno carrega traços do DNA do bebê. 

Neste tipo de teste, uma amostra de sangue é enviada para o laboratório e os resultados saem cerca de 7 a 10 dias depois.

Mas revelar o sexo não é o objetivo principal desse exame. Na verdade, eles são a primeira linha de testes para a síndrome de Down e outras condições herdadas geneticamente.

Além disso,  geralmente são realizados apenas em mulheres com mais de 35 anos ou naquelas com risco aumentado de distúrbios cromossômicos.

3) Outros testes genéticos

Métodos de testes genéticos, como amniocentese ou amostragem de vilosidades coriônicas (CVS), também são métodos precoces de predição de gênero em bebês. 

Esses testes geralmente são realizados para determinar se o bebê sofre de uma anormalidade cromossômica ou de um distúrbio genético como a síndrome de Down. 

A amniocentese é um tipo de teste genético no útero, no qual o médico retira uma pequena quantidade de líquido amniótico usando uma agulha fina e longa.

Fonte: Communiplace

Algumas células do bebê estão presentes nesse líquido, o que possibilita que ele seja usado para determinar a presença de qualquer distúrbio genético e também para saber o sexo da criança. 

A amniocentese é geralmente realizada entre a 15ª e a 20ª semana de gravidez.

A amostragem de vilosidades coriônicas (CVS) também é um tipo de teste genético feito para determinar a presença de defeitos congênitos e também possibilita descobrir o sexo do bebê. 

Durante esse procedimento, o médico remove uma amostra das vilosidades coriônicas, tecido presente na placenta que contém informações sobre os genes do bebê. A CVS é ​​geralmente realizada entre a 11ª e a 14ª semana de gravidez.

Fonte: https://www.reproduccionasistida.org

Porém, esses métodos de teste genético causam risco de aborto espontâneo e geralmente são reservados para gestantes com mais de 35 anos ou casais com histórico familiar de desordens genéticas.

É normal ficar curioso para saber o sexo do bebê, mas lembre-se sempre de que a saúde da mãe e da criança é sempre mais importante. 

Mantenha uma dieta saudável durante a gravidez, hidrate-se bastante, evite se expor a substâncias tóxicas como cigarro e álcool, mantenha-se ativa e realize o seu acompanhamento pré-natal corretamente. 

A Eigier Diagnósticos oferece exames de medicina fetal, com alta tecnologia, conforto e segurança, para ajudá-la a ter uma gravidez saudável e sem complicações.

O grupo está há mais de 37 anos no mercado e é responsável pelo controle de empresas especializadas que atuam em medicina diagnóstica por imagem. 

Comentários:

Источник: https://eigierdiagnosticos.com.br/blog/como-saber-se-e-menino-ou-menina/

Embarazo y niños
Deja una respuesta

;-) :| :x :twisted: :smile: :shock: :sad: :roll: :razz: :oops: :o :mrgreen: :lol: :idea: :grin: :evil: :cry: :cool: :arrow: :???: :?: :!: