Mudanças na mulher no quinto mês de gravidez

Gravidez 5º mês

Mudanças na mulher no quinto mês de gravidez

A maioria das mulheres sentirá os movimentos do bebé pela primeira vez no quinto mês: no início apenas com um leve borboletear, depois também com pontapés ou empurrões mais fortes.

Agora é a o momento perfeito para ir de férias. O stresse físico causado pela gravidez continua a ser limitado neste mês, pelo que a mãe ainda pode aproveitar para descansar.

O bebê no quinto mês de gravidez: a perceção sensorial desenvolve-se desenvolve rapidamente

No início do quinto mês, o bebé mede pouco mais de 11 centímetros no comprimento cabeça-nádegas e pesa cerca de 110 gramas. No final do mês, o comprimento do seu corpo já não vai ser medido no comprimento cabeça-nádegas, mas no comprimento da cabeça aos pés e será de cerca de 25-28 centímetros.

O seu peso corporal terá quase triplicado até então. Até agora, a cabeça era a maior parte do corpo em comparação com o corpo: no quinto mês, o tronco e os membros crescem com mais vigor, de modo que o bebé está a chegar cada vez mais perto das suas proporções finais do corpo.

Durante o quinto mês de gestação, o bebé também começa a acumular uma camada de gordura, importante para regular seu equilíbrio térmico, entre outras coisas. Os seus movimentos e reflexos (chupar, engolir, agarrar) funcionam cada vez melhor e treinam intensamente. Os traços faciais do bebé continuam a desenvolver-se.

A coordenação do movimento e perceção sensorial do bebé irá melhorar durante o quinto mês. Já ouve e percebe estímulos táteis. No quinto mês, o desenvolvimento das regiões cerebrais responsáveis pelo controlo da perceção sensorial (audição, visão, olfato, paladar, tato) entra na sua fase decisiva.

Uma substância protetora conhecida como mielina forma-se gradualmente ao redor da medula espinhal e das células nervosas, que desempenharão um papel importante na transmissão de estímulos através dos nervos. Este processo continua durante o primeiro ano de vida.

Os órgãos reprodutivos do bebé já estão totalmente desenvolvidos, mas os testículos dos meninos permanecerão na cavidade abdominal até os 8 meses. Cerca de seis milhões de óvulos formaram-se nos ovários das meninas, número que será reduzido para cerca de um milhão no momento em que nascerem.

A partir de agora, o corpo da menina não produzirá mais óvulos. Quando engravidar como uma mulher adulta, o óvulo do qual nascer o seu bebé terá a mesma idade que ela.

Durante o quinto mês de gravidez, o batimento cardíaco do bebé pode ser ouvido com um estetoscópio pela primeira vez. Na ecografia, o médico pode agora ver se o coração do bebé se desenvolveu normalmente. O fígado e o baço começam o seu trabalho no quinto mês. O baço começa a produzir glóbulos brancos e, portanto, cria a base para o desenvolvimento do sistema imunológico do bebé.

Os rins e a bexiga já estão a funcionar e totalmente desenvolvidos. Ao beber o líquido amniótico, o bebé treina seu trato digestivo. Os primeiros produtos metabólicos são agora depositados no intestino e serão excretados como o chamado mecónio após o parto.

A mãe no quinto mês: barriga e primeiras contrações de Braxton Hicks

A maioria das mães também se sente bem durante o quinto mês de gravidez. Já se adaptaram bem às mudanças causadas pela gravidez, confiam no seu corpo e aproveitam a fase de relaxamento. No quinto mês, no entanto, o crescimento do bebé torna-se cada vez mais percetível, mas isso não resulta em sintomas mais graves.

A verdadeira «fase redonda» da gravidez começa no quinto mês de gravidez: a sua barriga estará cada vez mais redonda. No final do mês, a borda superior do útero está ligeiramente acima do umbigo. Além disso, o útero move o centro de gravidade para a frente, o que pode causar pequenos distúrbios no equilíbrio.

Um novo aumento nas hormonas da gravidez, bem como o aumento da circulação sanguínea da membrana mucosa nasal, tapam o nariz: para aliviar o problema, os sprays nasais com água do mar são completamente inofensivos para o bebé. O crescimento do útero e do bebé aumenta a tensão dos ligamentos uterinos, que mantêm o útero no lugar na pelve.

Portanto, a maioria das mulheres experimenta dor leve na virilha durante o resto da gravidez. Por esse motivo, evite passar muito tempo em pé sem mudar de posição.

O nervo ciático passa diretamente por baixo do útero e, quando pressionado, pode causar ataques intensos de dor. A barriga e os seios exigem cuidados especiais a partir de agora.

As loções corporais nutritivas e massagens suaves com óleo de massagem vegetal evitam as estrias. As alterações na pigmentação relacionadas com a gravidez são mais pronunciadas no quinto mês:

Os mamilos e a aréola agora adquirem uma cor mais escura, a pigmentação também pode aparecer noutras partes do corpo. Nalgumas mulheres, forma-se uma linha vertical escura que atravessa o centro do abdómen e desaparece após o parto.

O aumento da quantidade de sangue aumenta a temperatura corporal, pelo que muitas mulheres grávidas começam agora a transpirar facilmente. Nos próximos meses, a circulação das grávidas deve atingir o máximo desempenho, e certas hormonas também amolecerão as paredes dos vasos sanguíneos durante a gravidez.

Isso aumenta o esforço das veias nas quais o sangue flui de volta para o coração. As veias na cavidade abdominal também sofrem com o crescimento do útero e prisão de ventre relacionada com a gravidez. Portanto, mais da metade das mulheres grávidas sofrem de dilatação venosa (varizes ou hemorroidas).

A partir do quinto mês de gestação, um bom cuidado das veias é essencial para a prevenção. Exercício moderado, ginástica regular do pavimento pélvico, evitar ficar de pé ou sentado durante muito tempo, bem como uma dieta saudável com muita fibra e vitaminas, especialmente vitamina C e E, contribuem para o cuidado das veias, bem como para o bem-estar geral.

No caso das varizes existentes, as pomadas leves à base de ervas proporcionam alívio e podem até mesmo ajudar a curar as veias varicosas sangrantes, no entanto, seu uso deve sempre ser consultado previamente com o médico.

Os métodos eficazes para aliviar esses desconfortos são levantar as pernas regularmente e, principalmente, dormir com as pernas ligeiramente levantadas.

No caso de veias varicosas muito pronunciadas nas pernas, podem ser úteis umas meias de compressão.

Durante o quinto mês de gestação, algumas grávidas sentem as suas primeiras contrações de treino (contrações de Braxton Hicks) nas quais o útero se contrai em intervalos rítmicos. Estas estão frequentemente associados a um desconforto leve. O corpo já se está a exercitar para o parto com essas contrações.

Não são perigosos para o bebé. As contrações de Braxton Hicks geralmente não acontecem mais de três vezes por hora e não duram mais de 45 segundos. Pelo contrário, contrações cuja frequência e intensidade aumentam progressivamente, associadas a sangramento ou endurecimento do abdómen, exigem um exame médico imediato, pois podem ser dores de parto prematuras.

Nesse caso, o médico tentará interromper o início do trabalho de parto administrando inibidores de contração.

No final do quinto mês, é feito o segundo grande check-up

O próximo check-up importante também está programado para o quinto mês de gravidez. Desta vez, os futuros pais vão desfrutar de impressionantes imagens na ecografia do seu bebé. O médico agora tem vários dados corporais precisos para avaliar o seu nível de desenvolvimento.

Nesta base, já podem ser calculados com relativa precisão a altura e o peso da criança. Se a mãe tiver a tensão alta ou se lhe for diagnosticado açúcar e / ou proteína na urina, será submetida a um acompanhamento médico muito rigoroso durante as próximas semanas e meses para detetar o mais rapidamente possível certos distúrbios na gravidez, as chamadas toxemias da gravidez.

Durante o exame, o médico também verifica se a mãe e a criança estão bem alimentadas com todos os nutrientes, minerais e oligoelementos necessários. Se necessário, recomendará uma mudança de alimentação ou suplementos adicionais de ferro, iodo, cálcio ou magnésio para evitar sintomas de deficiência.

Источник: https://www.bebitus.pt/guia/gravidez/meses-de-gravidez/gravidez-5o-mes.html

Alterações cardíacas na gestação

Mudanças na mulher no quinto mês de gravidez

Mesmo quem não sofre de pressão alta precisa ficar atenta a um fenômeno chamado hipertensão gestacional, que acomete cerca de 10% das gestantes em todo mundo. Leia mais sobre gravidez e problemas cardíacos.

Coração acelerado, falta de ar e cansaço. Quem está grávida ou já passou por uma gestação certamente notou que, nesse período, o músculo cardíaco bate mais rápido, até mesmo quando se está em repouso.

O motivo é que durante a gravidez a quantidade de sangue bombeada pelo coração por minuto aumenta entre 30 e 50%.

 À medida que o coração trabalha mais, a frequência cardíaca em repouso vai de 70 pulsações por minuto para 80 ou 100.

A ginecologista Cassiana Giribela, mestre e doutora pela FMUSP (Faculdade de Medicina da Universidade de São Paulo), explica que, durante a gravidez, há 2 litros de sangue a mais circulando pelo corpo da gestante. Tudo isso para fornecer oxigênio e nutrientes para a placenta e para o feto.

“As pacientes que não apresentam problema cardíaco vão sentir um leve desconforto ao caminhar, subir um lance de escadas ou fazer qualquer outra atividade que exija esforço. Ela sofre pequenas palpitações que não chegam a causar dor no peito. Mas tudo isso passa depois do parto”, esclarece.

Por isso é importante procurar um cardiologista antes de enfrentar uma gravidez, já que muitas mulheres desconhecem que têm problemas no coração.

É no período de gestação que uma possível complicação cardíaca não detectada anteriormente fica mais evidente, por isso a necessidade de um check-up.

“Mulheres que engravidam mais tarde, por volta dos 40 anos, sedentárias e fumantes podem inclusive sofrer infarto durante a gestação, caso já tenham placas de gorduras nas artérias coronárias e, por esse motivo, o coração pode sofrer sobrecarga e infartar”, diz a médica.

Recomendações para manter a saúde cardíaca na gestação

A professora Márcia Auf, de 35 anos, está entrando no quinto mês da gestação do primeiro filho e relata que sente o coração bater mais depressa em situações que não exigem tanto esforço. “Quando subo escadas na escola, quando falo muito ou num tom mais alto e à noite, ao dormir, sinto umas batidas mais fortes”, diz.

Apesar das mudanças fisiológicas que acometem o músculo cardíaco da mulher, o cardiologista Fernando Costa, do Hospital Beneficência Portuguesa de São Paulo, esclarece que o órgão está preparado para o aumento de ritmo e intensidade. Em termos práticos, é como se a gestante passasse grande parte do dia executando atividades físicas de baixa e média intensidade, como andar de bicicleta.

“Além disso, uma mulher grávida tem um volume plasmático [quantidade de líquido no organismo] maior; consequentemente as hemácias  [que transportam o oxigênio no sangue] sofrem redução de tamanho. Então, o risco de ela ter anemia é muito grande. Por isso é importante haver um reforço na dieta dessa paciente, em relação à quantidade de ferro e vitaminas”, alerta Costa.

Outra dica importante para as mães de primeira viagem é engordar, no máximo, 10 quilos durante a gestação.

Acima desse valor, há sobrecarga do músculo cardíaco, fazendo com que ele tenha que trabalhar ainda mais.

“É necessário controlar a pressão arterial, pois o normal é que a pressão da mulher diminua e não aumente. Qualquer alteração, procure um médico imediatamente”, recomenda o cardiologista.

Além disso, como lembra Costa, gravidez não é doença. Por isso, a gestante deve fazer atividades físicas diárias, de baixo impacto, como uma caminhada de 30 minutos ou exercícios dentro da água, como hidroginástica.

Mas evite fazer uso de qualquer substância que possa aumentar o ritmo cardíaco, como cafeína, álcool e tabaco. Durante períodos de taquicardia devido à gravidez, deve-se descansar o máximo possível para evitar estresse.

Hipertensão gestacional

Mesmo quem não sofre de pressão alta precisa ficar atenta a um fenômeno chamado hipertensão gestacional, que acomete cerca de 10% das gestantes em todo mundo.

O aumento da pressão sanguínea pode trazer problemas para a gestante e para o bebê e geralmente acomete mulheres com sobrepeso, que se alimentam mal e sedentárias, além de poder ser uma má adaptação do organismo materno a sua nova condição.

“Isso acontece mais nas primigestas, ou seja, durante a primeira gravidez. É difícil acontecer na segunda ou na terceira, por exemplo. A doença surge principalmente nos últimos seis meses, quando há aumento da pressão, edema, inchaço dos membros inferiores e alteração dos exames, como aumento de ácido úrico e proteinúrias, que é a saída de proteínas pela urina”, explica Cassiana.

A médica esclarece ainda que os casos menos graves podem ser resolvidos com anti-hipertensivos e costumam evoluir bem. Nos casos mais graves, quando o medicamento não resolve, é preciso adiantar o parto para que a mãe não sofra um quadro de eclâmpsia.

“É um dos estágios mais perigosos, responsáveis pela maior causa de mortalidade materna no país. É caracterizado por crises de convulsão e desmaios causados pela pressão alta na gravidez”, diz a ginecologista.

Источник: https://drauziovarella.uol.com.br/mulher-2/obstetricia/alteracoes-cardiacas-na-gestacao/

Embarazo y niños
Deja una respuesta

;-) :| :x :twisted: :smile: :shock: :sad: :roll: :razz: :oops: :o :mrgreen: :lol: :idea: :grin: :evil: :cry: :cool: :arrow: :???: :?: :!: