Suplementos alimentares durante a gravidez

Vitaminas para grávidas

Suplementos alimentares durante a gravidez

Durante a gravidez é importante que as mulheres façam uso de alguns suplementos de vitaminas e minerais para garantir tanto a sua saúde como a do bebê durante esse período, prevenindo o desenvolvimento de anemia e perda óssea, assim como defeitos no tubo neural do bebê, ajudando na formação de DNA e no crescimento do feto.

Essas vitaminas devem ser tomadas de acordo com a orientação do médico obstetra ou do nutricionista, pois a quantidade depende de fatores como idade e presença de doenças como a anemia, e nem todas as mulheres precisam desse tipo de suplementação, no entanto o médico pode indicar como forma de prevenção.

Algumas gestantes podem apresentar deficiência em alguns nutrientes, o que pode acontecer como consequência de um déficit na ingestão dessas vitaminas ou minerais na dieta ou porque a quantidade no organismo não é suficiente para o crescimento do feto e do seu organismo. Dessa forma, a gestante pode necessitar de suplementos de: 

  • Ferro, cálcio, zinco e cobre;
  • Vitaminas C, D, B6, B12 e ácido fólico, principalmente;
  • Ácidos graxos;
  • Ômega 3.

A suplementação de ácido fólico é a mais recomendada pelo médico ou nutricionista pelo fato dessa vitamina ser importante no desenvolvimento do bebê, prevenindo lesões no tubo neural e doenças congênitas.

Assim, o nutricionista pode recomendar uma dieta rica em alimentos que contenham ácido fólico, como espinafre e feijão-preto, por exemplo, e, caso necessário, fazer a suplementação.

Saiba como tomar o ácido fólico na gravidez.

O tipo e a quantidade de vitaminas e minerais a serem repostos depende dos resultados dos exames de sangue que as grávidas devem fazer durante a gestação, da idade, do número de bebês que espera, e da presença de doenças como diabetes e osteoporose. Alguns exemplos de suplementos para a gravidez são Natalben Supra, Centrum Prenatal, Natele e Materna.

Porquê tomar vitaminas sem orientação é perigoso?

Tomar vitaminas sem orientação do médico ou do nutricionista é perigoso porque o excesso de alguns nutrientes podem causar problemas para o bebê e para a mãe. O excesso de vitamina A, por exemplo, pode causar mal formações do feto, enquanto o excesso de vitamina C aumenta o risco de cálculos renais.

Assim, é importante que a suplementação seja feita de acordo com a recomendação do médico ou do nutricionista de acordo com o resultado dos exames da mulher.

Veja quando o uso de suplementos de vitamina C e E é desaconselhado na gravidez.

A suplementação vitamínica engorda?

Os suplementos de vitamina para grávidas não engordam, servem para nutrir e complementar uma dieta saudável que deve ser seguida durante a gravidez.

Nos casos em que há aumento de peso acima do desejado para o período gestacional, o médico poderá orientar a prática de exercícios físicos e uma dieta com menor concentração de gordura, mas mantendo a suplementação de nutrientes. Veja o que se deve comer durante a gravidez.

Veja no vídeo a seguir algumas dicas sobre o que comer para não engordar na gravidez:

Vitaminas para grávida com anemia

No caso das mulheres grávidas com anemia, normalmente é indicado o uso de suplementos de ferro com o objetivo de aumentar a capacidade das hemácias em transportar o ferro.

A diminuição dos níveis de ferro no sangue pode ser observada em qualquer fase da gravidez, principalmente se a grávida já tiver propensão a ter anemia, e deve ser tratada para não correr riscos de partos prematuros, abortos ou diminuição do crescimento do bebê.

A anemia na gravidez é comum porque o organismo precisa produzir mais sangue, e por isso todas as grávidas devem ter o cuidado de consumir uma dieta rica em ferro durante toda a gravidez.

Reposição natural de vitaminas

Apesar dos suplementos de vitaminas serem mais utilizados durante a gestação, pois se trata de uma fonte rápida de vitaminas, é possível ter os mesmos resultados por meio da alimentação. Os sucos e vitaminas para grávidas podem ser feitos com frutas e legumes ricos em vitaminas A, C, E, ácido fólico e ferro. As vitaminas e sucos para grávidas podem incluir:

  • Frutas cítricas como laranja, abacaxi e acerola, pois são ricas em vitamina C, o que aumenta a absorção de ferro no intestino quando tomadas junto ao almoço e ao jantar;
  • Legumes amarelos e laranjas, como cenoura e abóbora, pois são ricos em vitamina A;
  • Legumes verde escuro como couve e agrião, pois são ricas em ácido fólico, que ajuda a combater a anemia e a desenvolver o sistema nervoso do feto;
  • Carnes e aves, que são fontes de ferro, importante contra a anemia.

É importante lembrar que alimentos ricos em cálcio, como leite e derivados, não devem ser tomados junto com o suplemento de ferro ou nas refeições principais, pois podem prejudicar a absorção total do ferro no intestino.

Источник: https://www.tuasaude.com/vitaminas-para-gravidas/

Alimentos e suplementos que toda grávida precisa conhecer

Suplementos alimentares durante a gravidez

Em um mundo onde a informação está a um clique de distância, impressiona a quantidade de mulheres grávidas que não se alimentam adequadamente para garantir a saúde do bebê e a própria.

Um estudo publicado no “Journal of Family and Reproductive Health” avaliou os hábitos alimentares de 485 mulheres grávidas.

Os pesquisadores descobriram que apenas 1,9% delas atendiam às recomendações alimentares de frutas e vegetais para uma gravidez saudável.

Ainda de acordo com os pesquisadores, as grávidas sabem que a dieta é importante para o bom desenvolvimento do bebê, mas elas não têm certeza do que exatamente deve ser ingerido na dieta.

Estudos da “Foundation of Nutrition”, em Milão, na Itália, são categóricos: o consumo de frutas e vegetais pela mãe é absolutamente crucial para o bom desenvolvimento dos bebês.

Seguir uma dieta que inclua um equilíbrio de alimentos ricos em proteínas, gorduras saudáveis e carboidratos complexos pode garantir que o bebê cresça forte e saudável.

Além disso, as mulheres grávidas precisam de uma quantidade maior de certos nutrientes, a fim de evitar anormalidades de desenvolvimento e complicações na gravidez.

Mas por que as grávidas devem comer de forma diferente?

Porque o bebê depende dos alimentos que as mães comem para receber suas calorias, proteínas, vitaminas, minerais e líquidos.

Veja como a alimentação influencia no desenvolvimento do feto:

1 – Desenvolvimento de órgãos:

Crescimento do coração, cérebro, pulmões, fígado, rins, estômago, intestinos e sistema nervoso do bebê. Todos esses órgãos e mais dependem de nutrientes como a vitamina D e cálcio para possam se desenvolver adequadamente;

2 – Desenvolvimento do cérebro:

Durante a gravidez, especialmente no último trimestre, o cérebro do bebê continuará a se desenvolver. Isso requer uma ingestão adequada de proteínas, ácidos graxos ômega 3 e outros nutrientes vitais.

3 – Peso ao nascer:

Poucas calorias ou restrição de nutrientes podem levar ao baixo peso ao nascer, afetando a saúde do bebê após o parto.

Por outro lado, a ingestão de muitas calorias vazias pode fazer com que seu bebê se torne muito grande, causando problemas no parto e uma maior chance de cesariana.

Pesquisas mostram que o ganho de peso excessivo em mães durante a gravidez (mais de 35 quilos) resulta em maior peso ao nascer do bebê.

Esta é a conclusão de estudos do Departamento de Ginecologia e Obstetrícia do Hospital Metodista de Nova Iorque.

4 – Saúde mental:

Pesquisas mostram que a dieta materna e a nutrição pós-natal podem afetar a saúde mental da criança. Em um estudo publicado no Jornal da Academia Americana de Psiquiatria Infantil e Adolescente, a maior ingestão de alimentos não saudáveis durante a gravidez previu problemas emocionais e comportamentais entre as crianças.

5 – Hábitos alimentares:

De acordo com uma pesquisa publicada no “The Journal of Law, Medicine and Ethics”, as escolhas alimentares durante a gravidez preparam o corpo do bebê para a aceitação de alimentos sólidos após o nascimento.

6 – Saúde a longo prazo:

Níveis inadequados de nutrientes maternos durante o primeiro trimestre de gestação da mãe, quando o embrião e a placenta passam por um processo de diferenciação e divisão celular, podem predispor o bebê a doenças crônicas na idade adulta, como diabetes, hipertensão, acidente vascular cerebral e doença coronariana.  Este foi a conclusão de uma pesquisa publicada no “Journal of Perinatal Education”.

Além disso, a maneira como a mulher come durante a gravidez afeta sua saúde e bem-estar.

Uma dieta pobre durante a gravidez pode levar a problemas digestivos, fadiga, azia, inchaço e cãibras nas pernas.

Já uma dieta saudável ajudará a prevenir o diabetes gestacional e o parto prematuro. Além disso, permitirá que a mãe se recupere mais facilmente após o parto.

E mais: pesquisas da Universidade do Colorado (EUA), mostram que certas deficiências de micronutrientes podem contribuir para o desenvolvimento da depressão pós-parto, especialmente baixos níveis de vitamina D, zinco e selênio.

1 – Salmão selvagem

A ingestão de ácidos graxos ômega-3, EPA e DHA, é de vital importância para o bom desenvolvimento neurológico e físico do feto.

O salmão selvagem contém estes ômega-3 vitais e muitos outros nutrientes importantes para a gravidez, incluindo vitamina D3, iodo, colina, vitaminas do complexo B, selênio e proteína. Saiba mais.

2 – Nozes e sementes

Nozes contêm proteínas, fibras, cálcio, magnésio, ferro, ácidos graxos ômega 3, folato e cobre.

As sementes também são ótimas fontes de proteína e fibra, que ajudam nas funções intestinais e do trato digestivo durante a gravidez.

As sementes de linho e as sementes de chia são excelentes fontes de ácidos graxos ômega 3 que não estão presentes nos peixes. E mais: estes alimentos com ômega 3 irão beneficiar sua pele, cabelo e unhas durante a gravidez. Saiba mais.

3 – Grãos

Grãos integrais como aveia sem glúten, quinoa, arroz integral e cevada fornecem carboidratos complexos que são necessários durante a gravidez.

Estes grãos também contêm vitaminas do complexo B, que são vitais para o desenvolvimento do bebê e minerais como zinco, selênio e cromo.

4 – Iogurte grego e kefir

O iogurte grego contém probióticos, proteínas, vitamina D3, ácidos graxos ômega 3, cálcio e vitamina K2.

O kefir é outra forma de laticínio cultivado que contém boas bactérias, essenciais para a digestão e saúde em geral.

5 – Legumes frescos (especialmente folhas verdes)

Legumes são ricos em nutrientes e fibras e têm poucos carboidratos e calorias. Os vegetais de folhas verdes são especialmente benéficos porque são ricos em ferro, cálcio e vitamina K – três nutrientes importantes para mulheres grávidas. Você pode optar por espinafre, couve, rúcula, alface, couve e nabo nas suas refeições.

O brócolis é outro vegetal benéfico porque contém fibras, vitamina C, manganês e magnésio

6 – Frutas frescas

Ao comer frutas frescas durante a gravidez, você estará ingerindo nutrientes como vitamina K, vitamina C, vitamina A vitamina E e fibras.

Entre as frutas com estas substâncias estão: mirtilo, morango, amora, framboesa, cereja, manga, mamão, pêssego, maçã, pera, tangerina e abacaxi. Você pode adicioná-las ao iogurte ou aveia no café da manhã, fazer um smoothie ou ingeri-las como lanche entre as refeições.

7 – Ovos

Os ovos, especificamente a gema, são uma excelente fonte de colina, o que é muito importante para o desenvolvimento fetal.

Pesquisas  da Universidade da Carolina do Norte (EUA), concluíram: mulheres que ingerem dietas com menor teor de colina têm um risco significativamente maior de ter um bebê com defeito no tubo neural do que mulheres que ingerem dietas com maior teor desta substância.  

Ovos orgânicos também contêm gorduras saudáveis, vitamina E, betacaroteno e iodo. Comer alimentos ricos em iodo durante a gravidez também é muito importante pois este mineral desempenha um papel importante no crescimento saudável e no desenvolvimento cerebral dos bebês.

8 – Carne

Os aminoácidos da proteína são essenciais para o desenvolvimento do bebê, por isso, comer carne de boa qualidade é muito importante.

O ideal é comer pelo menos três porções, ou 75 gramas de proteína por dia. As melhores opções são peito de frango orgânico, peru orgânico e carne com animais alimentados com capim.

9 – Lentilhas

Lentilhas são uma excelente fonte de folato, que desempenha um papel crucial no desenvolvimento fetal. Estudos mostram que consumir alimentos com alto teor de folato durante a gravidez reduz o risco de o feto desenvolver defeitos cardiovasculares e do trato urinário, defeitos do tubo neural e fissura labial. Esses estudos foram publicados no “Journal of Pedriatic Neurosciences”.

E quanto aos suplementos?

Antes de comprar um suplemento, verifique se a empresa é idônea, se os produtos são livres de metais tóxicos e, em caso dos óleos, se eles foram extraídos pelo modo “prensado a frio”.

Veja o guia que preparamos para a escolha de um bom suplemento e abaixo os principais nutrientes que as grávidas podem suplementar:

Ômega 3:

A complementação da dieta das mulheres grávidas com EPA e DHA, pode beneficiar o desenvolvimento visual e cognitivo no bebê, além disso reduzir o risco de alergias. Saiba mais.

Cálcio:

O cálcio é essencial para o desenvolvimento fetal e para a construção dos ossos do bebê. A ingestão correta de cálcio durante a gravidez reduz o risco de parto prematuro, baixo peso ao nascer, perda óssea e pressão alta.

Vitamina D3:

A deficiência de vitamina D3 é muito comum em mulheres grávidas e está associada a um risco aumentado de diabetes gestacional e pré-eclâmpsia.

Os riscos de baixos níveis de vitamina D3 para o bebê incluem baixo peso ao nascer, comprometimento do desenvolvimento do esqueleto, infecções respiratórias e doenças alérgicas nos primeiros anos de vida.

Ferro:

A suplementação de ferro é frequentemente recomendada durante a gravidez. Ele desempenha um papel essencial na transferência de oxigênio para os tecidos;

Folato (ácido fólico):

O folato ajuda a prevenir defeitos do tubo neural e anomalias graves do cérebro e da medula espinhal.

Agora que você já sabe quais nutrientes são bons para as grávidas, passe esse conteúdo para suas amigas. Assim elas também poderão se beneficiar, afinal compartilhar saúde é Vital!

https://www.ncbi.nlm.nih.gov/pmc/articles/PMC4064785/

Источник: https://vitalatman.com.br/blog/alimentos-e-suplementos-que-toda-gravida-precisa-conhecer/

Gravidez – Alimentação

Suplementos alimentares durante a gravidez

Durante a gravidez é normal haver um aumento de peso na ordem dos 11 a 13 kg.

Dependendo de pessoa para pessoa, no fim da gravidez 3 kg serão atribuídos ao bebé, 2,5 kg à retenção de líquidos, aumento do útero e do peito, 1,5 a 2 kg ao líquido amniótico, 1,5 a 2 kg ao aumento do volume de sangue e 0,5 kg à placenta. Para um aumento de peso saudável e desenvolvimento normal de um bebé é importante fazer uma alimentação completa, equilibrada e variada.

Primeiro trimestre

Durante estes primeiros três meses notará algumas alterações corporais e alguns sintomas típicos da gravidez como as náuseas e enjoos. As náuseas ocorrem sobretudo devido às alterações hormonais e a uma maior sensibilidade aos odores.

Para aliviar as náuseas deve:

  • Realizar refeições pequenas e mais frequentes ao longo do dia (5 a 7 refeições/dia).
  • Escolher alimentos com baixo teor em gordura e de fácil digestão, evitando alimentos fritos e muito condimentados.
  • Beber água em abundância, entre as refeições.
  • Comer em ambiente calmo e descontraído, mastigando bem os alimentos.

Para evitar o risco de intoxicação alimentar e contaminação com possíveis patogénicos, entre os quais o parasita responsável pela toxoplasmose, deve:

  • Evitar alimentos crus ou mal cozinhados (marisco cru, carne crua ou mal passada, ovos crus ou mal cozinhados, queijos moles ou patés, enchidos e carnes frias).
  • Conservar bem os alimentos: os restos de comida não devem estar fora do frigorífico durante mais de duas horas.
  • Lavar bem os alimentos que vai consumir crus (saladas, legumes e fruta).

As melhores fontes naturais para as vitaminas de que precisa:

  • Vitamina C: pimento vermelho, batata, salsa, brócolos, grelos, couve, ervilhas, tomate, cenoura, feijão, milho, morangos, laranja, tangerinas, limão, melão.
  • Vitamina B12: peixe, iogurtes, queijo, leite, manteiga, gérmen de trigo, ovos, cereais enriquecidos.
  • Ácido fólico: lentilhas, cereais integrais, feijão e outras plantas leguminosas, vegetais de folha verde – espinafres, espargos, brócolos -, sementes de girassol, fígado, citrinos, leite, ovo.
  • Ferro: leguminosas, frutos secos, saladas, vegetais de folha verde e peixe.
  • Cálcio: vegetais de folha verde, iogurtes, queijo, leite, manteiga, uvas passas, amêndoas.
  • Iodo: peixe, marisco e algas.
  • Magnésio: vegetais de folha verde, nozes e tâmaras.

Sugestão para um plano alimentar saudável no 1.º trimestre

  • 8h – pequeno-almoço: 40 g de cereais muesli + fruta fresca (ananás, banana ou frutos vermelhos) + 1 iogurte natural bio + 1 colher de sobremesa de sementes de chia
  • 11h – meio da manhã: 1 barra de cereais + 1 peça de fruta
  • 13h – almoço: 2 conchas de sopa de alface + hambúrguer de soja com lentilhas no pão + 1 peça de fruta
  • 16h – 1.º lanche da tarde: 1 yofu de soja + 1 colher de sopa de sementes de linhaça + 1 colher de chá de sementes de sésamo
  • 18h – 2.º lanche da tarde: 1 pêssego médio + 1 tosta integral
  • 20h – jantar: 2 conchas de sopa de legumes + massa chinesa salteada com cogumelos
  • 22h – ceia: 200 ml de infusão de camomila + 2 bolachas de aveia

Segundo trimestre

Durante o segundo trimestre haverá um aumento mais significativo das necessidades calóricas da mãe, mas os sintomas mais desconfortáveis irão atenuar-se e poderá realmente desfrutar do seu estado.

Deverá ter atenção ao aumento do peso corporal, que deve ser adequado ao peso inicial antes de engravidar. Poderá sentir obstipação e flatulência.

O efeito das hormonas na gravidez relaxa os intestinos, fazendo com que funcionem de um modo mais lento.

Para prevenir a obstipação deve:

  • Consumir alimentos com alto teor em fibra (verduras, cereais integrais). 
  • Ingerir água em abundância. 
  • Manter uma atividade física adequada.

Sugestão para um plano alimentar saudável no 2.º trimestre

  • 8h – pequeno-almoço: 2 fatias de pão pema + creme toffuti para barrar + 1 infusão de menta + fruta fresca (ananás, banana ou outra)
  • 11h – meio da manhã: 1 barra de cereais + 1 puré de fruta + 1 infusão de rosa
  • 13h – almoço: 2 conchas de creme de alho-francês + salada de batata + 1 peça de fruta
  • 16h – 1.º lanche da tarde: 200 ml de bebida de soja natural bio + 1 barrinha de sementes
  • 18h – 2.º lanche da tarde: 6 morangos + 4 galetes de milho
  • 20h – jantar: 2 conchas de sopa de ervas frescas picadas + salmão no forno
  • 22h – ceia: 200 ml de infusão de limão + 2 bolachas sem açúcar de laranja

Terceiro trimestre

O aparecimento de uma sensação de ardor ou queimadura na parte superior do abdómen, é um problema comum sobretudo, nos últimos meses, devido à compressão do estômago pelo útero e devido ao efeito das hormonas da gravidez, favorecendo a passagem do suco gástrico para o esófago, com a consequente irritação da mucosa.

Para atenuar os sintomas da azia deve:

  • Ingerir pequenas porções, mastigando bem os alimentos.
  • Evitar posições que favoreçam a compressão do estômago.
  • Evitar deitar-se logo após as refeições.

Sugestão para um plano alimentar saudável no 3.º trimestre

  • 8h – pequeno-almoço: 1 pão rústico com sementes de girassol e linho + creme de sésamo para barrar + 1 iogurte natural bio + 1 peça de fruta
  • 11h – meio da manhã: 2 tostas crocantes com trigo espelta e sementes + 2 fatias de queijo gouda
  • 13h – almoço: 3 conchas de creme de cenoura + massa chinesa salteada com cogumelos + 1 peça de fruta
  • 16h – 1.º lanche da tarde: 1 yofu de soja + 1 colher de sopa de sementes de linhaça + 1 colher de chá de sementes de sésamo
  • 18h – 2.º lanche da tarde: 1 maçã média + 1 barra de sementes de abóbora + 200 ml de bebida de soja
  • 20h – jantar: 3 conchas de sopa de brócolos + tortilha de arroz
  • 22h – ceia: 200ml de infusão de funcho + 3 tostas de sésamo com compota sem adição de açúcar

Nutrientes essenciais durante a gravidez

Nutriente Dose Diária Recomendada
Ferro27 mg
Ácido fólico600 mcg
Iodo150-200 mg
Cálcio1200 mg
Colina450 mg
Crómio30 mcg
Potássio4700 mg
Cobre1 mg
Magnésio350 mg
Manganês2 mg
Fósforo700 mg
Ácido pantoténico6 mg
Zinco11 mg
Vitamina A770 mcg
Vitamina D5 mcg
Vitamina C85 mg
Vitamina B61.9 mg

De forma a garantir o aporte necessário de todos estes nutrientes, recomenda-se um suplemento alimentar adequado e completo.

Источник: https://www.celeiro.pt/cuide-de-si/temas-de-saude/gravidez-alimentacao

Suplementos Alimentares na Gravidez

Suplementos alimentares durante a gravidez
Antes de EngravidarCuidados na GravidezNutrição

A suplementaçãona gravidez define-se como a utilização de doses previamente definidasde micronutrientes, geralmente sob a forma de comprimidos, em pessoas quepossuem o diagnóstico de deficiência nutricional, ou que se encontram emdeterminados grupos de risco (como é o caso das grávidas). Os efeitos dedeficiências nutricionais poderão levar a vários problemas de saúde, tanto paraa mãe, como para o bebé, e com a suplementação na gravidez a probabilidade de esses problemas desaúde ocorrerem diminui.

Porquê tomar suplementos alimentares?

Existem vários problemas de saúde que podem afetar a grávida e o bebé, no decorrer da gravidez, por défices nutricionais, nomeadamente de ácido fólico, iodo, ferro, vitamina A, cálcio ou zinco.

Atualmente, a Direção Geral de Saúde recomenda apenas a suplementação de ácido fólico, iodo e ferro a todas as grávidas, sendo que nos casos em que forem detetados défices de outros nutrientes, as grávidas devem receber o suplemento correspondente.

Ácidofólico

O folato ou ácido fólico (vitamina B9) desempenha umessencial na multiplicação celular e no crescimento dos tecidos. O défice deácido fólico está associado a defeitos do tubo neural no bebé, nascimentoprematuro, deslocamento da placenta, morte neonatal, hemorragia pós-parto eatraso da maturação do sistema nervoso. 

Idealmente, a ingestão de suplementos alimentares deve começar trêsmeses antes da gravidez e mantida até às 12 semanas de gestação. O ácido fólicopode também ser obtido através da alimentação, nomeadamente através deleveduras, trigo, carne bovina, os vegetais de folha verde escura (espinafres,brócolos, ervilhas, as leguminosas, soja, amêndoas e amendoins).

Iodo

O iodo é um dos componentes essenciais das hormonastiroideias e também de extrema importância para o desenvolvimento do cérebro. Oseu défice poderá levar a atraso cognitivo e mental do bebé.

O iodo pode ser encontrado em vários alimentos, noentanto, a sua concentração nestes alimentos depende de vários fatores. Nomeadamente,do teor de iodo nos solos e na água utilizada para a rega, da utilização dedesinfetantes iodados e de fertilizantes. Os alimentos que contêm mais iodo nasua composição são: algas, peixe, leite e seus derivados e alguns produtoshortícolas.

Em mulheres com história pessoal de patologia da tiroide, a utilização do iodo durante a gravidez não é recomendada. Assim, a ingestão de iodo deve advir de uma alimentação variada, consumindo os alimentos que já referimos e também, a substituição do sal comum por sal iodado.

Ferro

O ferro é um componente essencial para a produção deglóbulos vermelhos e o seu défice está habitualmente associado a anemia pordeficiência de ferro (atinge cerca de 30% das mulheres grávidas com baixorendimento).

Este défice aumenta o risco de baixo peso ao nascer, parto prematuro e mortalidade neonatal. São exemplos de alimentos ricos em ferro: fígado, costeletas de porco, carnes vermelhas, gema de ovo, salsa, grãos integrais, nozes, castanhas e feijão.

VitaminaA

A vitamina A é um nutriente essencial para ofuncionamento normal do sistema visual e também contribui para uma boa funçãoimunológica e da reprodução. Alguns estudos referem a possibilidade de ocorrercegueira noturna em mais de 5% das mulheres grávidas.

No entanto, tal parece ser mais prevalente nospaíses em desenvolvimento, e pode estar associado à existência de fatores derisco favorecidos pela privação económica e social, tais como uma alimentaçãopobre, inacesso aos cuidados de saúde ou condições habitacionais degradadas.

Existem fontes alimentares de vitamina A, quegarantem o aporte necessário para a grávida, tais como: fígado, ovos e produtoslácteos, frutas e verduras.

Biotina (vitamina B7)

É essencial para a produção de energia, contribuindo para o normal funcionamento do sistema nervoso e na formação da pele, unhas e cabelo. Com uma dieta equilibrada, esta vitamina raramente necessita de suplementação. Podes encontrá-la nos seguintes alimentos: gema de ovo, vegetais frescos, leite, carne e levedura.

VitaminaB12

Nalguns padrões alimentares vegetarianos,nomeadamente nas dietas Vegan, poderá haver um défice de vitamina B12, pelo queestá recomendada a ingestão de alimentos ricos nesta vitamina, tais como: peixes,carnes, ovos e laticínios.

Ómega 3 e 6

A alimentação da grávida deve ser rica e variada durante toda a gravidez, incluindo o consumo de alimentos ricos em ácidos gordos Ómega 3 e 6, tais como o salmão, o atum, a sardinha e os frutos secos e cereais (sementes de linhaça e chia). Estes nutrientes contribuem para o desenvolvimento cardiovascular e cerebral do bebé e para uma diminuição do risco de parto pré-termo, especialmente em gravidezes de risco.

Cálcio

De uma forma geral, para mulheres, as doses diárias recomendadas de cálcio são de 1300mg (

Источник: https://www.doutora-cegonha.com/cuidados-na-gravidez/suplementos-alimentares-gravidez/

Embarazo y niños
Deja una respuesta

;-) :| :x :twisted: :smile: :shock: :sad: :roll: :razz: :oops: :o :mrgreen: :lol: :idea: :grin: :evil: :cry: :cool: :arrow: :???: :?: :!: