Pode uma grávida andar de bicileta?

Contents
  1. Será uma boa combinação? – Revista Bicicleta
  2. Treinamento de ciclismo indoor para mulheres grávidas
  3. Cardiovascular
  4. Refrigeração
  5. Benefícios
  6. Consulte o Médico
  7. Jaqueline Mourão, a super atleta grávida!
  8. A partir dos 9 meses, o bebê já pode acompanhar a mamãe ciclista em suas atividades, utilizando cadeirinhas próprias para essa finalidade
  9. Pedalando com o seu bebê
  10. Benefícios do uso das cadeirinhas
  11. Entrevista com Jaqueline Mourão
  12. Estou grávida, posso andar de bicicleta?
  13. >> Siga a Go Outside no Instagram
  14. + 15 melhores nutrientes e vitaminas para a mulher
  15. Moderação
  16. Cada trimestre é diferente
  17. Relaxe e curta 
  18. Ajuste o bike fit
  19. Hidrate e se alimente
  20. Exercício físico para ciclistas grávidas
  21. Benefícios do exercício físico durante a gravidez
  22. Ciclismo x gravidez
  23. Você pode experimentar o ciclismo in door
  24. Cuidados para se levar em consideração
  25. ALERTA: Pare imediatamente se tiver qualquer um desses sintomas.
  26. Exercício físico em cada fase da gravidez
  27. O exercício físico interfere na qualidade do leite?
  28. Grávida pode andar de bicicleta?
  29. Grávida pode andar de bicicleta? Quais são os benefícios?
  30. Grávida pode andar de bicicleta no primeiro trimestre de gravidez?
  31. Grávida pode andar de bicicleta no segundo trimestre?
  32. Quais são as desvantagens de andar de bicicleta durante a gravidez?
  33. Grávida pode andar de bicicleta até que mês?
  34. Dicas para andar de bicicleta durante a gravidez
  35. Precauções para grávida andar de bicicleta
  36. Risco de queimadura solar
  37. A bicicleta certa
  38. Andar de bicicleta durante a gravidez – contraindicações
  39. Uma alternativa para duas rodas, ou seja, uma bicicleta ergométrica durante a gravidez

Será uma boa combinação? – Revista Bicicleta

Pode uma grávida andar de bicileta?
© Claudia Franco / Jaqueline Mourão © Lev Dolgatshjov

O dilema: Vou ficar nove meses sem fazer um pedal, sem fazer um treino ou passeio? Parece ser tão injusto ter que abdicar de algo que deveria ser tão saudável!

A boa notícia é que você não precisará abandonar o seu esporte preferido e, além disto, pode se beneficiar imensamente se continuar a pedalar durante a gravidez. Nem todas as grávidas poderão pedalar até o final da gravidez, mas muito provavelmente poderão pedalar por um bom tempo.

Como é o caso com a maioria dos exercícios durante a gravidez, o ciclismo deve ser feito com moderação. Se a saúde geral é boa e não está sofrendo de pressão alta, diabetes ou outras complicações consideradas de alto risco, então, não haverá muitas restrições para ficar longe de sua bici.

Andar de bicicleta enquanto grávida é uma maneira maravilhosa para manter-se em forma e ficar dentro do peso adequado. Converse com seu médico para certificar-se de que não há problemas a considerar e preste atenção aos sinais de seu corpo relacionados a possíveis exageros. Obviamente, há diversas questões que devem ser levadas em consideração.

Em primeiro lugar, tenha em mente que seu corpo está completamente alterado. É mais do que necessário ser cautelosa e é imprescindível ter a liberação do médico para a prática.

Durante a gravidez, é necessário ter um adicional de 300 calorias em média, todos os dias. Com a prática do ciclismo, mesmo em uma curta distância, necessitará de pelo menos 500 calorias.

Andar de bicicleta é um exercício aeróbio de baixo impacto, mas precisará redobrar os cuidados, porque a partir do quarto mês de gestação, seu centro de gravidade vai começar a mudar, causando problemas de equilíbrio. Por conseguinte, desde o início, evite percursos com curvas e quando pedalar em grupo evite ficar muito perto de outros ciclistas. Cuidado para não cair! Mas se isto acontecer, consulte seu médico imediatamente.

Se você nunca andou de bicicleta, não é recomendado iniciar justo durante a gravidez, pois andar de bicicleta requer muito equilíbrio, fator que falta nas grávidas principalmente no período de gestação mais avançada.

Para continuar a pedalar durante a gravidez, seja precavida e inteligente. Dê preferência para pisos pavimentados, com pouca irregularidade. Prefira os terrenos planos sem subidas ou descidas íngremes. A sua prática deve prevalecer o giro constante, o trabalho aeróbico, e não de força ou destreza.

Mantenha-se hidratada sempre, mesmo em giro, pois o seu corpo demanda muito mais água durante o período de gestação. A hidratação é importante para manter o nível de oxitocina equilibrado, pois se ficar alto, pode causar contrações.

Outra recomendação é o uso do monitor de frequência cardíaca durante o pedal. Se sua taxa de pulso exceder 140 batidas por minuto, pare de pedalar imediatamente. Também interrompa o pedal se começar a sentir muita falta de ar, pois isso é sinal de cansaço. Não trabalhe aquém da capacidade respiratória.

O guidão e a altura do selim devem ser reposicionados para evitar pressão ou maior peso sobre a pélvis e também sobre as costas. Procure por roupas confortáveis e adequadas à sua nova silhueta. Fique atenta aos pés, que normalmente ficam inchados: use sapatilhas ou tênis mais confortáveis.

Uma opção interessante é usar uma bicicleta reclinada que reduz muito a pressão sobre a pélvis. Mas caso não se sinta segura de sair por aí pedalando, há também a opção do uso da bicicleta no rolo fixo de treino ou então a prática do ciclismo indoor.

Treinamento de ciclismo indoor para mulheres grávidas

O ciclismo indoor é um treino cardiovascular intenso. Com algumas adaptações para as grávidas, esta prática irá ajudá-la muito durante o período de gestação.

Cardiovascular

No ciclismo indoor, seu coração e as taxas de respiração aumentam, oxigenando todo o seu organismo. O American Council on Exercise e o ACOG – American Congress of Obstetricians and Gynecologists, recomendam 30 minutos de exercício cardiovascular diário. Para quem nunca praticou exercícios, recomendam iniciar com 5 ou 10 minutos e ir aumentando o tempo gradativamente.

O ganho de peso durante a gravidez demanda de seu coração um maior trabalho. O ciclismo indoor é benéfico porque é um exercício de não-incidência, aliviando a sensação de peso durante o treino. Exercite-se em uma intensidade moderada. A medida certa é conseguir pedalar e conversar ao mesmo tempo sem ficar ofegante ou cansada.

Refrigeração

Durante a gravidez, a temperatura do corpo fica ligeiramente elevada. Ao exercitar-se, a temperatura aumentará.

As salas de ciclismo indoor não climatizadas podem gerar desconforto, portanto, escolha uma bicicleta mais próxima possível do ventilador. Além disto, hidrate-se, beba água durante todo o período de exercício.

A água ajuda a arrefecer o seu corpo e manterá seus músculos hidratados. Se começar a ficar super aquecida, diminua o ritmo da pedalada.

Benefícios

Além de melhorar o seu sistema cardiovascular, o ciclismo indoor pode ajudar a reduzir o risco de diabetes gestacional e hipertensão arterial. De acordo com a “Medicina esportiva”, praticando o ciclismo, em média, cinco horas por semana em um ritmo moderado, poderá reduzir o risco de  complicações durante o período de gestação.

Consulte o Médico

A primeira providência é ter a liberação médica para a prática e, se possível, que o seu médico defina um programa de treino sob medida para a sua necessidade e condicionamento.

Jaqueline Mourão, a super atleta grávida!

Para colocar à prova todas estas teorias que pesquisamos, entrevistamos a atleta da Scott, Jaqueline Mourão. Jaqueline é uma atleta de alta performance e nos disse que o seu período de gestação foi bem mais fácil do que imaginava.

“Claro que para uma atleta de rendimento, pensar em gravidez é algo que preocupa, pois nosso corpo é nossa ferramenta de trabalho e eu tinha várias dúvidas, como se conseguiria engravidar mesmo com um percentual de gordura corporal tão baixo, se poderia continuar a praticar esporte, se conseguiria voltar ao mesmo nível de performance após a gravidez, entre outras”, comenta Jaqueline.

Ela afirma que esporte e gravidez são totalmente compatíveis e que, com um acompanhamento médico correto, não há comprometimento da saúde do bebê ou da mãe.

A partir dos 9 meses, o bebê já pode acompanhar a mamãe ciclista em suas atividades, utilizando cadeirinhas próprias para essa finalidade

A cadeirinha é uma forma de aproximar desde muito cedo a criança da bicicleta.

Pedalando com o seu bebê

As cadeirinhas são vendidas em lojas de departamentos, grandes magazines e em lojas especializadas em bicicleta.

Constatamos que em nenhum lugar os pais são orientados com relação a serem bons condutores de bicicleta para poderem conduzir as suas bikes equipadas com cadeirinhas e suas crianças.

É imperativo ter ciência da importância de terem boa destreza, equilíbrio e controle da bicicleta, pois uma queda pode causar sérios traumas físicos e emocionais à criança e aos condutores.

Os manuais das cadeirinhas trazem as instruções de segurança, porém, se você não tem boa destreza e controle da bicicleta, é melhor treinar antes e certificar-se que está apta para a “aventura”.

As cadeirinhas não possuem certificação pelo Inmetro, pois o órgão ainda não tem uma norma pré-estipulada para este tipo de produto. Por isto, procure por produtos que seguem as recomendações de produção de acordo com normas ISO 9001, incluindo teste de peso e também produtos que sigam padrões internacionais previstos na norma EN-14344.

Quanto à idade mínima e máxima para a criança ser transportada na cadeirinha de bicicleta, há uma regra relacionada ao peso da criança e idade aproximada.

A partir de nove meses a um ano, quando a criança já está firme para sentar-se sozinha, estipulou-se como sendo a idade mínina. Quanto à idade máxima, o peso suportado varia entre as marcas disponíveis.

Encontra-se cadeirinhas para crianças de 15 kg até 25 kg, o que corresponde a uma criança de aproximadamente cinco anos.

As cadeirinhas podem ser fixadas na parte da frente da bicicleta, para o transporte de crianças menores, ficando à vista do condutor, enquanto a traseira é própria para crianças maiores, necessitando de um bagageiro para sua instalação.

Observe que a cadeirinha não é apropriada para toda bicicleta. Por isto, quando for comprar a cadeirinha, leve a bicicleta junto para poder analisar se o encaixe será correto. Não faça adaptações, lembre-se que a segurança de sua criança é prioridade.

Assim como a bicicleta, a cadeirinha deve estar em perfeitas condições de uso para poder ser utilizada. É fundamental atentar-se às seguintes instruções de uso e conservação:

  • Conserve-a em local abrigado da luz solar para evitar queimaduras por exposição à temperatura.
  • Limpe-a com água e sabão neutro e não utilize produtos químicos. Deve-se evitar o choque para aumentar a durabilidade do produto.
  • Ao transportar a bicicleta no carro em suportes, remova a cadeirinha. Vibrações podem causar danos, ceder ou liberar ligações com a bicicleta, o que pode desencadear um acidente ou perda de peças.
  • Quando não estiver em uso, recomenda-se a remoção das cadeirinhas.
  • Ao menor sinal de fadiga de qualquer peça das cadeirinhas, recomendamos a suspensão da utilização e a consulta a um especialista ou ao fabricante.
  • A instalação das cadeirinhas reduz a capacidade de manobra da bicicleta. Recomendamos que os condutores verifiquem se suas bicicletas funcionam corretamente com as cadeirinhas montadas e se há alguma dificuldade de locomoção com o uso delas.

Benefícios do uso das cadeirinhas

A cadeirinha é uma forma de aproximar desde muito cedo a criança da bicicleta.

É uma forma de gerar um ciclista naturalmente, que no futuro poderá ter a bicicleta como principal instrumento de transporte ou ser um motorista mais consciente com relação à importância social da bicicleta.

Mais do que um produto ou acessório, a cadeirinha é um instrumento eficaz na perfeita sintonia entre pais, filhos e a bicicleta.

As cadeirinhas popularizaram-se mais depois de várias celebridades terem sido fotografadas por paparazzis. De certa forma, isso oferece um aval de aprovação de uso. Outro ponto forte na popularização de uso do produto é a escolha de algumas prefeituras e instituições para o uso das cadeirinhas como forma de prevenção de acidentes.

Em Igrejinha – RS, por exemplo, um sindicato de trabalhadores forneceu cadeirinhas aos seus associados, como forma de prevenção a acidentes de transporte, depois que constataram que muitos dos trabalhadores utilizavam bicicletas para transportar seus filhos para as creches e escolas antes do horário de trabalho e por vezes ocorriam acidentes, justamente pela falta de cadeirinhas. Além disso, foi uma forma de incentivar o uso de bicicletas.

Em Ribeirão Preto – SP, cadeirinhas são disponibilizadas aos ciclistas que utilizam a ciclofaixa da cidade aos domingos.

Entrevista com Jaqueline Mourão

Você pedalou enquanto grávida? Até que mês?

Jaqueline: Pedalei até o último dia da minha gestação! Esta foto foi tirada na minha última semana de gestação. Adaptamos a bike para o final, levantando o guidão para ficar mais confortável com a barriga e tiramos mais pressão dos pneus.

Teve acompanhamento médico?

Jaqueline: Fui acompanhada tanto no Brasil (início da minha gestação, até o terceiro mês) quanto no Canadá (os outros seis meses).

Que tipo de pedal praticava?

Jaqueline: Cortamos a intensidade, pedalamos em intensidade Z1 e Z2 abaixo do limiar anaeróbio.

Quais foram os benefícios?

Jaqueline: Eu me senti muito bem com a possibilidade de poder continuar a praticar esportes. Foi muito bom, tanto para mim quanto para o bebê.

Existem várias pesquisas que comprovam os benefícios de uma gravidez fisicamente ativa.

No dia que não pedalava, eu me sentia inchada, sem disposição e com menos energia, sentia mais enjoo também durante os primeiros meses, quando não pedalava.

Quais recomendações você dá para as ciclistas que engravidam?

Jaqueline: Se estiver tudo bem com a sua gravidez e o médico liberar, preste atenção na sua alimentação e muita hidratação durante o pedal. Escolha terrenos em que se sinta à vontade (se não se sente segura em trilhas, faça mais estradões). E acima de tudo, fique atenta aos sinais que seu corpo possa estar dando e tire todas as suas dúvidas com seu médico!

Eu dei a sorte de ter uma médica no Canadá que trabalhou com muitas atletas e então tinha experiência e tirava todas as minhas dúvidas. Eu senti que todas as vezes que eu começava a pedalar, nos primeiros 10 minutos, eu me sentia muito ofegante, mesmo com a frequência cardíaca ainda bem baixa.

Depois, eu estabilizava e voltava a respirar normalmente. Minha médica disse que isso é normal, é uma adaptação do corpo visando fornecer o máximo de oxigênio para o feto, que por sinal está bem protegido lá dentro. Era interessante que até mesmo ele controlava a intensidade do treino.

Mesmo se eu quisesse, eu não conseguia passar da minha zona de intensidade 2.

Источник: https://revistabicicleta.com/saude/gravidez-e-bicicleta-sera-uma-boa-combinacao/

Estou grávida, posso andar de bicicleta?

Pode uma grávida andar de bicileta?

“Estou grávida, posso andar de bicicleta?” São muitas as dúvidas do que pode ou não pode durante a gravidez. Quem ama pedalar pode ficar triste com a ideia de fazer uma pausa muito longa.

A boa notícia é que em uma gravidez saudável e sem riscos, é possível pedalar praticamente até o parto.

Claro que podem ser necessárias algumas adaptações, como mudar o tipo de percursos e deixar de lado um pouco alguns pedais mais extremos.

>> Siga a Go Outside no Instagram

Mesmo a Sociedade Americana de Obstetrícia e Ginecologia não veta a bicicleta quando se está grávida (andar a cavalo, esquiar e outras atividades de alto risco sim). Eles observam que mountain bike pode ser mais arriscado, e que pedalar numa ergométrica é mais seguro que na rua por causa da mudança no centro de gravidade pela qual nosso corpo passa.

Mas a orientação dos ginecologistas e obstetras é, antes de mais nada, manter o bom senso. Quem já é ciclista e está grávida, está bem acostumada e confortável na bicicleta pode continuar pedalando.

+ 15 melhores nutrientes e vitaminas para a mulher

Só preste atenção em como você se sente depois do primeiro trimestre. Podem acontecer algumas mudanças no equilíbrio por causa da mudança no centro de gravidade. Neste caso, é melhor não subir na bike. 

Em todo caso, não importa qual sua decisão, alguém irá criticar. Se você gostaria de continuar andando de bicicleta, veja nossas dicas para fazer isso com segurança para você e seu bebê. Não se esqueça que cada gravidez é diferente, então não deixe de falar com seu médico. Algumas gravidezes são de risco e várias atividades devem ser restritas, inclusive pedalar.

Moderação

O conselho geral sobre quanto exercício fazer depende de quanto você já fazia antes de ficar grávida. Para uma Ironman, um pedal de duas horas é algo que ela faz antes do café. Para quem está começando, pode ser o maior pedal que a pessoa já fez na vida.

Fique dentro de sua zona de conforto; não é hora de quebrar recordes e forçar seus limites. Os médicos não estabelecem mais zonas cardíacas recomendadas (o teto antigamente era 140), mas recomendam a percepção de esforço moderada, como conseguir conversar enquanto pedala. 

Cada trimestre é diferente

Em geral, o primeiro trimestre é uma avalanche de hormônios. Isso porque seu corpo está trabalhando dobrado para firmar a gravidez e criar a placenta, e você pode se sentir mais cansada, ter enjoos matinais, e aquela sensação de “não me sinto eu mesma”. Ou você pode estar se sentindo ótima. Use a cabeça e avalie como se sente.

Geralmente o mal estar matinal alivia no segundo trimestre e sua energia volta ao normal. Pode ser a melhor fase para pedalar. Mas pode acontecer ao mesmo tempo em que a barriga começa a ficar saliente. Aí vai de cada uma.

No terceiro trimestre, o peso e a barriga podem incomodar. Vá sentido o que funciona para você. Talvez seja uma opção interessante usar uma ergométrica ou um rolo de treino fixo, para ter mais estabilidade, conforto e segurança, sem precisar deixar de pedalar. 

Relaxe e curta 

Não é preciso dizer que quanto maior sua barriga, mais devagar você tende a ir. E que fica mais difícil respirar profundamente. Tem uma pessoinha crescendo dentro de você, e puxando um pouco daquela energia que você injeta no pedal. Seu giro de sempre vai começar a parecer mais longo. Se precisar, encurte o treino e evite subidas muito fortes.

Você vai ficar maior e mais pesada, o que impacta sua forma de pedalar. Você vai precisar de mais tempo para acelerar e parar; pode ser ser mais delicado fazer curvas. Nos últimos meses, ciclovias, estradas tranquilas e acostamentos seguros podem ser os melhores lugares para girar.

Ajuste o bike fit

Conforme ficar mais difícil se apoiar no guidão, você pode precisar fazer alguns ajustes para ficar confortável no selim. Subir um pouco o guidão pode ajudar ao deixar você numa posição mais ereta.

Mas lembre-se que talvez isso implique em colocar um selim mais largo também, feito para dar o melhor apoio numa posição mais vertical.

Talvez você precise também de um bretelle maior ou um short com forro para suas roupas de passear na bike preferidas.

Hidrate e se alimente

Não subestime suas necessidades energéticas. Um giro ao qual você está super acostumada pode ser muito mais desafiador para o corpo da gestante.

Afinal, boa parte da energia consumida está sendo direcionada para um novo ser humano em formação, certo? Por isso, levar comida a mais é uma excelente ideia, ou mesmo programar seu pedal para sua padaria ou cafeteria preferida e reabastecer por lá.

Hidratação é mais importante ainda quando você está grávida. Você precisa de mais água para seu corpo desempenhar as mesmas funções e além disso as funções relacionadas à gravidez.

É mais fácil superaquecer grávida porque sua taxa metabólica está mais alta e seu corpo não consegue se resfriar tão fácil. Leve o dobro de fluido que está acostumada e não pedale no calor forte.

Isso significa que você pode precisar parar mais para fazer xixi  porque a bexiga fica comprimida pela expansão do útero, então já programe estas paradas.

Источник: https://gooutside.com.br/estou-gravida-posso-andar-de-bicicleta/

Exercício físico para ciclistas grávidas

Pode uma grávida andar de bicileta?
Exercício físico para ciclistas grávidas

Você vai virar mamãe e toda sua vida está de ponta cabeça: nova rotina, nova alimentação, novos planos. Mas e como fica o pedal nessa história? O exercício físico é saudável para ciclistas grávidas? Sim É possível manter uma rotina de exercícios em todos os meses da sua gestação.

Nessa matéria vamos esclarecer detalhes pra você: quais são os benefícios e contra indicações do ciclismo durante a gestação, qual o melhor ritmo de acordo com os meses de gestação, quais são os alertas para parar e também cuidados que devem ser levados em consideração na hora da prática.

Primeiramente, é preciso deixar claro que a mulher grávida necessita de cuidados especiais e não pode simplesmente manter o mesmo ritmo de exercícios que fazia antes da gestação. É extremamente importante ter acompanhamento do seu médico obstetra e por que não, um personal para acompanhar a mamãe nos treinos.

São muitos os benefícios para as ciclistas gestantes. Isso, claro, se durante o acompanhamento médico ficar claro que não existem contra-indicações relativas ou completas para a realização de exercícios físicos – como uma gestação de risco ou complicada.  É preciso também se certificar que a mamãe não possua doenças cardíacas, ameaça de aborto ou sangramentos vaginais.

Por isso cada caso é diferente Se o seu caso é esse, confie no seu médico para te orientar se você deve ou não fazer exercícios, mesmo que de leve intensidade, para se encaixar na sua condição.

Benefícios do exercício físico durante a gravidez

Ganho de peso, aumento da frequência cardíaca, dificuldade para respirar, dores nas articulações, falta de nutrientes, falta de energia: são alguns dos sintomas que podem chegar junto com a gestação.

Felizmente a prática de atividade física pode acabar ou minimizar todos esses sintomas. Segundo a Dra. Andrea Arruda, ortopedista, traumatologista e médica do esporte, praticar atividade física durante a gestação faz muito bem para a futura mamãe e também para o bebê.

“Um bebê gerado por uma mãe que pratica regularmente atividade física torna-o mais saudável, isso porque uma mulher atleta tem mais chances de ser ou estar saudável do que uma gestante não atleta” (ARRUDA, Andrea)

Entre os principais benefícios estão:

  • Redução do estresse cardiovascular,  que reflete em freqüências cardíacas mais baixas, maior volume sanguíneo em circulação, maior capacidade de oxigenação, menor pressão arterial;
  • A prevenção de doenças da gestação como diabetes gestacional;
  • Melhora no condicionamento físico para a própria gestação, o parto e pós-parto (situações que por si só representam sobrecarga para o sistema respiratório e cardiovascular);
  • Proporciona uma melhora da autoestima e da sensação de bem-estar, ajudando a combater estados emocionais depressivos e a ansiedade;
  • Reduz e previne as lombalgias (dor na região lombar);
  • Diminui o risco de parto prematuro;

Ciclismo x gravidez

Certo, agora que já sabemos todos os benefícios da prática de exercícios físicos em geral, como fica o ciclismo nesse contexto? Alguns médicos, como o Dr. Rubens Paulo Gonçalves Filho, Ginecologista e Obstetra do Hospital Israelita Albert Einstein, em São Paulo e também colunista do ativo.com, recomendam cautela na hora de pedalar.

Segundo ele existem algumas atividades não recomendadas para gestantes, como esportes de alto impacto, mergulho em apneia, escaladas e ciclismo mountain bike ou trilhas. Mas será que isso é verdade?

Primeiro é preciso ter em mente que o ciclismo pode ser um esporte de impacto dependendo de onde você vai pedalar. Um lugar de terreno muito acidentado, com pedras e grandes buracos faz você exigir muito do seu corpo e essa intensidade pode não ser ideal pra você e seu bebê.

Como é o caso com a maioria dos exercícios durante a gravidez, o ciclismo deve ser feito com moderação. Você precisa ter bom senso, ser precavida e inteligente. Prefira os terrenos planos sem subidas ou descidas íngremes. A sua prática deve prevalecer o giro constante, o trabalho aeróbico, e não de força ou destreza.

Segundo Claudio Franco, redator da Revista Bicicleta: “Andar de bicicleta é um exercício aeróbio de baixo impacto, mas precisará redobrar os cuidados. […] Evite percursos com curvas e quando pedalar em grupo evite ficar muito perto de outros ciclistas. Cuidado para não cair”. Em caso de alguma queda, consulte imediatamente seu médico.

Você pode experimentar o ciclismo in door

Você não está proibida de pedalar na rua, basta ter um bom acompanhamento e saber seus limites. Mas, uma outra opção é o ciclismo in door. Nessa modalidade você fica em um ambiente fechado, pode ser na sua casa, em um rolo de treino fixo ou bicicleta ergométrica.

São muitas as vantagens desse tipo de ciclismo, começando pelo fato de que você estará protegida de possíveis acidentes de percurso (já que não vai sair do lugar).

Claro, é bom lembrar que conforme sua gestação segue, sua barriga cresce e seu centro de gravidade vai começar a mudar – isso também vale para treinos fora.

Consequentemente seu equilíbrio será afetado e você precisa ser muito cuidadosa.

Exercite-se em uma intensidade moderada. A medida certa é conseguir pedalar e conversar ao mesmo tempo sem ficar ofegante ou cansada.

OBS: Se você nunca andou de bicicleta, não é recomendado iniciar justo durante a gravidez, pois a bicicleta requer muito equilíbrio, fator que falta nas grávidas principalmente no período de gestação mais avançada.

Cuidados para se levar em consideração

Alguns cuidados sugeridos pelo American College of Obstetricians Gynecologists devem ser levados em consideração. São eles:

• Faça exercício pelo menos 3 vezes por semana, durante um mínimo de 20 minutos de cada vez. Evite sessões de exercícios intensos seguidos de longos períodos de inatividade.

• Evite exercícios que a obriguem a deitar-se de barriga após o terceiro mês de gravidez.

• Evite exercício intenso em ambientes quentes, úmidos ou se tiver febre.

• Se sentir que algo não está bem durante um determinado exercício, não o faça.

• Evite movimentos ou atividades com impactos freqüentes ou violentos.

• Utilize um soutien que dê um bom apoio e proteja convenientemente o seu peito. É natural que tenha de comprar tamanhos maiores durante a gravidez.

• Use calçado apropriado, de modo que os pés e tornozelos estejam bem protegidos e não escorreguem.

• Evite exercícios em que tenha de dobrar demasiadamente os joelhos, levantamentos simultâneos das duas pernas e saltos com as pernas esticadas (as pernas devem amortecer a queda).

• Comece sempre com 5 minutos de marcha lenta ou bicicleta estática com pouca resistência, para aquecer bem os músculos. O exercício mais intenso não deve exceder os 15 minutos seguidos.

• Após o exercício mais intenso faça 5 a 10 minutos de atividade gradualmente menos intensa, que deve terminar com exercícios suaves de relaxamento muscular e alongamentos (“stretching”).

• Monitore seu ritmo cardíaco durante as fases de exercício mais ativo. O ideal é que não exceda as 140 pulsações por minuto.

• Após um exercício no chão, levante-se lentamente para evitar vertigens. Após estar de pé, ande durante um ou dois minutos.

• Beba água antes, durante e após a sessão de ginástica. 

Refrigeração

Durante a gravidez, a temperatura do corpo fica ligeiramente elevada. Ao exercitar-se, a temperatura aumentará.

As salas de ciclismo indoor não climatizadas podem gerar desconforto, portanto, escolha uma bicicleta mais próxima possível do ventilador. Além disso, hidrate-se, beba água durante todo o período de exercício.

A água ajuda a arrefecer o seu corpo e manterá seus músculos hidratados. Se começar a ficar super aquecida, diminua o ritmo da pedalada.

ALERTA: Pare imediatamente se tiver qualquer um desses sintomas.

  • Dor
  • Hemorragia vaginal
  • Vertigens ou desmaio
  • Falta de ar
  • Batimentos cardíacos irregulares ou excessivamente rápidos (mais de 160)
  • Dificuldade em andar
  • Dores nas costas ou zona do púbis
  • Contrações uterinas

 Lembre-se de que seu corpo não está no seu estado natural, e mesmo com acompanhamento médico regrado, ele pode não aceitar bem os exercícios. Por isso é de extrema importância ficar ligada em todos os sinais – especialmente se você nunca teve o hábito de praticar atividades esportivas ou aeróbicas.

Exercício físico em cada fase da gravidez

Que você vai precisar desacelerar e diminuir a intensidade do seus treinos é fato. Mas como fazer isso de forma correta ou melhor indicada? Confira agora dicas de como passar pelos meses de gravidez mantendo um bom ritmo de exercícios.

Algumas dicas abaixo foram pesquisadas pela repórter Paula Ricupero, para a revista Revista O2, edição 147 de Agosto de 2015, complementadas pela equipe Mx Bikes.

1 A 3 MESES

Ok, você já diminuiu o ritmo do seu pedal, agora tente evitar locais com muita trepidação e buracos.

Evite também correr em dias muito quentes, de sol forte – isso pode abaixar sua pressão, te deixar ofegante, aumentar muito a sua temperatura corporal.

O cuidado também vale para dias muito frios, afinal o inverno é a estação da gripe e os ciclistas não estão imunes – muito menos as mamães, ninguém merece passar por esse período gripada.

Evite treinos longos, que façam você exigir demais do seu corpo. A ideia é permanecer saudável, sem estressar seu corpo nem o seu bebê.

3-6 MESES

Essa é a fase em que a sua barriga começa a aparecer. Controle bem sua frequência cardíaca e não deixe ela passar de 140 bpm. Além disso lembre de tomar bastante água, dessa forma você não desidrata e evita diminuir o fluxo sanguíneo para o útero e causar contrações.

6-9 MESES

Nesses meses a sua barriga já está bem grande. Nesse período o seu centro de gravidade muda e você pode se desequilibrar mais fácil. Você precisa estar confortável andando de bike, caso contrário talvez seja a hora de trocar para um exercício ainda mais leve, como as caminhadas.

Cuidado com as quedas. Se ocorrer alguma queda, obstetras recomendam tentar cair de lado ou sobre as mãos e joelhos para evitar um trauma abdominal. No terceiro trimestre podem surgir dores nas articulações, pois elas ficam menos flexíveis. Nesse caso o exercício físico terá o efeito de minimizá-las, possivelmente por promover menor retenção de líquidos no tecido conectivo.

No último mês é recomendado repouso, mas ainda assim você pode se exercitar caso seu médico libere.

PÓS-PARTO

As indicações variam de acordo com o parto. Se for um parto normal, a mamãe pode começar a praticar exercícios de baixa intensidade e ir aumentando já na primeira semana pós parto. No caso da cesárea, é necessário aguardar cerca de três meses para total cicatrização da parede abdominal, evitando formação de hérnias.  

É legal pontuar que o exercício físico ajuda a eliminar toxinas da gravidez, além de ajudar na recuperação do corpo e prevenir depressão pós parto – pela liberação de endorfina no organismo. Além disso ajuda a regular funções intestinais, enquanto a mulher retoma aos poucos seu condicionamento físico.

Mas o tempo de retorno às atividades físicas é bem relativo, pois cada mulher reage de uma forma com a chegada do seu bebê. Para algumas é um processo mais dolorido e lento, para outras simples e rápido. Ter acompanhamento médico, mesmo após o parto, é essencial.

O exercício físico interfere na qualidade do leite?

Existem muitas dúvidas com relação a amamentação pós parto e a prática.

Segundo especialistas é preciso tomar cuidado para que o ácido lático produzido pelo corpo durante o exercício não interfira no sabor do leite para o seu bebê.

Mas fique tranquila, isso acontece apenas em mudanças bruscas de comportamento, quando você está acostumada com sedentarismo e começa a praticar exercícios de alta intensidade, do dia para a noite.

Para evitar que isso aconteça é preciso retomar aos exercícios gradativamente, com uma evolução constante.

Outro mito é de que o exercício pode diminuir a produção de leite.

O que acontece é o seguinte: a diminuição do hormônio lactogênio, responsável pela produção do leite, pode acontecer em mulheres que fazem treinos muito pesados, para maratonas, com alta intensidade e longa duração.

Estudos comprovam que voltar gradativamente ao exercício, com pedais leves ou caminhadas durante um pequeno intervalo de tempo não diminui a produção de leite materno.

Segundo Ivan Maçarro, professor da Universidade Federal de São Paulo (Unifesp), “Correr ou pedalar de forma moderada, algumas vezes por semana, não vai mudar o gosto, consistência ou qualidade do leite. Isso é um mito. O que vai alterá-lo é um treinamento esportivo intenso”.

Você vai se tornar uma mamãe ciclista e já se perguntou essas coisas? É mamãe ciclista e já passou por todas essas fases? Deixe seu comentário pra gente aqui embaixo. 

Revista Bicicleta

Ativo.com

Equipe SportsLab

Источник: https://mxbikes.com.br/blog/exercicio-fisico-para-ciclistas-gravidas

Grávida pode andar de bicicleta?

Pode uma grávida andar de bicileta?

Muitas mulheres se sentem inseguras no início da gravidez: O que posso fazer e o que não posso fazer? O que devo prestar atenção no dia a dia e na prática de esportes? Uma das principais dúvidas é se a grávida pode andar de bicicleta.

Grávida pode andar de bicicleta? Quais são os benefícios?

O exercício durante a gravidez é perfeitamente saudável. O exercício moderado pode ajudar a prevenir alguns sintomas da gravidez. Com alguns treinamentos por semana, você pode tomar medidas contra dores nas costas e fadiga, por exemplo.

Grávida pode andar de bicicleta, pois não é muito cansativo, pode ser facilmente integrado à vida cotidiana e pode até prevenir diabetes gestacional entre outras coisas.

Ao pedalar, as pernas se movem uniformemente. Isso estimula a circulação e promove a circulação do sangue por todo o corpo. Sua resistência e seu sistema cardiovascular agradecerão pelo movimento. Assim como todas as articulações, tendões e ligamentos que são poupados durante o ciclismo. O exercício ao ar livre também é bom para a psique e pode até mesmo aliviar o humor depressivo.

Grávida pode andar de bicicleta no primeiro trimestre de gravidez?

Mulher gravida parada na bicicleta – Foto: Freepik

A gravidez é, sem dúvida, o momento em que a mulher deve prestar atenção especial ao seu corpo e ter cautela. No entanto, isso não significa que ela não possa praticar nenhum esporte.

Andar de bicicleta durante a gravidez aumenta o fluxo sanguíneo, reduz o estresse, melhora o humor e aumenta a resistência durante o parto, ao passo que, após o parto, permitirá que você recupere rapidamente toda a força e saúde.

Além disso, também melhora a qualidade do sono, reduz as doenças da gravidez, por exemplo, indigestão ou constipação, cura a dor nas costas e aumenta a taxa metabólica.

Grávida pode andar de bicicleta no segundo trimestre?

No segundo e terceiro trimestres da gestação, a prática esportiva deve ser abandonada devido ao risco de tombamento e, consequentemente, de lesão ou fratura. Isso se deve ao deslocamento do centro de gravidade do corpo para a frente.

Quais são as desvantagens de andar de bicicleta durante a gravidez?

Mulheres grávidas andando de bicicleta – Foto: Freepik

Como uma mulher grávida, é fácil para você sobrecarregar o corpo e tentar alcançar antigas conquistas. Eles não são um padrão agora. Se você se esforçar demais, poderá superaquecer ao andar de bicicleta na gravidez, e isso pode ser perigoso para você e seu feto.

Além disso, ao pedalar, é claro, há risco de queda ou colisão para cada um de nós. Portanto, como mulher grávida, certifique-se de conduzir em caminhos que não sejam muito movimentados ou muito estreitos e de estar particularmente atenta.

Grávida pode andar de bicicleta até que mês?

Como regra, você pode andar de bicicleta até o final da gravidez. Claro, você não deve treinar para uma corrida ou praticar acrobacias em uma bike. Mas ir para o trabalho é uma ótima maneira de integrar os exercícios à vida cotidiana e manter a forma.

Ouça o seu corpo e não exagere. É melhor andar muito devagar do que muito rápido e fazer pausas. Então, grávida pode andar de bicicleta sem problemas.

Mas se você sofre de náuseas, problemas circulatórios, pressão alta, posição desfavorável da placenta ou sangramento, evite pedalar durante a gravidez. Converse com seu médico (ginecologista) sobre qual esporte é o melhor para você durante a gravidez.

Além disso, você deve escolher bem a sua rota. Na verdade, locais irregulares não são seguros para mulheres grávidas, especialmente nas primeiras semanas durante a implantação.

Dicas para andar de bicicleta durante a gravidez

Mulher empurrando a bicicleta – Foto: Freepik

  • Primeiramente, use um monitor de frequência cardíaca em viagens mais longas para evitar sobrecarregar-se. 130 a 140 batimentos por minuto é aproximadamente o máximo que você não deve exceder.
  • Uma posição sentada confortável e ereta é importante ao andar de bicicleta durante a gravidez. O sangue no abdômen pode circular muito bem.
  • Além disso, é melhor pedalar apenas rotas que você possa avaliar bem. Desta forma, evita-se que as forças sejam perdidas durante o passeio.
  • Você conhece melhor o seu corpo. Se notar que algo está errado, afinal não consegue fazer o percurso ou o ciclo não funciona: cancele o passeio e deixe alguém ir buscá-la.
  • Para passeios mais longos, leve um lanche com você para aumentar seu nível de açúcar no sangue, se necessário. Uma maçã ou algumas frutas secas são ideais.

Precauções para grávida andar de bicicleta

Obviamente, as ciclistas grávidas devem levar em consideração alguns pontos. Por exemplo, esforço excessivo e superaquecimento não são bons para a futura mãe e para o filho. Outros cuidados essenciais são:

Risco de queimadura solar

As mulheres grávidas correm maior risco de queimaduras solares, por isso precisam se proteger o dobro em dias de sol. De qualquer forma, muitos líquidos são importantes, mas especialmente durante a gravidez.

Em algumas mulheres grávidas, o senso de equilíbrio também se deteriora e, nesse caso, o cuidado é essencial. Em geral, você deve ajustar a velocidade e dirigir com mais cuidado do que o normal, talvez até mesmo evitar estradas estreitas ou acidentadas.

A bicicleta certa

Para a maioria das mulheres, andar de bicicleta é possível até o final da gravidez. Porém, no máximo no quarto mês, a maioria das mulheres acha desconfortável na bicicleta. E também não adianta nada: o peso do estômago dificulta o equilíbrio e é um grande desafio. Por esse motivo, a bicicleta certa é importante.

Andar de bicicleta durante a gravidez – contraindicações

Mulher de vestido azul na bicicleta azul – Foto: Freepik

Durante a gravidez, praticamente todas as atividades devem ser realizadas com mais cuidado do que antes. Assim, o mesmo se aplica ao ciclismo; que em caso de gravidez de risco é estritamente proibido devido a choques, possibilidade de queda e aumento do esforço.

Além disso, o estado de saúde da mulher resultante do seu estilo de vida atual também é uma contraindicação para o ciclismo durante a gravidez.

Assim, para mulheres menos ativas, recomenda-se caminhar ou nadar. Mas o clima lá fora também é importante. Para grávidas de bicicleta, o clima deve ser moderado, sem vento ou sol excessivamente escaldante.

Em resumo, as principais contraindicações:

  • A gravidez está em risco – placenta prévia, abortos anteriores, hematomas no útero;
  • Quando ocorre sangramento;
  • Gravidez múltipla;
  • Diabetes;
  • Hipertensão;
  • Anemia;
  • Doenças cardíacas.

Uma alternativa para duas rodas, ou seja, uma bicicleta ergométrica durante a gravidez

Mulher gravida na bicicleta ergométrica – Foto: Freepik

Uma bicicleta ergométrica durante a gravidez também é uma boa escolha, especialmente quando temos medo de capotamento ou colisão como resultado da desatenção de outros usuários da estrada.

As bicicletas estacionárias são muito estáveis, por isso é mais fácil manter o equilíbrio. Assim, o risco de queda é minimizado.

Andar de bicicleta ergométrica durante a gravidez traz muitos benefícios à saúde para o sistema cardiovascular e ativa os músculos que estabilizam a pelve.

Источник: https://www.mildicasdemae.com.br/2020/10/gravida-pode-andar-de-bicicleta.html

Embarazo y niños
Deja una respuesta

;-) :| :x :twisted: :smile: :shock: :sad: :roll: :razz: :oops: :o :mrgreen: :lol: :idea: :grin: :evil: :cry: :cool: :arrow: :???: :?: :!: