Ossos saudáveis na infância

Dieta saudável e exercícios garantem saúde dos ossos de crianças e adolescentes

Ossos saudáveis na infância

Cálcio, fósforo e outros nutrientes compõem a porção inorgânica dos ossos humanos, participando da mineralização e posterior formação da matriz óssea dura. Entre a infância e a fase adulta, eles têm função na construção da ossatura, sendo ainda componentes básicos de sua estrutura

É na fase da adolescência, acredita-se, que 40% do conteúdo ósseo seja formado, atingindo aproximadamente 92% –  até o fim desse período – da massa óssea final de um indivíduo.

“Assim, pessoas que conseguem desenvolver um adequado pico de massa óssea (que ocorre por volta dos 20 anos de idade) são menos propensas à ocorrência de fraturas e osteoporose na vida adulta”, explica o médico mestre em Cardiologia Daniel Magnoni, consultor da iniciativa Nutrientes Para a Vida (NPV) e diretor de Serviço de Nutrologia e Nutrição Clínica do Hospital do Coração (Hcor).

Também especialista em Clínica Médica, Nutrologia e Nutrição Parenteral e Enteral, ele ressalta que “o cuidado com uma nutrição adequada, principalmente para os públicos de crianças e adolescentes, faz-se necessário para a correta constituição e crescimento dos ossos, promovendo a saúde do sistema esquelético ao longo de toda a vida”.

“Em especial, alguns minerais desempenham função primordial em sua construção, sendo ainda componentes básicos de sua estrutura.”

Importância dos minerais

Maior ingestão de alguns nutrientes se relaciona ao aumento da densidade mineral dos ossos, diz o médico Daniel Magnoni. Foto: Divulgação NPV

De acordo com o médico, o cálcio é muito reconhecido por seu papel essencial na estrutura óssea, levando em conta que em torno de 99% do seu conteúdo total do organismo está presente nos ossos e dentes. “Sua presença é fundamental para a manutenção da rigidez, garantia da resistência às forças mecânicas e proteção aos tecidos moles.”

Juntamente com o fósforo, continua Magnoni, constituem os principais componentes da porção inorgânica do osso, participando da mineralização e posterior formação da matriz óssea dura.

Ele cita outros minerais como magnésio, silício e boro que, apesar de nem sempre serem mencionados, também desempenham papel relevante na integridade óssea.

“De acordo com estudos, uma maior ingestão desses nutrientes estaria relacionada com o aumento da densidade mineral dos ossos. No entanto, os mecanismos envolvidos neste desfecho ainda são desconhecidos e continuam a ser investigados pela literatura”, informa o médico.

Destaque para o cálcio

Em relação ao cálcio, ele relata a necessidade de uma correta ingestão de alimentos, que sejam fontes desse nutriente, para crianças e adolescentes. Na dieta, entre os alimentos que possuem maior quantidade, incluem-se principalmente o grupo de leite e derivados, que podem ser facilmente incorporados.

Em torno de 99% do cálcio total do organismo está presente nos ossos e dentes. Entre os alimentos que possuem maior quantidade estão o leite e derivados. Foto: Divulgação

“Demais alimentos, como alguns frutos do mar e hortaliças verdes escuras (brócolis, couve, rúcula), são igualmente consideradas fontes de cálcio, porém pedem uma maior ingestão para atingir as quantidades recomendadas, que variam de 1.000 a 1.300 mg/dia durante os períodos de infância e adolescência”, informa Magnoni.

Segundo ele, uma dieta alimentar equilibrada fornecerá não somente o cálcio, mas outros nutrientes indispensáveis a um crescimento e desenvolvimento global apropriados. “Do mesmo modo, necessário é mister atentar-se à adequação da vitamina D, que é sintetizada na pele por meio da exposição aos raios solares e exerce papel chave na absorção de cálcio pelos ossos.”

Exercícios físicos

Prática esportiva na infância e adolescência, associada a uma alimentação equilibrada e saudável, ajuda no crescimento e fortalecimento dos ossos. Foto: Divulgação iStock

“A combinação de uma dieta variada composta por alimentos de boa qualidade, portanto, com a prática de exercícios físicos – estabelecida como um fator que maximiza o ganho de massa óssea na adolescência, é o alicerce para a construção de ossos fortes e saudáveis não somente na juventude, mas também na vida adulta e envelhecimento.”

O médico orienta ainda que a correta absorção dos nutrientes do solo permite a produção de plantas com adequado equilíbrio nutricional e, consequentemente, de produtos ricos em elementos indispensáveis à saúde dos ossos e dos dentes.

“O processo de fertilizar os solos por meio da adubação é a forma mais eficiente para a obtenção de alimentos que atendam às nossas demandas nutricionais”, diz Magnoni.

Nutrientes para a Vida

Como consultor da Nutrientes para a Vida (NPV), ele explica a missão de esclarecer e informar à sociedade sobre os benefícios dos fertilizantes (ou adubos) na produção dos alimentos, bem como sobre sua utilização adequada e manejo sustentável, visando a fornecer os nutrientes essenciais para garantir a segurança alimentar.

“Vale registrar que o osso é um tecido multifuncional, metabolicamente ativo. A despeito de ser considerado por muitos como tecido inerte, a estrutura óssea passa por processos de remodelagem durante a vida, sofrendo uma rotação notável em comparação a outros tipos de tecido presentes no organismo.”

Dessa forma, acrescenta Magnoni, “segue constantemente renovando-se no intuito de manter a devida sustentação necessária ao corpo, além de preservar a força óssea indispensável à execução das atividades diárias e funcionamento adequado do esqueleto”.

“Entre os períodos de maior importância quando se fala de saúde óssea, podemos citar especialmente a infância e a adolescência, pois justamente nestas fases observamos um ciclo de crescimento mais acelerado, marcado pelos processos de formação e mineralização óssea.”

Fonte: Nutrientes Para a Vida (NPV)

Источник: https://alavoura.com.br/colunas/alimentacao-nutricao/dieta-saudavel-e-exercicios-garantem-saude-dos-ossos-de-criancas-e-adolescentes/

Vitaminas e minerais essenciais para o seu filho

Ossos saudáveis na infância

A rotina apressada do dia a dia pode levar os pais a optarem por soluções alimentares mais rápidas que nem sempre são as mais saudáveis. No entanto, a falta de tempo não pode ser um pretexto para descurar a alimentação do seu filho.

Não é por acaso que na escola, desde muito cedo, se ensina aos mais novos como é composta a roda dos alimentos, quais as porções diárias a consumir de cada um dos 7 segmentos que a constitui e a importância de seguir uma alimentação variada e equilibrada. Refeições ricas em vitaminas e minerais devem fazer parte das rotinas alimentares.

O leite, a carne, os peixes gordos e alguns frutos secos e leguminosas são, por isso, opções imprescindíveis à mesa, tal como a frutas, vegetais e legumes.

Vitaminas e minerais na infância e adolescência

Como o organismo não consegue produzir a maioria das vitaminas (apenas a K e D), cabe aos alimentos esta função, uma vez que são essenciais na regulação da atividade das células, intervêm na produção enzimática e exercem uma função antioxidante.

  • As vitaminas A, D e K garantem o crescimento e saúde dos ossos, durante a infância e adolescência.
  • As vitaminas lipossolúveis (A, D, E e K) asseguram a manutenção das boas condições dos olhos, da pele, dos pulmões, do trato gastrointestinal e do sistema nervoso.
  • As hidrossolúveis (vitaminas C e do grupo B) ajudam na libertação de energia presente nos alimentos e a vitamina C tem, entre outras funções, um importante papel na síntese do colagénio, responsável pela reparação das feridas, suporta os vasos sanguíneos e forma a base dos dentes e dos ossos.
  • Os minerais (cálcio, potássio, ferro, iodo, zinco, fósforo, selénio e magnésio) são imprescindíveis ao crescimento e à formação da estrutura do organismo.

Consequência da falta de nutrientes

A dose diária recomendada de cada alimento varia em função da idade e até do sexo da criança. Enquanto até aos 5 anos é recomendada uma alimentação rica em hidratos de carbono e alimentos gordos, a partir da idade escolar a dieta deve ter um índice de gordura mais reduzido e com maior teor de fibras.

O regime alimentar terá de ser ajustado ao crescimento.

As doses diárias recomendadas para uma criança entre os 7 e os 10 anos são diferentes das que se encontram na faixa etária dos 11 e os 14 anos ou dos 15 e 18 anos, sendo que o pediatra tem como linhas orientadoras o peso correto e o apetite da criança/adolescente.

A falta de nutrientes essenciais ao organismo implica consequências graves a curto ou a longo prazo. Os riscos mais graves são o atrofiamento do crescimento, do desenvolvimento do cérebro, do sistema nervoso e hormonal, os problemas circulatórios, respiratórios, cegueira, distúrbios comportamentais, entre outros problemas.

Os 6 nutrientes imprescindíveis

Apesar de todos os nutrientes serem importantes, destacamos os seguintes:

– Vitamina A

Promove o crescimento e o desenvolvimento adequados e é essencial para a pele e olhos saudáveis, além de fortalecer o sistema imunitário.

Fontes: leite, queijo, gema de ovo, batata-doce, agrião, vegetais cor-de-laranja como cenoura e a abóbora ou frutas como a papaia e a manga.

– Vitaminas do complexo B (B2, B3, B6, B12)

Ajudam o metabolismo na produção de energia e no bom funcionamento dos sistemas circulatório e nervoso.

Fontes: carnes vermelhas, frango, peixe, nozes, ovos, leite, queijo, feijão e soja.

– Vitamina C

Tem uma função antioxidante, protegendo as membranas células dos radicais livres e fortalecendo o sistema imunitário. Promove a produção de colagénio, substância que estrutura os músculos, ossos, cartilagens e tecidos vasculares. Fortalece os dentes e gengivas e potencia a absorção de ferro dos alimentos. É um elemento importante na síntese de algumas hormonas e neurotransmissores.

Fontes: frutas cítricas, morangos, kiwi, tomate e vegetais verdes, como os brócolos.

– Vitamina D

Promove a formação de ossos e dentes e desempenha funções ao nível da imunidade, prevenção da diabetes, saúde cardiovascular, sistema nervoso central, entre outras.

Fontes: leite e outros produtos lácteos. A exposição à luz solar é determinante para a síntese da Vitamina D.

– Cálcio

É outro pilar essencial para ossos e dentes fortes e contribui, juntamente com a exposição solar, para a obtenção de índices desejáveis de vitamina D. Também participa na transmissão de impulsos nervosos, contração muscular e secreção de hormonas. O cálcio é um co-fator de enzimas e proteínas.

Fontes: leite, queijo, iogurte, tofu e sumo de laranja fortificado com cálcio.

– Ferro

É um dos componentes da hemoglobina, sendo responsável pelo transporte de oxigénio para os tecidos, e da mioglobina (uma proteína que está presente no músculo), a qual se encarrega de transportar o tecido para as células. É importante para o bom funcionamento do sistema imunitário, produção de neurotransmissores e hormonas tiroideas.

Fontes: Carnes vermelhas, peru, carne de porco, espinafre, feijão e ameixas.

Ao preparar as refeições, lembre-se que vitaminas e minerais são imprescindíveis para garantir um bom crescimento.

Se as refeições principais incluírem sopa, o prato for composto por metade de legumes ou salada, um quarto de peixe ou carne e o outro um quarto de farináceos ou hidratos de carbonos, com porções apropriadas ao peso do seu filho, ele estará no caminho certo para um crescimento saudável.

Источник: https://advancecare.pt/para-si/blog/artigos/vitaminas-e-minerais-essenciais-para-o-seu-filho

Embarazo y niños
Deja una respuesta

;-) :| :x :twisted: :smile: :shock: :sad: :roll: :razz: :oops: :o :mrgreen: :lol: :idea: :grin: :evil: :cry: :cool: :arrow: :???: :?: :!: