Paragens de digestão: saiba como evitá-las!

Não convide a má digestão para sua festa! Saiba como evitá-la!

Paragens de digestão: saiba como evitá-las!

É… Chegou aquela época do ano…

Aquele período divertido, no qual encontramos tanta gente querida que nós só vemos praticamente uma vez ao ano, não é verdade?

Bem, este também é o período em que todo mundo enfia o pé na jaca de acordo. É muita ceia e festa, reunindo família e amigos, caracterizadas pelo alto consumo de comida gordurosa e bebida alcoólica, além de diversas atividades que exigem do corpo, como aquela nadada no mar ou aquela partidinha de futebol.

Como o nosso corpo não está acostumado com tudo isso, aparecem sintomas de mal estar, indigestão e até congestão. Mas isso pode ser evitado e neste informativo estão dicas valiosíssimas para você sair desta estatística!

Venha descobrir como preparar o corpo para as festas que estão por vir, sem estragar o clima.

Números da indigestão

  • 7% de todas as visitas ao médico em ambulatório estão relacionadas a dispepsia (má digestão ou indigestão)
  • 10% da população brasileira tem dispepsia funcional (quando não há doença pré-existente)
  • 30% da população mundial sofre com a dispepsia
  • 70% da população terá um evento de má digestão no intervalo de um ano

Como funciona a digestão

A digestão é o processo que o nosso corpo faz para absorver nutrientes e expelir o que ele não usa. Mas para isso, o alimento passa por diversas mudanças físicas e químicas dentro do nosso corpo.

Veja abaixo quais órgãos estão envolvidos e o que cada um deles faz neste processo do nosso organismo:

Boca – onde ocorre a mastigação e o começo da digestão, pois a saliva contém amilase salivar, uma enzima digestiva que degrada as moléculas grandes de amido.

Faringe – leva a comida da boca para o esôfago.

Esôfago – leva a comida da faringe para o estômago.

Estômago – onde o suco gástrico mata bactérias e quebra as proteínas e alguns lipídios (gordura). Esse líquido (suco gástrico) é rico em substâncias como pepsina, ácido clorídrico, lipase e renina.

Intestino delgado – onde ocorre a maior parte da absorção de nutrientes.

O conteúdo que veio do estômago recebe mais enzimas digestivas e o suco pancreático, um líquido que vem do pâncreas e neutraliza a acidez que veio do suco gástrico. Ele também recebe a bile, uma substância produzida no fígado que quebra as gorduras.

No final do intestino delgado, o «alimento» recebe mais enzimas e terminam de quebrar todas as moléculas em nutrientes, que são lançados na corrente sanguínea.

Intestino grosso – onde é absorvido os sais minerais e água. O resto vira fezes e é expelido.

Este complexo processo pode sofrer desequilíbrios dependendo de vários fatores que podem ocorrer com frequência nas festas de final de ano, causando sintomas ruins e desconforto.

O que é indigestão

A indigestão, ou dispepsia, é o nome dado para os sintomas causados pelo desequilíbrio da digestão.

Há também a congestão, que é uma indigestão que acontece quando praticamos atividades físicas logo depois de comer. Esse processo ocorre porque nosso sistema digestivo demanda muito sangue para absorver os alimentos e, quando fazemos atividades físicas, a musculatura também demanda muito sangue.

Isso cria uma competição de fluxo sanguíneo e acaba faltando sangue para o cérebro, e é isso que causa os sintomas.

Sintomas de indigestão

Os sintomas da má digestão são diversos e cada pessoa pode ter um conjunto diferente deles, dependendo de cada órgão afetado e do que ela ingeriu.

As possibilidades de sintomas são:

  • Sensação de estômago cheio (empachamento)
  • Distensão abdominal (inchaço)
  • Dor ou sensação de queimação no abdômen (azia)
  • Arrotos (eructações)
  • Náusea (enjoo)
  • Regurgitação (refluxo)
  • Vômitos
  • Dores intestinais (cólicas)
  • Diarréia
  • Sonolência após as refeições

Quando há congestão, os sintomas são diferentes:

  • Suor frio
  • Tontura
  • Vômitos
  • Desmaio

A congestão ocorre porque em muitas festas as pessoas querem nadar e praticar esportes junto com os amigos e familiares. Quem sofre mais com isso são as crianças, que acabam de comer e já querem sair correndo para brincar e pular na piscina.

Causas da indigestão

As causas do desequilíbrio na digestão também são diversas e fazemos grande parte delas durante esse período festivo.

Confira abaixo uma lista com as campeãs da indigestão e tente evitá-las:

  • Comer em grande quantidade
  • Comer muito rápido
  • Não mastigar direito
  • Comer muitos alimentos gordurosos e frituras
  • Comer muitos alimentos apimentados
  • Beber líquidos em excesso durante as refeições
  • Beber líquidos gaseificados durante as refeições, como refrigerantes
  • Ingerir cafeína em excesso

O estresse psicológico também influencia muito na digestão.

Apesar do final de ano ser uma época de festejar, preparar tudo pode gerar sofrimento. Ficar em filas enormes para comprar comidas e presentes, lidar com o aumento de preço dos produtos, decorar o ambiente, organizar, cozinhar e limpar. Tudo isso influencia no psicológico das pessoas e acaba afetando órgãos do sistema digestivo, como estômago e intestino.

Tratamendo de indigestão

O tratamento é sintomático, ou seja, depende do que a pessoa está sentindo. Os remédios mais utilizados são os que agem no mal estar do estômago, como o sal de fruta.

No entanto, há sintomas causados pelo desequilíbrio do fígado e intestino, que muitas pessoas não sabem como tratar e tomam remédios errados. Por isso, é preciso ir a um médico caso os sintomas persistam, para saber qual é a medicação correta.

Indigestão e Fitoterapia

Além dos remédios comuns que as pessoas já estão acostumadas a tomar nessa época, também há plantas que podem ajudar a tratar esse mal estar de forma mais natural:

Para o estômago:

Para o fígado:

Para o intestino (diarréia):

  • Folha de Goiaba (ver produto)
  • Guaraná (ver produto)
  • Tanchagem (ver produto)

Para o estresse:

Dicas de como evitar má digestão no final de ano

O que vai evitar mesmo a má digestão é comer uma comida leve e em pouca quantidade, mas isso não é algo fácil de fazer nessa época.

Levando isso em conta, seguem algumas dicas mais reais que você pode tentar seguir:

Mastigue bem – É difícil mastigar direito quando todo mundo está conversando, mas procure mastigar direito e engolir antes de falar alguma coisa.

Caminhe depois das principais refeições – Se você estiver em um lugar que dê para dar uma pequena caminhada tranquila, já vai ajudar a aliviar a sensação de barriga inchada.

Não faça atividades físicas após as refeições – Evite a piscina e aquela partida de futebol logo depois de comer. Tentem acalmar as crianças também, para que não tenham congestão. O ideal é esperar de 2 a 3 horas.

Não deite após as refeições – A preguiça é grande depois de comer muito e ficamos tentados a dar uma deitadinha após o almoço ou ir direto pra cama depois do jantar. Mas é preciso tentar esperar entre 2 e 3 horas antes de se deitar, senão há grande possibilidade de dar refluxo (regurgitação).

Coma alimentos digestivos – Alguns alimentos ajudam na digestão e podem ser facilmente incluídos no cardápio, como abacaxi, mamão, maçã, gengibre e hortelã.

Prevenir é bom, mas, se não conseguir, lembre-se que você pode sempre contar com o poder natural das plantas medicinais para te ajudar a passar o fim de ano bem.

E aí, ainda tem dúvidas? Então é só falar com um dos nossos Fitoterapeutas clicando aqui!

Fontes que usamos neste informativo:

Sistema digestório

https://brasilescola.uol.com.br/biologia/sistema-digestivo.htm

Indigestão (má digestão ou dispepsia)

https://drauziovarella.uol.com.br/doencas-e-sintomas/indigestao-ma-digestao-ou-dispepsia/

Alimentos que ajudam na digestão

https://www.einstein.br/noticias/noticia/alimentos-que-ajudam-na-digestao

O que os fitoterápicos podem tratar?

O que os fitoterápicos podem tratar?

Mitos e verdades sobre a popular congestão alimentar

https://hospitalsiriolibanes.org.br/sua-saude/Paginas/mitos-verdades-congestao-alimentar.aspx

Indigestão

https://www.hospitalinfantilsabara.org.br/sintomas-doencas-tratamentos/indigestao/

Doenças diarreicas agudas (DDA): causas, sinais e sintomas, tratamento e prevenção

http://www.saude.gov.br/saude-de-a-z/doencas-diarreicas-agudas

Источник: https://www.oficinadeervas.com.br/conteudo/nao-convide-a-ma-digestao-para-sua-festa-saiba-como-evita-la

Sistema digestivo: entenda como funciona!

Paragens de digestão: saiba como evitá-las!

Para que possamos crescer, renovar as células e desenvolver nossos organismos, precisamos nos alimentar e contar com o bom funcionamento do sistema digestório. É graças à alimentação que os seres vivos conseguem obter matéria-prima para a manutenção do corpo e realização de suas atividades.

Essa transformação da comida em nutrientes utilizáveis e absorvíveis pelos organismos e a eliminação de partículas não utilizáveis leva o nome de digestão e é realizada pelo nosso sistema digestivo ou sistema digestório.

Como funciona o sistema digestivo?

No sistema digestivo humano, o alimento ingerido percorre vários órgãos, como a boca, a faringe, o esôfago, o estômago, os intestinos delgado e grosso e, por fim, o ânus. Nesse processo, a comida sofre transformações mecânicas e químicas até que esteja preparada para ser absorvida pelas células.

Ele é composto por um tubo de 10 a 12 metros que se inicia na boca e termina no ânus. Conta também com os órgãos anexos, como o fígado e o pâncreas, que contribuem com a produção de enzimas digestivas.

Diferença entre sistema digestório e trato digestório

Apesar dos nomes parecidos, o sistema digestivo ou sistema digestório e o trato digestório englobam órgãos diferentes do corpo humano e é preciso entender essa diferença.

O sistema digestório, como o próprio nome diz, engloba todo o sistema envolvido no processo de digestão dos alimentos. Então, estão incluídos os seguintes órgãos:

  • Boca
  • Faringe
  • Esôfago
  • Estômago
  • Fígado
  • Pâncreas
  • Intestino delgado
  • Intestino grosso
  • Reto
  • Ânus

Já o trato digestório engloba os órgãos por onde o alimento passa depois que é ingerido pela boca, até a sua eliminação pelo ânus. Os órgãos do trato digestório são:

  • Boca
  • Faringe
  • Esôfago
  • Estômago
  • Intestino delgado
  • Intestino grosso
  • Reto
  • Ânus

Boca

O processo digestivo se inicia na boca, quando os dentes cortam e trituram a comida. A língua também desempenha a função de manipular o alimento e misturá-lo à saliva. A saliva umidifica-o, facilitando o percurso para o esôfago.

Anexas à boca, existem três glândulas salivares, que são os órgãos produtores de saliva. Além de proteger a boca contra bactérias e umedecer sua mucosa, esse líquido lubrifica e dilui o alimento para facilitar sua passagem pela faringe e pelo esôfago

Faringe e esôfago

Após a mastigação, o alimento é engolido e passa pela faringe, e depois, pelo esôfago. O principal papel desses dois órgãos é transportar a comida até o estômago através de contrações involuntárias chamadas de movimentos peristálticos.

Nesse momento, a epiglote, uma pequena estrutura de cartilagem, funciona como uma “válvula” e fecha a entrada da laringe (glote) que impede a comida de seguir pelo sistema respiratório.

Estômago

No estômago, o alimento se mistura a uma solução aquosa chamada de suco gástrico, que contém ácido clorídrico. A principal enzima do suco gástrico é a pepsina. Utilizada para digerir proteínas, essa enzima começa a quebrar as ligações químicas entre certos aminoácidos.

O bolo alimentar, após receber as enzimas do estômago, passa a ser chamado de quimo. Seu aspecto é uma massa branca e pastosa e pode permanecer no estômago de 2 a 4 horas.

Intestino delgado

Nos seres humanos, o intestino delgado mede aproximadamente 6,5 metros de comprimento e divide-se em três partes: duodeno (os 25 cm iniciais), o jejuno e o íleo.

No duodeno são lançadas as secreções produzidas pelo fígado e pelo pâncreas, controladas por mensagens nervosas e hormônios.

O pâncreas estimula a secreção do suco pancreático, que neutraliza a acidez do quimo e também desempenha função enzimática.

O pâncreas ainda é responsável pela lipase, ou seja, a quebra de gorduras (triglicerídios) em ácidos graxos, glicerol e monoglicerídeos.

Já a bile é lançada no intestino para atuar como um “detergente”, transformando gorduras em minúsculas gotículas que se misturam com a água e formam uma emulsão.

A parte mais longa do intestino delgado, formada pelo jejuno e pelo íleo, é onde termina a digestão dos alimentos.

Nessa fase, o suco intestinal é lançado no alimento: a maltase, que hidrolisa a maltose em glicose; a sacarose, que transforma sacarose em glicose e frutose; a lactase, que quebra a lactose em glicose e galactose, entre outros.

Intestino grosso

O intestino grosso é formado, entre outras partes, pelo ceco, no qual está o apêndice, pelo colo e pelo reto. A função desse órgão é transformar, transportar e evacuar o bolo fecal, por isso, ele tem boa capacidade de absorção e secreção de muco.

O colo é a maior parte, no qual ocorre absorção de água e dos sais minerais não absorvidos anteriormente. Nele, há bactérias que fazem parte da flora intestinal que participam da formação de fezes e da produção de vitaminas do complexo B e vitamina K.

Absorção e formação das fezes

Desde o início da digestão na boca até a excreção das partes indesejáveis pelo organismo, o alimento fica dentro do corpo humano cerca de 72 horas.

Depois de todas as quebras produzidas na boca, estômago e intestinos, o que restou do alimento é excretado pelo ânus em forma de fezes.

Ao produzir cerca de 30 gramas de fezes, o cérebro envia uma mensagem ao esfíncter interno (uma válvula no fim do reto) para que ele se abra e deixa as fezes descerem.

Nós não conseguimos controlar o esfíncter, mas controlamos o externo, que é a última parte antes do ânus. Por isso, conseguimos controlar a necessidade de defecar.

Regulação nervosa e hormonal

Todo o processo do sistema digestivo é controlado pelo sistema nervoso e por hormônios. A fome, o cheiro e o gosto dos alimentos estimulam o cérebro a emitir sinais nervosos que vão, por sua vez, estimular as glândulas salivares e estomacais que irão lançar a saliva, as enzimas digestivas e o ácido clorídrico.

É no controle das secreções necessárias para a digestão que os hormônios com a gastrina vão agir. Na vesícula biliar, os hormônios estimulam a contração da sua musculatura e a expulsão da bile para o duodeno.

Doenças do sistema digestivo ou digestório

Existem várias doenças que acometem o sistema digestivo, como por exemplo, a prisão de ventre, apendicite, úlcera péptica, câncer, faringite, gastrite, cárie, entre outras.

Uma das principais causas de perda dos dentes, a cárie começa quando as bactérias que vivem na boca se misturam a restos de comida e à saliva e formam uma película que adere aos dentes.

As bactérias vão liberar ácidos que corroem o esmalte do dente, o que pode levar a sua destruição. Para evitar essa doença, é preciso diminuir a alimentação de comidas ricas em açúcares e escovar os dentes sempre após cada refeição.

Já a úlcera péptica acontece no revestimento do estômago, devido ao descontrole na quantidade de ácido clorídrico despejado nesse órgão.

Os sintomas mais comuns são queimação, azia e náuseas. O tratamento é feito com medicamentos que protegem a mucosa do estômago.

Interessante, não é mesmo? Agora que você já conhece um pouco mais sobre o sistema digestivo, que tal se cadastrar gratuitamente no Stoodi e ter acesso a outros conteúdos como esse? Não perca tempo!

Источник: https://www.stoodi.com.br/blog/biologia/sistema-digestivo/

Embarazo y niños
Deja una respuesta

;-) :| :x :twisted: :smile: :shock: :sad: :roll: :razz: :oops: :o :mrgreen: :lol: :idea: :grin: :evil: :cry: :cool: :arrow: :???: :?: :!: