Quando a fimose deve ser operada?

Contents
  1. Fimose
  2. Causas de fimose
  3. Sintomas de fimose
  4. Prevenção da fimose
  5. Tratamento da fimose
  6. Recomendações caso seu filho tenha fimose
  7. Perguntas frequentes sobre fimose
  8. Fimose: o que é, pomadas para usar e como é a cirurgia
  9. Causas
  10. Diagnóstico de Fimose
  11. Tratamento de Fimose
  12. Complicações possíveis
  13. Convivendo/ Prognóstico
  14. Referências
  15. Fimose – Você sabe quando deve operar?
  16. Sintomas da fimose
  17. Diagnóstico da fimose
  18. Tratamento
  19. Prevenção
  20. Referência
  21. Fimose: o que é, tipos, sintomas, tratamento e cirurgia
  22. Tipos de fimose e quais são as causas
  23. Fimose em adulto X criança
  24. Fimose é diferente de aderência
  25. Como é feito o diagnóstico da fimose
  26. Tratamento para a fimose
  27. Como funciona a cirurgia de fimose e os cuidados pós-cirúrgicos
  28. Existe fimose feminina?
  29. Saiba como prevenir a fimose
  30. Fimose: o que é, diagnóstico, causas, sintomas e cirurgia
  31. Tipos de fimose:
  32. O que causa a fimose?
  33. Como saber se é fimose (diagnóstico)?
  34. Qual o tratamento da fimose?
  35. Cirurgia de fimose 
  36. Quais complicações a fimose pode causar?
  37. Qual a diferença entre a fimose e a aderência?
  38. A fimose também atinge mulheres?
  39. Como prevenir a fimose?
  40. Cirurgia de fimose (postectomia). Como se preparar para o antes e depois?
  41. Como deve ser o preparo para o dia da cirurgia?
  42. A cirurgia é feita com anestesia local ou geral?
  43. O curativo
  44. Caso ocorra uma ereção involuntária, é possível que os pontos se rompam?
  45. Eu vou sentir desconforto para urinar após a cirurgia?
  46. Quanto tempo depois da cirurgia poderei retomar as atividades sexuais?
  47. É necessário retirar os pontos após a cirurgia?
  48. Terei alguma alteração na sensibilidade do pênis após a cirurgia?

Fimose

Quando a fimose deve ser operada?

Higiene local é a melhor maneira de prevenir a fimose e evitar as postites (infecção ou inflamação do prepúcio).

Fimose é a dificuldade ou impossibilidade de expor a glande (a cabeça do pênis) porque o estreitamento do prepúcio (prega de pele que envolve a glande) impede a passagem. Nos primeiros meses de vida, existe uma aderência natural do prepúcio à glande. Porém, até os 5 anos, essa aderência desaparece na maioria dos meninos.

Veja também: Higiene íntima masculina requer cuidados que muitos não têm

Causas de fimose

As principais causas da fimose são assaduras e cicatrizes que retraem a pele, deixando o anel do prepúcio mais estreito.

Falta de higiene adequada também pode ser responsável pela incidência de inflamações ou infecções que estreitam a abertura do prepúcio.

Sintomas de fimose

  • Impossibilidade de expor totalmente a glande ao puxar o prepúcio para trás;
  • Dor durante relações sexuais.

Prevenção da fimose

Higiene local é a melhor maneira de prevenir a fimose e evitar as balanopostites (infecção ou inflamação do prepúcio).

Exercícios ou massagens para arregaçar o prepúcio devem ser evitados, pois além de causar dor, podem provocar sangramentos e, como consequência, a formação de cicatrizes que reduzem ainda mais o orifício por onde a glande deve passar.

Tratamento da fimose

Se a retração normal não ocorrer até os 5 anos, vale solicitar orientação médica. A retração pode ocorrer mais tardiamente, mas recomenda-se acompanhar de perto se não ocorrer até essa idade.

Quando é indicado tratamento, ele pode ser medicamentoso, com o uso de cremes corticosteoides que, aplicados na região, ajudam a deixar a pele mais flexível e permitir a retração normal. O uso deve ser exclusivamente mediante prescrição médica, pois essa classe de medicamentos não pode ser usada por

Caso o medicamento não seja suficiente, lança-se mão de procedimento cirúrgico (postectomia ou circuncisão), que consiste na retirada do prepúcio ou em cortes na pele de forma que permitam a passagem da glande.

O ideal é que a cirurgia seja realizada entre 7 e 10 anos de idade. A criança sai no mesmo dia do hospital e, em cerca de 4 dias, pode retomar as atividades normais. Exercícios físicos, porém, devem ser evitados durante 3 semanas aproximadamente.

Quando se trata de adultos, é recomendado não ter relações sexuais com penetração por pelo menos 1 mês.

Tratar a fimose é fundamental para facilitar a higiene do pênis, diminuir o risco de balanopostites, corrigir a parafimose (estrangulamento da glande pelo prepúcio) e permitir relações sexuais mais confortáveis na vida adulta.

Recomendações caso seu filho tenha fimose

  • Não force a pele da glande nem faça massagens para aumentar a abertura do prepúcio. Isso pode provocar microtraumatismos e, posteriormente, cicatrizes que reduzem o diâmetro do anel prepucial;
  • Procure realizar a higiene do pênis com atenção e cuidado;
  • Trate as assaduras que por ventura ocorram na glande e no prepúcio para evitar infecções e cicatrizes;
  • Leve seu filho ao médico ao primeiro sinal de inflamação ou infecção na cabeça do pênis e/ou na pele que a recobre;
  • Não adie a realização da cirurgia de fimose. Aceite-a com naturalidade e procure tranquilizar seu filho caso ela lhe seja indicada.

Perguntas frequentes sobre fimose

Até que idade é normal ter fimose?

Em geral, é normal ter algum grau de fimose até os 5 anos de idade. A retração pode acontecer naturalmente muitos anos depois, até na adolescência, mas a partir dos 5 anos recomenda-se ficar de olho junto com o pediatra para decidir sobre o início de algum tratamento.

A cirurgia de fimose é oferecida pelo SUS?

Sim, o Sistema Único de Saúde realiza a cirurgia gratuitamente segundo indicação médica.

Aderência é o mesmo que fimose?

Não, mas são problemas parecidos. Na aderência, a pele do prepúcio fica “colada” à glande, o que também impede a retração. Porém, assim como ocorre com a fimose, geralmente essa aderência cede naturalmente com o passar dos anos. No acompanhamento com pediatra, o especialista irá orientar caso seja necessário tratar.

Existe fimose em mulheres?

É uma condição muito mais rara que a masculina, mas existe. Nesse caso, os pequenos lábios ficam aderidos, o que bloqueia a abertura do canal vaginal. O tratamento inclui cremes que auxiliam na separação dos lábios.

Источник: https://drauziovarella.uol.com.br/doencas-e-sintomas/fimose/

Fimose: o que é, pomadas para usar e como é a cirurgia

Quando a fimose deve ser operada?

Fimose (CID-10 N47) é a dificuldade de expor a glande do pênis devido a um excesso de pele no membro. A condição causa empecilhos a higiene íntima, e também pode facilitar o surgimento do câncer em casos mais graves.

O excesso de pele é mais comum em bebês do sexo masculino, e normalmente desaparece com o passar dos anos. Caso o problema persista, é recomendável a remoção cirúrgica, já que a fimose em adultos pode gerar dores, inflamação e diminuição da qualidade da vida sexual.

É extremamente comum que os bebês nasçam com excesso de pele na glande. Entretanto, de acordo com dados do Ministério da Saúde, 20% das crianças já consegue expor a cabeça do pênis.

NÃO PARE AGORA… TEM MAIS DEPOIS DA PUBLICIDADE ;)

NÃO PARE AGORA… TEM MAIS DEPOIS DA PUBLICIDADE ;)

Já aos três anos, metade dos meninos já consegue retrair o excesso de pele. Aos 17 anos, 99% dos indivíduos não são mais afetados pelo problema.

Apesar de ser raro, a fimose também pode atingir as mulheres. Ela acontece quando os pequenos lábios da vagina ficam «grudados», e acabam cobrindo a abertura vaginal.

Causas

Há duas principais causas da fimose. A causa primária do problema está na formação do prepúcio durante o período fetal. Quando o prepúcio é anelado e não se consegue expor a glande com facilidade, é diagnosticada a fimose.

Entretanto, a fimose pode ocorrer por episódios repetidos de infecção prepucial durante os primeiro anos de vida (ou mesmo na adolescência e nos adultos), desencadeando uma piora do anel prepucial pelos processos cicatriciais, impossibilitando a exposição natural da glande.

NÃO PARE AGORA… TEM MAIS DEPOIS DA PUBLICIDADE ;)

NÃO PARE AGORA… TEM MAIS DEPOIS DA PUBLICIDADE ;)

No final do primeiro ano de vida, a retração do prepúcio para trás do sulco glandular é possível em apenas cerca de 50% dos meninos e esse percentual sobe para 89% aos três anos.

A incidência de fimose é de 8% em crianças entre os seis e sete anos de idade e apenas 1% no adolescente entre 16-18 anos.

Adultos que sofrem inflamações prepuciais de repetição podem piorar o grau de fibrose do anel a ponto de impedirem sua exposição natural. Estes pacientes devem ser operados para sua resolução.

Diagnóstico de Fimose

O diagnóstico é feito apenas pelo exame físico, evidenciado pela não exposição da glande pela retração do prepúcio.

A fimose pode ser classificada em dois tipos: fisiológica e secundária. O primeiro caso significa que ela está presente desde o nascimento.

NÃO PARE AGORA… TEM MAIS DEPOIS DA PUBLICIDADE ;)

NÃO PARE AGORA… TEM MAIS DEPOIS DA PUBLICIDADE ;)

Já o último é quando o excesso de pele surge em qualquer época da vida, normalmente depois de uma infecção ou traumatismo local.

  • Dificuldade ou impossibilidade de expor totalmente a glande do pênis
  • dor nas relações sexuais.

Tratamento de Fimose

O tratamento inicial pode ser realizado durante o banho para expor e higienizar a glande. Desde que o anel não esteja estreitado, é possível que ocorra liberação.

Mas quando ocorrer fissuras dolorosas durante este processo de exposição digital é preferível indicar cirurgia para remoção do anel precocemente, independente da idade da criança.

Muitas crianças poderão ter sucesso neste processo para expor a glande, que poderá demorar meses para sua completa liberação.

NÃO PARE AGORA… TEM MAIS DEPOIS DA PUBLICIDADE ;)

NÃO PARE AGORA… TEM MAIS DEPOIS DA PUBLICIDADE ;)

A cirurgia engloba a remoção da pele e mucosa onde se localiza o anel prepucial. O procedimento deve preservar parcialmente o prepúcio, propiciando a exposição livre da glande pela retração do prepúcio.

A remoção completa, com exposição permanente da glande, deve ser evitada, pois é necessário proteger a região. Quando isso ocorre, há uma mudança na glande, modificando a pigmentação da glande.

O aspecto cosmético ficará para sempre modificado, podendo causar também, perda da sensibilidade táctil da glande e a umidade natural destas mucosas na porção interna do prepúcio que recobre a glande.

NÃO PARE AGORA… TEM MAIS DEPOIS DA PUBLICIDADE ;)

NÃO PARE AGORA… TEM MAIS DEPOIS DA PUBLICIDADE ;)

Atualmente a segurança da anestesia e da cirurgia é muito alta, mas como qualquer ato médico, eventos indesejados podem ocorrer, mas podem ser contornados com sucesso – desde que se realize o procedimento em ambiente cirúrgico adequado e com segurança para que seja atingido o sucesso pretendido para o procedimento.

Atualmente, a cirurgia de remoção de fimose é fornecida gratuitamente pelo Sistema Único de Saúde (SUS).

Comumente, as pomadas à base de corticoide são utilizadas para o tratamento da fimose. O motivo disso são por que elas agem como anti-inflamatórios na área do prepúcio, diminuindo a dor e eliminando bactérias. Tudo isso faz com que a pele do pênis possa deslizar com facilidade na glande.

NÃO PARE AGORA… TEM MAIS DEPOIS DA PUBLICIDADE ;)

NÃO PARE AGORA… TEM MAIS DEPOIS DA PUBLICIDADE ;)

Complicações possíveis

A complicação mais comum da fimose é a infecção local do prepúcio e glande, que propicia aderência entre estas estruturas (balanopostite). Os neonatos são mais suscetíveis a apresentarem infeção do trato urinário superior (pielonefrite) proveniente de colonização bacteriana no prepúcio obstruído.

Podem ocorrer aderências prévias a exposição da glande do prepúcio, e em decorrência destas aderências, o procedimento pode exigir cuidado médico mais próximo no pós-operatório da cirurgia durante os curativos iniciais. As aderências podem ser frouxas; mais densas, com pontes aderenciais entre o prepúcio e a glande; e formação de cicatrizes firmes.

Outras complicações mais raras podem ocorrer como estreitamento do meato uretral, deformidades severas da glande causadas pelas infeções locais repetidas e dor durante a ereção.

NÃO PARE AGORA… TEM MAIS DEPOIS DA PUBLICIDADE ;)

NÃO PARE AGORA… TEM MAIS DEPOIS DA PUBLICIDADE ;)

Convivendo/ Prognóstico

Uma cirurgia bem feita e sem complicações proporciona, normalmente, que a pessoa não apresente mais problemas locais. A postectomia evita ou pelo menos reduz algumas lesões virais e bacterianas, como o HPV, o próprio HIV e outras doenças sexualmente transmissíveis (DST).

Este conhecimento é milenar para proteção das DST. A recente epidemia de HIV foi reduzida nas populações endêmicas africanas por programas de saúde da ONU, indicando a realização de postectomia indiscriminada aos homens.

Referências

Escrito por: Francisco Fonseca, uro-oncologista membro da Sociedade Brasileira de Oncologia e especialista Minha Vida – CRM: 44006/SP.

Ministério da Saúde (saude.gov.br/)

Источник: https://www.minhavida.com.br/saude/temas/fimose

Fimose – Você sabe quando deve operar?

Quando a fimose deve ser operada?

Fimose (phimosis) é a incapacidade de expor a glande ao se retrair o prepúcio. Na maioria das vezes é causado por anel que impede sua retração. A função principal do prepúcio é proteger a glande e o meato uretral.

Sua porção interna é constituída de mucosa e a externa de pele ou seja tecido estratificado. A mucosa do prepúcio recobre a mucosa da glande. A glande é rica tem terminações sensitivas, e portanto é especializado capturar sensibilidade durante o coito. Por isso, é fundamental para o desencadear o estímulo erótico sensitivo.

Apenas 4% dos recém nascidos retraem o prepúcio ao nascimento, mas nem todos tem fimose verdadeira. Por isso, a retração completa aumenta com a idade, enquanto que a taxa de fimose decresce. No final do primeiro ano, a retração é possível em 50% dos meninos, mas é de 89% no terceiro ano, 8% nos 6-7 anos e 1% aos 16-18 anos. Saiba mais sobre fimose.

Sintomas da fimose

Os sintomas quando ocorrem são causados pelo processo inflamatório: hiperemia ou seja, vermelhidão, inchaço, prurido até ulceração superficial. Todavia, nos casos com infecção local pode-se observar saída de secreção purulenta.

As balanites podem evoluir com aderência entre a glande e o prepúcio causando dor e dificuldade para expor a glande. Isso pode favorecer a novos episódios de balanites.

Além disso, se ocorrer ereção dolorosa, pode haver com sangramento prepucial e ardência miccional. Entretanto, casos extremos de obstrução prepucial pode-se observar dilatação prepucial causada pela obstrução do anel prepucial ao jato urinário.

Saiba mais a cirurgia circuncisão ou postectomia.

Diagnóstico da fimose

É realizado pelo exame físico ao se expor a glande e observar que é impossível sua exposição.

A fimose predispõem a criança a inflamação causada pelo contato constante da urina com a glande e prepúcio (balanopostite). Por isso, ocorre proliferação bacteriana e consequente balanopostite.

Desta forma, causa aderência entre o prepúcio e a glande. Quando as aderências forem intensas, pode causar deformidades pelas cicatrizes entre a glande e o prepúcio. A fimose pode acontecer em qualquer idade, incluindo nos idosos.

Isto ocorre pelos processos inflamatórios repetitivos que pioram o anel prepucial pelo aumento da fibrose.

Tratamento

A hidratação com cremes pode melhorar a elasticidade da pele e facilitar sua retração para a higiene diária.

Em alguns casos bem selecionados, principalmente nas crianças, pode-se usar cremes de corticóides de baixa potência.

O esmegma, ou seja, secreções das glândulas sebáceas e sudoríparas, e de células da mucosa predispõem a infecção local. Saba sobre doença associadas como a hidrocele.

Só se deve operar o paciente com fimose verdadeira!

Caso haja estreitamento prepucial deve-se indicar a postectomia. Esta cirurgia consiste na remoção da pele estenótica que obstrui a glande em qualquer idade.

Entendo que não é necessário remover o prepúcio totalmente, devendo recobri-la parcialmente. Isto é importante para não prejudicar a função das glândulas localizadas no prepúcio e na glande.

 Além do que se recobre a coroa prepucial, que produzem muco (glândulas de Batson).

Prevenção

Todos homens nascem com prepúcio e portanto não devem ser operados. Casos com prepúcio exuberante pode-se indicar a cirurgia, principalmente se houver incomodo ou causar desconforto durante o coito. Saiba mais sobre freio curto do pênis.

A ereção pode evidenciar o anel do prepúcio apertado. Nestes casos, ao término da relação é comum observar edema prepucial. A postectomia previne a parafimose, ou seja, a constrição do anel prepucial que causa edema e dor. Desta maneira, se intensa pode causar isquemia e até necrose da glande. Parafimose deve ser tratada rapidamente.

Outras indicações são as infecções recorrentes do trato urinário nas meninos, balanopostite recorrente e balanopostite xerótica obliterante.

Além destas, a cirurgia também diminui as doenças sexualmente transmissíveis, inclusive HIV. A postectomia previne o câncer de pênis no homem e o câncer de colo de útero na mulher.

Isto porque a mucosa fica mais espessa e pela facilidade com a higiene local. Saiba mais sobre câncer de pênis.

Concluindo, o exame físico é fundamental para tomada da decisão de qual conduta poderá ser mais acertada, desde simplesmente realizar tratamento com medicamentos locais até realizar a cirurgia.

Assim quando indicada a postectomia, esta deve ser feita com intuito de remover o anel prepucial sem no entanto, descobrir completamente a glande. Quando isto é feito, a mucosa lentamente se transforma em pele.

Por consequência, o paciente passa a ter menor sensibilidade durante a relação sexual. Obviamente, isto não é nada bom.

Contudo, caso você queira saber mais sobre esta e outras doenças do trato gênito-urinário acesse a nossa área de conteúdo para pacientes para entender e ganhar conhecimentos. São mais de 140 artigos sobre diversos assuntos urológicos disponíveis para sua leitura. A cultura sempre faz a diferença. Você vai se surpreender!

Referência

https://uroweb.org/guideline/paediatric-urology/#3_1

Источник: https://www.drfranciscofonseca.com.br/fimose-saiba-quando-operar/

Fimose: o que é, tipos, sintomas, tratamento e cirurgia

Quando a fimose deve ser operada?

Fimose é dificuldade ou impossibilidade de expor adequadamente a glande — a cabeça do pênis — devido ao excesso de pele que cobre a região. Essa pele, aliás, se chama prepúcio.

Praticamente todos os meninos nascem com a condição, porém, na maioria deles, a fimose desaparece com o tempo.

Quando o problema persiste, causa sintomas desagradáveis (dor, dificuldade para urinar etc) e exige tratamento, que pode incluir cirurgia.

Tipos de fimose e quais são as causas

O urologista Francisco Tibor, chefe do Departamento de Uropediatria da Sociedade Brasileira de Urologia (SBU), explica que existem basicamente dois tipos de fimose: a primária (ou fisiológica) e a secundária (ou patológica).

“A que ocorre nos primeiros meses ou anos de vida é considerada fisiológica. É uma situação transitória que normalmente evolui para uma resolução espontânea”, afirma Tibor. Ou seja, ela é normal e não traz quaisquer preocupações.

Com 1 ano de idade, aproximadamente metade dos garotos ainda não consegue expor a glande. Aos 3 anos, o número cai para cerca de 10%.

Os médicos diagnosticam a fimose secundária quando, mesmo com o passar do tempo, a criança continua incapaz de realizar esse ato. Nesse caso, a situação só se resolve com tratamentos, que falaremos adiante.

Fimose em adulto X criança

“A incidência é bem menor em adultos”, pondera Tibor. Uma das principais razões — que também pode afetar a meninada — é a falta de higiene. “É possível surgir uma infecção ou acúmulo de urina no interior da cavidade prepucial”, complementa o urologista.

Com isso e com o possível inchaço, fica complicado tirar o prepúcio da frente para expor a glande. É mais um motivo para não deixar de limpar o órgão genital.

“Se o adulto apresenta processos inflamatórios crônicos, é possível que desenvolva a fimose secundária”, relata o médico. Aí, é preciso cuidar da raiz do problema.

Fimose é diferente de aderência

Quando a criança não consegue descobrir a cabeça do pênis porque o prepúcio está “grudado” nela, estamos diante de uma aderência. Lembre-se: a fimose é provocada pelo excesso de pele.

Ao longo dos anos, a aderência se desfaz naturalmente. Mas não é fácil distinguir essas duas condições se você não possui olhos treinados. Se notar qualquer coisa suspeita, o ideal é procurar um médico.

Como é feito o diagnóstico da fimose

O especialista mais indicado para saber se você tem fimose é o urologista. Nas crianças, o próprio pediatra dá conta do recado.

“Um bom exame físico é suficiente para estabelecer se existe a condição ou não e determinar se ela é primária ou secundária”, informa o membro da SBU. É a partir dessa avaliação que o médico estabelece a estratégia para lidar com a fimose.

Continua após a publicidade

Tratamento para a fimose

Como dissemos, a evolução do tipo fisiológico ocorre de forma natural. “Eventualmente, o laceamento da pele demora um pouco mais. Aí, os pais devem fazer exercícios prepuciais e tentar expor a glande”, orienta Tibor.

Mas atenção: isso deve ser feito sob recomendação médica — e sem forçar— a partir dos 2 anos de idade. Do contrário, há o risco de lesões e machucados.

“Já na fimose secundária, lançamos mão de um tratamento tópico com cremes à base de corticoides”, ensina o urologista. Eles ajudam a fazer a pele deslizar sobre a cabeça do pênis. Normalmente, esse período dura de quatro a seis semanas. Se tudo der certo, o paciente fica livre do problema.

Apesar de ser eficaz, quando o método não funciona ou quando a fimose é mais severa, só resta fazer a cirurgia.

Como funciona a cirurgia de fimose e os cuidados pós-cirúrgicos

Ela é chamada de postectomia, mas é conhecida como circuncisão. Tibor explica que, quando realizada por motivos religiosos ou em rituais, costuma acontecer bem cedo na vida. “Mas, do ponto de vista formal, ela é indicada nos casos de fimose secundária e inflamação repetida”, aponta.

Na cirurgia, é retirado o prepúcio ou são feitos cortes que permitam que a glande seja exposta. O ideal é realizá-la antes da adolescência, quando normalmente se inicia a vida sexual.

Independentemente da idade, ela sempre exige anestesia.

“É um procedimento simples. Fica apenas um curativo, que pode ser retirado em um ou dois dias. O paciente já volta para casa no mesmo dia. Não tem muito cuidados específicos, a não ser na higiene local”, informa Tibor.

Nos bebês, a própria fralda serve como uma proteção aos atritos que aconteceriam em contato com a roupa.

“A sensibilidade na glande que surge nos primeiros dias logo desaparece e os adultos não vão sentir nenhum grande desconforto. Isso não trará prejuízos para uma futura atividade sexual”, tranquiliza o profissional.

Por outro lado, quando a fimose não é cuidada adequadamente, há risco de complicações, como dor durante o sexo, infecção urinária e maior propensão a contrair infecções sexualmente transmissíveis (ISTs).

Existe fimose feminina?

Apesar de ser extremamente rara, essa condição também pode atingir as mulheres. Ela acontece quando existe uma aderência entre os pequenos lábios da vagina. Se a fimose feminina não desaparece sozinha, o especialista receita cremes tópicos que auxiliam na separação.

Saiba como prevenir a fimose

A versão primária não tem prevenção, já que ocorre com todos os meninos. Para evitar a patológica, higienize o pênis direito, com água e sabão.

Continua após a publicidade

  • Bebês
  • Criança
  • Higiene pessoal
  • Saúde do Homem
  • Sexo

Источник: https://saude.abril.com.br/medicina/o-que-e-fimose/

Fimose: o que é, diagnóstico, causas, sintomas e cirurgia

Quando a fimose deve ser operada?
Fimose: o que é, causas, sintomas, tratamento, diagnóstico e prevenção

Fimose é o excesso de pele que recobre o pênis dificultando que a glande (cabeça do pênis) seja exposta. Esta condição é comum nos bebês meninos e tende a desaparecer com o passar do tempo, mas se na adolescência o problema persistir pode ser necessária uma intervenção cirúrgica simples para remoção da pele.

Em homens adultos, pode provocar, além do câncer de pênis, problemas no desempenho sexual. Nas crianças, é comum causar dor e inflamação. A cirurgia de fimose é fornecida gratuitamente pelo Sistema Único de Saúde (SUS), mas o tratamento adequado é feito caso a caso, conforme orientação médica.

Tipos de fimose:

A fimose pode ser classificada em dois tipos:

  • Fimose fisiológica: é a condição mais comum, que está presente desde o nascimento.
  • Fimose secundária: pode surgir em qualquer fase da vida e ocorre após um quadro de infecção ou traumatismo local, por exemplo.

O que causa a fimose?

A fimose infantil tem cura e nem sempre é necessária intervenção cirúrgica ou tratamento específico, tendo em vista que a condição pode se resolver naturalmente com o passar do tempo. Por isso, o pediatra deve avaliar caso a caso.

Quando um bebê do sexo masculino nasce é comum que ele apresente dobra de pele que protege o pênis, aderindo à extremidade do órgão, conhecida como glande (cabeça do pênis).

 Com seis meses de idade, 20% das crianças já apresentam o prepúcio retrátil. Aos três anos, cerca de 50% dos meninos já o retraem facilmente e aos 17 anos, o número chega a 99% dos casos.

Essa é a causa mais comum da fimosa.

Entretanto, a fimose também pode ser causada por episódios repetidos de infecção na pele ou na glande durante os primeiros anos de vida ou mesmo na adolescência e fase adulta. Esse quadro desencadeia uma piora da pele que envolve a glande, impossibilitando que ela seja exposta.

Como saber se é fimose (diagnóstico)?

O diagnóstico da fimose é feito apenas pelo exame físico, durante avaliação clínica pelo médico urulogista, que constata que a glande (cabeça do pênis) não consegue ser exposta quando a pele é retraída, ou seja, a única forma de confirmar a presença da fimose é tentar retrair a pele que recobre a glande do pênis manualmente.

Quando não é possível ver completamente a glande, isso representa a fimose. A primeira verificação da presença da fimose é feita no bebê recém-nascido, mas faz parte de todas as consultas com o pediatra até os 5 anos. 

No caso da fimose secundária, que pode surgir na adolescência ou a vida adulta, o próprio homem pode observar se existe alguma dificuldade na retração da pele, e se esta for verificada, recomenda-se uma consulta com um urologista para melhor avaliação e escolha do tratamento mais eficaz.

Qual o tratamento da fimose?

São indicados os seguintes tratamentos para fimose:

  • Pomadas à base de corticóides, que possuem propriedades anti-inflamatórias, analgésicas e antibióticas facilitando que a pele deslize sobre a glande.
  • Exercício de retração da fimose para meninos com mais de 5 anos. É um exercício para retração da pele do prepúcio sem forçar demais ou causar dor. Esse exercício deve ir soltando a pele pouco a pouco.

Cirurgia de fimose 

  • Cirurgia, indicada quando as outras formas de tratamento não surtem efeito. A cirurgia pode ser feita removendo completamente a camada de pele que recobre a glande do prepúcio ou realizando apenas um ou vários pequenos cortes na pele, que sejam suficientes para permitir que a pele impessa a retirada da glande.
  • Além da retirada dessa pele, o médico pode ainda realizar um corte que liberta o freio curto do pênis.

Um dos tratamentos cirúrgicos da fimose é a postectomia ou a posteoplastia. Ambas as intervenções são realizadas de forma simples e apresentam poucas chances de complicações. A cirurgia é indicada apenas em casos específicos, uma vez que o procedimento não é indicado para todos os casos.

Em pacientes adultos, a cirurgia pode ser realizada com anestesia local por meio do bloqueio peniano e, em crianças, o procedimento é melhor realizado sob anestesia geral. A cirurgia deve ser feita normalmente, antes da adolescência, porque a fimose pode interferir na qualidade da atividade sexual e, excepcionalmente, pode comprometer a fertilidade, dificultando a saída de sêmen.

Se a família optar pela circuncisão por motivos culturais ou religiosos, esta deve ser realizada preferencialmente no período neonatal.

Quais complicações a fimose pode causar?

Além de ser um dos principais fatores para o câncer de pênis, a fimose pode provocar outras complicações, se não tratada adequadamente, devido ao risco de dificuldade de limpeza na região, como:

  • aumento do risco de infecção urinária;
  • dor nas relações sexuais;
  • maior propensão a ter uma DST, HPV ou câncer de pênis;
  • maior risco de desenvolver uma parafimose, que é quando o prepúcio fica preso e não volta a recobrir a glande.

Qual a diferença entre a fimose e a aderência?

Existe um outro problema que por vezes é confundido com a fimose, que é a condição conhecida como aderência. A aderência é como se fosse uma «cola» na pele, que fica grudada na glande (cabeça do pênis). No entanto, a aderência cede naturalmente, o que dispensa intervenção cirúrgica ou outro tipo de tratamento.

Já a fimose ocorre quando a pele não está «colada» na glande, mas a aperta e impede que seja exposta. 

A fimose também atinge mulheres?

Apesar de ser um problema que acomete principalmente os homens, em casos raros as mulheres também podem ter. A fimosa femenina acontece quando há aderência entre os pequenos lábios da vagina, que tapam completamente a abertura vaginal.

É uma condição rara e que quando não se resolve naturalmente, o tratamento mais indicado para solução definitiva é aplicação de pomada com estrôgeno, receitada por médico especializada conforme cada caso.

Como prevenir a fimose?

Não é possível prevenir a fimose, uma vez que a formação da pele que encobre a cabeça do pênis (glande) ocorre ainda na vida fetal e varia conforme cada caso, baseado na genética de cada pessoa.

Источник: https://antigo.saude.gov.br/saude-de-a-z/fimose

Cirurgia de fimose (postectomia). Como se preparar para o antes e depois?

Quando a fimose deve ser operada?

Se você está se preparando para passar por uma cirurgia de fimose provavelmente tem muitas dúvidas a respeito da cirurgia e do pós operatório.

Cuidados com o curativo, tempo de recuperação, repouso das atividades sexuais e possíveis desconfortos para urinar são as dúvidas mais frequentes da maioria dos pacientes.

No conteúdo abaixo abordaremos essas dúvidas, assim como oferecemos um guia prático para tornar a sua recuperação mais rápida e tranquila.

Como deve ser o preparo para o dia da cirurgia?

Cirurgia para tratamento de fimose (ou postectomia) é considerado um procedimento de pequeno porte. Por esse motivo não é necessário uma internação no hospital antes do procedimento.

Seu médico recomendará um jejum mínimo de 8h antes da cirurgia.

Não esqueça de levar todos os seus exames para hospital no dia da cirurgia.

Não é estritamente necessário, mas é recomendável, que você tenha um acompanhante para levá-lo para casa após o procedimento.

Alta do hospital ocorre no mesmo dia e você deve manter o repouso, evitando caminhadas e atividades físicas leves por aproximadamente 48 a 72 horas.

Não há a necessidade de raspar os pelos genitais antes da cirurgia. Este procedimento será feito minutos antes do procedimento, quando você já estiver dormindo.

A cirurgia é feita com anestesia local ou geral?

Por ser considerado um procedimento de pequeno porte a cirurgia pode ser feita utilizando anestesia local.

Para aumentar o conforto do paciente, a maioria dos cirurgiões prefere associar a anestesia local a uma sedação leve para o paciente dormir.

Na prática, você será levado à sala de operação, o médico anestesista aplica uma medicação na veia para dormir. Somente após esta etapa a cirurgia de fato começa.

Você não sentirá a «picada» da agulha no momento da anestesia local.

Aplicação da anestesia local é feita na base do pênis, distribuindo o anestésico de forma circunferencial. Quando você acordar, ainda estará sob efeito da anestesia, que dura em média 4 a 5 h.

Antes do término do efeito da anestesia você começará a utilizar medicações antiinflamatórias e analgésicas, de forma a evitar janelas de desconforto após o procedimento.

O curativo

Após a retirada do prepúcio o urologista reconecta as bordas da pele, utilizando fios de sutura delicados, distribuídos 360° ao redor do pênis.

Cobrindo os pontos, uma gaze umedecida com pomada a base de antibióticos é aplicada. Acima desta camada, uma bandagem elástica é aplicada ao redor de todo o pênis, com objetivo de diminuir o inchaço e evitar ereções involuntárias.

Tanto a bandagem elástica quanto o curativo com gaze devem ser removidos após 24h da cirurgia.

Recomendamos que a retirada do curativo ocorra no banho. dessa forma você terá mais facilidade e menos desconforto.

Lavar a região operada com água e sabão é fundamental, assim como remover completamente os resíduos de pomada que ainda possam existir.

Seque completamente área dos pontos e siga as orientações de curativos (com pomadas e uso de antibióticos por via oral) conforme recomendação do seu urologista.

Caso ocorra uma ereção involuntária, é possível que os pontos se rompam?

Ereções involuntárias são evento normal e podem acontecer mesmo durante o sono. Pensando nisso, o cirurgião posiciona pontos de sutura de forma a permitir que haja a expansão da pele do pênis sem que ocorra a ruptura da área que foi operada.

Caso alguma ereção involuntária ocorra, a simples aplicação de bolsa com gelo na região genital é suficiente para reverter o processo.

Eu vou sentir desconforto para urinar após a cirurgia?

Não. A cirurgia para tratamento da fimose envolve apenas a manipulação da pele na parte externa do pênis. Dessa forma, não haverá a manipulação do canal que transporta a urina, a uretra.

Quanto tempo depois da cirurgia poderei retomar as atividades sexuais?

O tempo de recuperação varia de homem pra homem, mas como regra geral, um repouso de duas a três semanas é recomendável antes de retomar as atividades sexuais.

Alguns homens podem necessitar de um tempo maior e o tempo de recuperação geralmente é individualizado em cada caso.

É necessário retirar os pontos após a cirurgia?

Não. Nos dias atuais utilizamos pontos ultrafinos, com o material que provoca pouca reação inflamatória no tecido e é absorvido espontaneamente pelo organismo. Os pontos caem espontaneamente em aproximadamente duas semanas.

Após a eliminação completa dos pontos, seu urologista pode recomendar uma pomada cicatrizante para melhorar o efeito estético no pós-operatório.

Terei alguma alteração na sensibilidade do pênis após a cirurgia?

A maioria dos receptores de sensibilidade estão localizados na glande. Dessa forma, a remoção simples da pele do prepúcio não implica em alteração da sensibilidade no médio longo prazo.

Nas primeiras semanas do pós operatório, a região operada ainda pode estar inflamada e muito sensível.

A retomada do tecido ao seu estado normal é um processo de tempo variado em cada caso. Como regra geral, aproximadamente 60 dias após o procedimento a sensibilidade deve estar restabelecida.

Caso precise de mais informações ou tenha alguma dúvida, entre em contato conosco pelo site ou email

contato@clinicauroonco.com.br

www.clinicauroonco.com.br/fimose

Por: Dr. Bruno Benigno

Urologista – SP

CRM 126265

Источник: https://www.clinicauroonco.com.br/post/cirurgia-de-fimose-postectomia-como-se-preparar-para-o-antes-e-depois

Embarazo y niños
Deja una respuesta

;-) :| :x :twisted: :smile: :shock: :sad: :roll: :razz: :oops: :o :mrgreen: :lol: :idea: :grin: :evil: :cry: :cool: :arrow: :???: :?: :!: