O que é que uma criança de 8 meses pode comer?

Alimentação do bebé de 8 meses: o que dizem as novas recomendações

O que é que uma criança de 8 meses pode comer?

As mais recentes recomendações sobre alimentação complementar, lançadas pela Sociedade Europeia de Gastroenterologia, Hepatologia e Nutrição Pediátrica em 2017, demonstram que não existem diretrizes rígidas na introdução de novos alimentos, devendo esta ser feita de acordo com o interesse demonstrado pela criança pelo alimento (1, 2).

Portanto, a alimentação do  bebé de 8 meses irá depender dos alimentos que já foram introduzidos e da tolerância em relação aos mesmos, tornando a alimentação cada vez mais diversificada.

Alimentação do bebé de 8 meses: como introduzir novos alimentos

A forma de introdução de alimentos deverá ser mantida. Sendo que deve fazer uma introdução gradual, um de cada vez, iniciando com uma quantidade reduzida e aumentando progressivamente, com uma periodicidade de 3 a 5 dias, de forma a avaliar possíveis alergias ou intolerâncias que o bebé possa desenvolver (2).

Um bebé de 8 meses já é capaz de se alimentar com maior independência, por isso deve incentivar o uso de colher e das mãos para promover a autoalimentação.

Alimentação do bebé de 8 meses: alimentos a introduzir

Todos os alimentos já introduzidos nos meses anteriores devem continuar a fazer parte da alimentação do bebé, no entanto devem ser oferecidos novos alimentos saudáveis de forma a diversificar a dieta. Assim, irá promover o contacto do bebé com novos sabores e texturas.

Nesta fase do desenvolvimento as sopas deverão ser menos passadas e os alimentos sólidos, como a fruta, devem ser partidos em pequenos pedaços.

Alimentos que deve incluir na dieta do seu bebé:

  • Papas lácteas e não lácteas
  • Legumes
  • Pão, bolachas e cereais (com baixo teor em açúcar e sal)
  • Arroz e massa
  • Fruta crua
  • Peixes magros (pescada, linguado, dourada, besugo)
  • Carne (frango, peru, coelho, vitela, cabrito, borrego)
  • Iogurte natural não açucarado

Não deve oferecer iogurte como sobremesa, uma vez que o cálcio presente no iogurte irá interferir com a absorção do ferro da refeição. Pode ser oferecido como refeição intermédia, juntamente com fruta, em substituição de uma refeição de leite ou de uma papa.

Com esta idade, as refeições do bebé devem ter no máximo 250 gramas, uma vez que esta é a capacidade do seu estômago. Sendo que, deve respeitar o apetite do bebé, não forçando a sua ingestão quando este se encontrar saciado. É recomendado que as refeições sejam feitas de 3 em 3 horas.

Alimentação do bebé de 8 meses: alimentos a evitar

De forma a manter uma alimentação saudável e diminuir o risco de desenvolver problemas relacionados com a alimentação, deve evitar oferecer ao bebé os seguintes alimentos (2):

  • O açúcar e o sal não devem ser adicionados aos alimentos complementares assim como alimentos processados com elevado teor nestes ingredientes devem ser evitados
  • O mel não deverá ser introduzido
  • As bebidas de arroz não devem ser usadas de forma diminuir a exposição ao arsénio inorgânico, uma vez que estas bebidas apresentam elevada quantidade deste elemento

Alimentação do bebé de 8 meses: alimentos potencialmente alergénicos

Outra novidade nas novas recomendações da Sociedade Europeia de Gastroenterologia, Hepatologia e Nutrição Pediátrica é relativa aos alimentos alergénicos.

Novos estudos demostraram que uma introdução precoce de potenciais alergénicos pode diminuir o risco de alergia alimentar (2). Assim, é esperado que um bebé de 8 meses já tenha entrado em contacto com alimentos potencialmente alergénicos anteriormente.

De forma a continuar a diversificar a alimentação do bebé é importante inserir novos alimentos, inclusive os descritos como potenciais alergénicos (2).

Lista dos principais alimentos capazes de provocar alergia:

  • Leite de Vaca
  • Iogurte
  • Ovo
  • Trigo
  • Amendoim
  • Peixe
  • Fruta (kiwi, morango, maracujá, amora)

A introdução destes alimentos deverá ser gradual, iniciando com uma pequena quantidade e aumentando-a progressivamente. Durante este processo é importante ter atenção à reação do bebé após a ingestão do alimento (3).

Note que a introdução do leite de vaca não deve ser feita como principal constituinte da refeição, uma vez que o seu conteúdo em ferro é consideravelmente baixo (2). Este, poderá ser adicionado a outros alimentos, como as papas.

Por fim, é aconselhado que siga sempre as orientações do pediatra de forma a evitar carências nutricionais e atrasos no desenvolvimento do bebé.

Источник: https://www.vidaativa.pt/alimentacao-do-bebe-de-8-meses/

O que muda na alimentação da criança depois de 1 ano?

O que é que uma criança de 8 meses pode comer?

Todo pai e mãe deseja ver seu filho comendo bem, crescendo forte e saudável. Porém, a maioria deles têm dúvidas sobre como prosseguir com a alimentação da criança depois de 1 ano de vida. Será que a criança já pode comer de tudo? O que deve ser evitado? A criança já pode comer a comida da família?

Essas e muitas outras dúvidas serão respondidas ao longo deste post. Confira todas essas informações a seguir e veja ao final sugestões de cardápio para alimentação da criança a partir de 1 ano de idade.

Principais mudanças na alimentação da criança em cada fase

Nos primeiros meses da introdução alimentar, entre o 6º e o 7º mês de vida do bebê, é recomendado uma alimentação leve com alimentos saudáveis em textura de papinha. Isso porque o bebê está na fase de experimentação, onde é necessário aprender a mastigar, engolir e diferenciar os sabores.

Nessa fase, é fundamental que os alimentos apresentados tenham textura de papinha para facilitar a deglutição. Porém, à medida que o bebê vai crescendo é indicado deixar a papinha mais consistente até que a criança consiga comer alimentos em pedaços pequenos.

Essa transição entre texturas e sabores é muito importante para o desenvolvimento da criança como um todo. Quando o bebê atinge seu primeiro ano de vida, ele já está pronto para comer a refeição da família, desde que o cardápio familiar seja saudável.

Não é porque o bebê aprendeu a comer que ele poderá comer “qualquer coisa”. A alimentação saudável deve ser mantida ao longo de toda a vida do bebê, assim como a própria família deve adquirir esse hábito.

Quais alimentos são indicados para alimentação da criança?

A maior dúvidas dos pais em relação a alimentação da criança de 12 meses é sobre quais alimentos podem ser incluídos no cardápio. Veja a seguir quais são os alimentos que podem fazer parte do cardápio e quais devem ser evitados:

Alimentos que podem ser introduzidos

  • Leite: depois de 1 ano o melhor leite para o bebê ainda é o leite materno, mas a partir dessa idade outros tipos de leite e derivados já podem fazer parte da alimentação.
  • Sal: o sal pode ser utilizado em pequenas quantidades no preparo das refeições. O ideal é usar tempero caseiro preparado com uma pequena quantidade de sal. Não é indicado em hipótese alguma o uso de tempero industrializado.
  • Sucos: os sucos e água de coco podem ser oferecidos, mas em quantidades moderadas, no máximo 100mL/dia. Os sucos devem ser da fruta, sem coar e sem adição de açúcar.
  • Refeições da família: a comida já pode ser a mesma da família, desde que a família tenha uma alimentação variada e equilibrada, preparada com pouco sal e sem o uso de ultraprocessados e frituras.

Alimentos que devem ser evitados

  • Açúcar e doces: o açúcar (todos os tipos: branco, mascavo, demerara, mel, melado, açúcar de coco, etc), doces e alimentos açucarados ainda devem ser evitados.
  • Ultraprocessados: alimentos ultraprocessados também não devem ser oferecidos para os bebês.
  • Frituras: todos os tipos de frituras devem ser evitados na alimentação da criança de 1 ano.

Dicas para alimentação da criança a partir de 12 meses

A criança de 1 ano passa por muitas mudanças. Normalmente nessa fase elas aprendem a andar, ficam curiosas com o ambiente em sua volta e aprendem as primeiras palavrinhas.  É também uma fase em que ocorre uma diminuição na velocidade de crescimento e ganho de peso.

Portanto, é muito comum as famílias passarem por dificuldades na alimentação da criança. A forma de oferecer os alimentos pode ajudar a passar por essa fase de forma mais tranquila. Veja algumas dicas:

  1. Estabeleça uma rotina alimentar;
  2. Ofereça a alimentação em ambiente adequado e tranquilo;
  3. Ofereça uma alimentação variada e balanceada diariamente;
  4. Não troque refeições principais por lanches;
  5. Ofereça os alimentos em pedacinhos e na mesma consistência da família;
  6. Estimule a autonomia da criança;
  7. Faça refeições saudáveis em família.

Sugestão para alimentação da criança de 1 ano

Ainda não sabe o que incluir no cardápio infantil? Veja a seguir algumas sugestões de alimentos que podem ser incluídos no cardápio de crianças de 12 meses:

Café da manhã

  • Leite (se possível leite materno)
  • Fruta
  • Pão de leite com manteiga
  • Pão integral com geleia de fruta natural
  • Vitamina de maçã
  • Tapioca com queijo branco
  • Mingau de aveia
  • Iogurte natural com frutas
  • Pão integral com manteiga
  • Pão de queijo caseiro

Lanche da manhã

  • Fruta
  • Cereal
  • Tubérculo
  • Salada de fruta
  • Fruta
  • Água de coco

Almoço

  • Arroz
  • Macarrão
  • Quinoa
  • Tubérculos
  • Leguminosa
  • Hortaliça colorida
  • Purê de inhame
  • Carne assada
  • Grão de bico
  • Salmão assado
  • Salada de tomate
  • Abobrinha ralada
  • Legumes refogados
  • Frango desfiado
  • Lentilha
  • Hambúrguer de atum
  • Macarrão integral à bolonhesa
  • Frango assado
  • Brócolis cozido
  • Filé de peixe

Lanche da tarde

  • Fruta
  • Cereal
  • Tubérculo
  • Biscoito de polvilho
  • Biscoito de arroz integral
  • Tomate cereja
  • Queijo branco em cubinhos
  • Salada de frutas com iogurte natural
  • Ricota amassada
  • Castanha do Brasil triturada

Jantar

  • Igual ao almoço
  • Sopa de legumes
  • Risoto de legumes
  • Escarola refogada
  • Ovo mexido com tomate
  • Panqueca de espinafre com frango
  • Beterraba ralada
  • Arroz integral
  • Feijão
  • Carne desfiada
  • Legumes cozidos
  • Purê de batata
  • Carne moída
  • Batata doce assada
  • Palito de cenoura cozido
  • Almôndegas caseiras

O ideal é que o cardápio semanal seja bem variado tanto na oferta de sabores quanto de nutrientes. Caso você queira acrescentar uma sobremesa após o almoço e o jantar, é indicado variar entre opções de frutas. Uma dica interessante nesse caso é oferecer frutas com vitamina C quando a refeição for rica em ferro. Assim é possível potencializar a absorção do ferro no organismo.

A partir dos alimentos mencionamos anteriormente e de outros que sejam saudáveis, você deve montar um cardápio semanal para toda a família, incluindo alimentos saudáveis e do agrado de todo mundo. É através desse exemplo que a criança de fato aprenderá a ter hábitos saudáveis. Então aproveite a oportunidade para tornar a alimentação da família muito melhor.

Gostou do post? Aproveite para conferir as comidinhas Mi Petit exclusivas para crianças de 1 ano de idade. São todas preparadas com alimentos saudáveis e muito carinho para os pequenos.

Источник: https://mipetit.com.br/o-que-muda-na-alimentacao-da-crianca-depois-de-1-ano/

Como introduzir ovo na alimentação do bebê? Confira 8 receitas deliciosas!

O que é que uma criança de 8 meses pode comer?

Ninguém discute que o leite materno é o alimento mais completinho para o organismo do bebê. Por isso, os órgãos de saúde recomendam que a amamentação exclusiva aconteça até o sexto mês de vida do bebê. Mas e depois disso? O aleitamento pode (e deve) continuar, mas em conjunto com a introdução das comidinhas sólidas, que vão garantir todos os nutrientes que o pequeno precisa.

Um dos ingredientes importantes de aparecer no cardápio é o ovo. Há duas décadas, como explica a pediatra alergologista Carla Dall’Olio, as sociedades médicas recomendavam que ele fosse introduzido um pouco mais tarde, mas hoje estudos já mostram que sua exposição desde cedo é benéfica para o organismo das crianças, especialmente se levarmos em conta a sua composição nutricional.

“A clara, como qualquer alimento rico em proteína, é importante para a construção dos tecidos envolvidos no desenvolvimento do bebê.

Já a gema, possui ferro e outros minerais, além de gorduras – inclusive as boas, que chamamos de insaturadas -, que ajudam no transporte de vitaminas e a aumentar a densidade energética, isto é, as calorias da dieta do bebê.

Seus compostos também desempenham papel significativo na função cerebral”, explica a nutricionista Carolina Pimentel.

Dá alergia?

A principal polêmica em torno do ovo é sobre a sua capacidade de desencadear reações alérgicas. De fato, Carla confirma: “Ele é o segundo alimento mais envolvido em alergias alimentares no início da alimentação do bebê, e isso acontece por conta da característica de suas proteínas, principalmente no ovo da galinha”. Saiba mais sobre alergias alimentares em crianças. 

Porém, isso não significa eliminar o ingrediente das receitas, viu? Segundo a pediatra alergologista, basta que os pais fiquem atentos à forma mais adequada de apresentar o ovo, para que seus benefícios sejam aproveitados e ele não apresente risco para a saúde do filho.

Afinal, como introduzir o ovo nas refeições?

“É interessante que o ovo seja oferecido bem cozido, porque isso desnatura a proteína mais intensamente e diminui o potencial alergênico do alimento. Recomendo evitar que seja comido cru, em gemada ou outras receitas caseiras semelhantes”, responde Carla.

Algumas porções da proteína do ovo são potencialmente alergênicas e, embora não haja uma indicação formal para que suas partes sejam ingeridas separadamente, a nutricionista costuma apostar nessa recomendação para reduzir ainda mais os riscos para o bebê.

“Indico que as famílias comecem com a introdução da gema e depois da clara. Porque esta é uma proteína complexa e, esperando um pouco mais, a microbiota intestinal do bebê fica mais madura para digeri-la”, esclarece Carolina.

Sua dica é que a gema seja oferecida a partir do sexto mês e que os pais comecem apresentando para o filho o alimento sozinho.

“Para testar se ele gosta da gema, comecem com meia quantidade e sem misturar com outros ingredientes, para que ele entenda a textura, a cor e reconheça os sabores”, diz a nutricionista.

Depois, a comida pode ser misturada na papinha esfarelada e oferecida três vezes por semana.

Mas e se o pequeno fizer careta na primeira prova? A profissional de nutrição tranquiliza dizendo que a rejeição de início não significa necessariamente que a criança não gosta o alimento, e por isso vale insistir um pouco mais e tentar oferecê-lo de formas diferentes. 

“A partir dos nove meses, já indico que incluam também a clara – e então os preparos com o ovo inteiro podem ser feitos seguindo inclusive a rotina alimentar da família, com ele cozido (de galinha ou de codorna), mexido, estrelado, etc. Ele pode ser usado até para incrementar outros pratos”, sugere.

O mais bacana do ovo, segundo Carolina, é que ele pode ser misturado com outros ingredientes, ajudando na introdução de legumes e vegetais. “Fora que o ovo é bem lúdico – as crianças podem descansar, mexer… Inserir as crianças no universo da culinária desde cedo ajuda a desenvolverem uma relação mais saudável com a alimentação”, acrescenta.

Ovo frito pode?

O ideal é que seja oferecido só depois do primeiro ano, mas sempre dentro de uma alimentação saudável.

No entanto, é importante lembrar que quando frito em imersão em óleo, o alimento se torna do grupo de frituras e, portanto, deve ter uma frequência de consumo menor.

“Mas nenhum alimento por si só é responsável por gerar ou prevenir nenhuma doença”, adianta a nutricionista. Prefira usar apenas um fio de azeite ou óleo, se optar pelo frito, ok? 

Confira oito receitinhas gostosas com ovo:

* Consulte o pediatra para confirmar se os alimentos a seguir estão liberados na dieta do seu bebê. 

  • Para bebês a partir de seis meses:

1. Papinha de ovo e inhame

Ingredientes:

Continua após a publicidade

Modo de preparo:
Lave o inhame e seque. Coloque-o inteiro com casca em uma panela e deixe cozinhar por aproximadamente 30 minutos. Assim que estiver macio, retire e espere esfriar para depois tirar a casca. Em seguida, amasse o ingrediente com um garfo e tempere com um pouquinho de azeite ou ervas.

Para o ovo, basta cobrir com água em uma panela e, assim que o líquido estiver fervendo, deixar por mais 10 minutos. Passado este tempo, retire o ovo e sua casca e separe a gema da clara. Use a gema amassada ou peneirada, junte com o inhame e sirva.

2. Crepioca de frango

Ingredientes:

Continua após a publicidade

  • 1 ovo
  • 2 colheres (sopa) fécula de tapioca
  • 1 colher (sopa) de frango desfiado

Modo de preparo:
Junte os ingredientes, com exceção do frango, em uma tigela e bata com garfo até a mistura ficar homogênea. Aqueça uma frigideira antiaderente e unte com um fio de azeite.

Ponha a mistura como se fosse fazer uma panqueca e aqueça de ambos os lados. Por fim, é só preencher a crepioca com o frango desfiado.

Se preferir fazê-la doce, é possível rechear com banana cortada em rodelas e canela.

3. Panqueca de banana

Ingredientes:

Continua após a publicidade

  • 2 ovos
  • 1 banana bem madura
  • 1 colher (chá) de canela em pó (opcional)
  • Óleo de canola/ soja ou azeite de oliva para untar a frigideira

Modo de preparo:
Bata no mixer a banana, os ovos e a canela. Despeje a mistura em uma frigideira antiaderente untada com óleo de coco e espere até ficar douradinha dos dois lado. Se quiser rechear, corte banana em rodela finas e acrescente uma pitada de canela.

Para maiores de 1 ano, acrescente mel por cima ou iogurte natural batido com uva passa. Vale também adicionar frutas cortadas em cubos por cima para deixar mais atraente.

  • Para bebês a partir de nove meses (ou quando o pediatra liberar os ingredientes):

4. Bolinho de omelete

Ingredientes:

Continua após a publicidade

  • 5 ovos
  • Sal e pimenta a gosto
  • Sugestão de recheios: tomate, queijo (branco ou muçarela), espinafre, brócolis

Modo de preparo:
Misture bem os ovos e adicione sal. Depois de untar as formas de cupcake com um pouco de óleo ou manteiga, distribua os recheios de sua preferência e, em seguida, despeje a mistura dos ovos. Leve ao forno a 180 graus por 20 minutos e depois desenforme. Está pronto para servir!

5. Ovo mexido com tomate

Ingredientes:

Continua após a publicidade

  • 3 ovos
  • 3 colheres (sopa) de leite
  • 1 colher (sopa) de manteiga
  • Sal e pimenta-do-reino a gosto
  • 1 punhado de tomate cereja (opcional)

Modo de preparo:
Quebre os ovos em uma tigela. Adicione a água ou o leite e misture com um garfo e tempere com sal e pimenta-do-reino a gosto. Em seguida, leve uma frigideira antiaderente ao fogo médio e quando aquecer, acrescente manteiga e deixe derreter. Faça movimentos de vaivém com a frigideira para que a manteiga se espalhe por todo o fundo, mas não deixe que ela escureça.

Coloque os ovos na frigideira. À medida que a beirada for cozinhando, empurre-a com uma espátula de borracha ou colher de pau para o centro da frigideira; isso faz com que o líquido do centro escorra para a borda e cozinhe rapidamente. Repita esse procedimento até que não escorra mais, e então é hora de adicionar os tomatinhos, dobrar a omelete ao meio e servir.

6. Omelete (sem leite)

Ingredientes:

Continua após a publicidade

  • 2 ovos
  • 1 tomate pequeno, picado
  • 1/2 cebola picada
  • 1 colher (sopa) farinha de arroz ou de trigo
  • Manjericão
  • 1 colher (café) fermento em pó

Modo de preparo:
Misture todos os ingredientes numa tigela. Depois, unte uma frigideira pequena com pouco óleo, deixe esquentar em fogo baixo e despeje a mistura (cuide para não queimar embaixo da massa). Tampe a frigideira para ir cozinhando no meio. Quando estiver quase pronta, dobre ela ao meio, no formato de meia-lua, deixe mais uns minutos e desligue o fogo. Está pronto!

7. Bolinho de coco 

Ingredientes:

Continua após a publicidade

  • 2 ovos (preferencialmente caipiras e orgânicos)
  • 150g de coco ralado (preferencialmente fresco)
  • 1 colher (sopa) de óleo de coco
  • 1 colher (chá) de fermento químico
  • 1 banana (para ficar mais docinho, mas dá para fazer sem)

Modo de preparo:
Misturar todos os ingredientes e assar em forno pré aquecido por mais ou menos 30 minutinhos, observe quando os bolinhos crescerem ou quando ficarem douradinhos.

  • Para crianças acima de 1 ano:

8. Coccote de tomate e manjericão

Ingredientes:

Continua após a publicidade

  • 2 ovos
  • 4 tomates cereja
  • 1 ½ colher (sopa) de queijo cottage (ou ricota esfarelada)
  • 4 folhas de manjericão
  • ½ colher (sopa) de leite
  • Azeite a gosto
  • Sal e pimenta-do-reino moída na hora a gosto

Modo de preparo:
Misture os tomates sem as sementes e o queijo cottage. Junte as folhas de manjericão e tempere com um fio de azeite, sal e pimenta-do-reino. Em seguida, acrescente o leite e tempere com uma pitada de sal. Leve ao microondas para cozinhar por aproximadamente 3-4 minutos a depender da potência.

*Receitas sugeridas pela nutricionista Carolina Pimentel, Phd pela Universidade de São Paulo e especialista em Medicina do estilo de vida; e por Jéssica Dantas, pediatra especializada em gastroenterologia e nutrição pediátrica da BP – A Beneficência Portuguesa de São Paulo. 

Continua após a publicidade

  • Alergia Alimentar
  • Alimentação
  • Bebês
  • Introdução alimentar
  • Receitas

Источник: https://bebe.abril.com.br/alimentacao-infantil/como-introduzir-ovo-na-alimentacao-do-bebe-confira-8-receitas-deliciosas/

Embarazo y niños
Deja una respuesta

;-) :| :x :twisted: :smile: :shock: :sad: :roll: :razz: :oops: :o :mrgreen: :lol: :idea: :grin: :evil: :cry: :cool: :arrow: :???: :?: :!: