Vou ser pai … e agora?

Vou Ser Pai. E Agora?

Vou ser pai ... e agora?

20 Dias de Licença Paternidade

Papai de primeira viagem? Cheio de dúvidas e incertezas? Calma, nosso curso 100% online de Paternidade Responsável vai te ensinar de forma simples e prática os principais aspectos

da paternidade e como ser o melhor pai do mundo para seu filho!

  • Saiba mais
  • Assistir prévia

Muitos homens acreditam que não precisam de orientações sobre como ser pai e que apenas as referências próximas, como os próprios pais, tios e avós são suficientes. Mas a paternidade responsável vai além do nosso conhecimento natural.

A função paterna vai muito além de «ajudar» a mãe a cuidar dos filhos. A participação ativa fortalece o filho para vida individual e social, além de promover segurança, autoestima, independência e estabilidade emocional.

Você, pai, é exemplo a ser seguido e é referência quanto à integridade, ética e valores.

[Módulo 2.1] A vida pré parto

Indicado para o pai que pretende:

  • Participar da educação e da formação do caráter do seu filho;
  • Criar vínculos e memórias afetivas que irão durar para sempre;
  • Não ser um pai que é só ajudante de mãe e pagador de contas;
  • Dedicar tempo de qualidade à relação com o seu filho;
  • Quer planejar melhor o futuro financeiro da família após a chegada do filho;
  • Entender melhor o comportamento da mulher durante a gravidez;
  • Ser prestigiado como um ótimo pai pela parceira, amigos e familiares;
  • Estender a licença paternidade de 5 para 20 dias;

De pai para pai

O fundador e instrutor do curso é Fernando Dias. Pai de 2 filhas, Duda e Gabi, Administrador de Empresas, com pós-graduação em Previdência Complementar pela PUC/MG e em Gestão de Projetos pela Fundação Dom Cabral. Atualmente é executivo no segmento de previdência privada.

Fernando é palestrante sobre o tema em grandes empresas e seminários e autor do livro “Vou ser pai. E agora?”.Através de vídeo-aulas, Fernando bate um papo de homem para homem, abordando os aspectos comportamentais dessa nova fase da vida.

Uma pessoa comum, compartilhando sua experiência como pai, com conteúdo didático, de linguagem simples e direta, que conforta, antecipa e prepara o homem para paternidade.

Fornecer o conhecimento, ferramentas, dicas e inspirações para você ser o melhor pai do mundo para seu filho.

Fernando Dias, Instrutor do Curso.

Nosso curso é um manual completo da paternidade. Feito para solucionar todas dúvidas e incertezas que os papais de primeira viagem têm.

Aqui você irá conhecer os principais aspectos que envolvem a chegada de um bebê, desde a gravidez, passando pelo parto e pelos cuidados necessários com o seu filho até os primeiros anos de vida.

Já ajudamos milhares de papais e agora chegou a sua vez de, JUNTO com a gente, criar vínculos e memórias afetivas com seu filho que irão durar para sempre!

Mão na massa, papai!

A parte prática e técnica do curso fica a cargo da enfermeira Vanessa Machado, enfermeira e Especialista em Saúde Materno Infantil e Pós-graduada em Enfermagem em Neonatologia e Pediatria.
Troca de fraldas, banho, umbigo, e todos os cuidados necessários com o recém-nascidos são passados de forma fácil e amigável para os novos papais.

O Curso é 100% online e você poderá ver e rever as aulas quantas vezes quiser, pelo celular, tablet ou computador.

Além de te orientar em todos os aspectos da paternidade, nosso curso é válido para extensão da licença paternidade de 5 para 20 dias, conforme lei 16.257/16. *Tal extensão é permitida para empregados que trabalham em empresas cadastradas no programa Empresa Cidadã do Governo Federal.

Ao final do nosso curso você receberá o certificado de participação em curso de Paternidade Responsável exigido pela referida lei.

Basta apresentar o certificado no RH da sua empresa durante a gravidez, ou em até dois dias úteis após o nascimento do seu filho para solicitar a extensão da licença paternidade e desfrutar alguns dias a mais ao lado do bebê que acabou de chegar.

A média de satisfação apontada pelos mais 3.200 pais que já fizeram o curso é 5 estrelas. Por isso, eu garanto: você fará um dos melhores investimentos da sua vida ao se matricular no curso.

Se em até sete dias, você achar que o conteúdo do curso não te agregou em nada ou por qualquer outro motivo você não goste do curso, envie um e-mail para o nosso suporte pra ter o reembolso do valor integral do seu investimento, sem perguntas, sem ressentimentos… simples assim.

Depoimentos dos nossos alunos

Como sou pai de primeira viagem o conteúdo foi muito esclarecedor!!! Entendo que não exista uma fórmula pronta para educação das crianças mas aprender com experiências é sempre muito enriquecedor. Parabéns pelo conteúdo.

Excelente material… Parabéns pelos conteúdos abordados, pontos essenciais na vida recente dos pais!!!

Parabéns pelo curso. Achei muito relevante o conteúdo e a comunicação foi excelente! Tanto a parte técnica como a empírica foram bem completas.

Fantástico muito interessante, conteúdo muito rico mesmo sendo pai de uma criança de seis anos aprendi muitas coisas que posso melhorar com meu segundo filho. Fácil de compreender , muito bem elaborado e explicado de forma clara e objetiva.

Excelente curso. Fiz para ter direito a 20 dias a mais de licença. Mas foi de muita importante nos cuidados com.minha segue da filha que acaba de nascer.

Sou pai do Davi que esta com 9 anos, e estamos a espera do Arthur. O curso foi extremamente didático, relembrei tudo que era preciso… Excelente curso… recomendo.

O curso é esclarecedor e com dicas importantes em todas as fases da vida de seu filho. desde a gravidez até o momento de seu nascimento e os primeiros meses de vida. De qualquer forma, como é o primeiro, sempre da um frio na barriga. Obrigado pelo curso e pelas importantes dicas neste momento de muita mudança.

Para quem serve esse curso?

O curso é destinado, principalmente, para pais de primeira viagem. O curso é uma espécie de curso de gestante para homens. Uma conversa de homem pra homem, de pai pra pai, sobre vários aspectos da paternidade. Nosso curso também oferece uma parte prática com uma enfermeira, que ensina os cuidados básicos e necessários com o bebê nos primeiros meses de vida.

O curso é válido apenas para quem precisa do certificado?

Não. Nosso curso é credenciado para extensão da licença paternidade de 5 para 20 dias, mas se você não tem esse direito na sua empresa, não deixe de fazer o curso por isso, pois o conteúdo é muito rico e será de grande valia para sua vida.

Qual o conteúdo do curso?

O curso aborda os principais aspectos que envolvem a vida do casal grávido, passando pela chegada do bebê e os primeiros meses de vida. Numa linguagem fácil, amigável e de pai para pai, aborda temas como: quanto custa ter um filho, sexo na gravidez, relacionamento com avós, visita ao recém-nascido, troca de fralda, banho e uma série de dicas de quem vive ativamente a paternidade.

Já sou pai, o curso vale para mim?

As informações são mais direcionadas ao pai de primeira viagem. Mas como o curso é conduzido pela ótica de um pai, sempre recebemos relatos positivos de pais que, mesmo não sendo pai pela primeira vez, aproveitaram bastante o conteúdo abordado.

E se eu não gostar do curso?

Se você não gostar do curso, nós devolvemos o seu dinheiro em até 7 dias. Nosso compromisso é com a paternidade e fazer com o que esse momento seja o mais mágico e transformador possível para você e sua família.

O curso é válido para extensão da licença na minha empresa?

A licença paternidade estendida, de 5 para 20 dias, é válida para empregados de empresas cadastradas no programa “empresa cidadã” do Governo Federal. Nosso curso fornece certificado válido para todas essas empresas. Mais de 3mil pais de várias empresas do país já fizeram nosso curso e garantiram o aumento na licença paternidade.

Em quanto tempo recebo meu certificado?

Nosso curso tem duração de 3 horas. Ao final, você fará uma prova de 10 perguntas e o certificado é emitido em seguida. Você pode salva-lo em PDF e encaminhar ao responsável na sua empresa

E se eu for reprovado na prova?

Nossa prova é muito simples, sem pegadinhas. Ela aborda os temas apresentados no curso e é uma forma de garantirmos que você realmente assistiu e assimilou os principais conteúdos abordados.

Já formamos mais de 5000 melhores pais do mundo

Compra 100% Segura
em ambiente certificado

Sua satisfação ou seu
investimento de volta em até 7 dias

Pagamento Facilitado
no Cartão ou Boleto

Se em até sete dias, você achar que o conteúdo do curso não lhe agregou em nada ou por qualquer outro motivo você não goste do curso, eu faço o reembolso do valor integral do seu investimento, sem perguntas, sem ressentimentos… simples assim: eu devolvo o dinheiro investido e pronto.

Источник: https://www.vouserpai.com.br/

Vou ser pai. E aí, o que eu faço agora?!

Vou ser pai ... e agora?

Vou ser pai. Pai da Maitê. A verdade é que nunca imaginei o tamanho do impacto que essa frase teria para a minha vida. Aliás, tá aí o primeiro impacto. A partir de agora, não existe mais “a minha vida”, aqueles dois tracinhos vermelhos que apareceram no teste de gravidez mudaram até o sujeito da frase. Agora meus amigos, é tudo no plural!

Mas antes de falar como isso tudo aconteceu, acho que o mais correto seria eu me apresentar para você, afinal, por que você leria um texto de um cabra que você nunca ouviu falar? O manual de educação suplementar que a minha esposa me apresentou (e me obrigou a ler) depois de nos casarmos tem um capítulo inteiro dizendo que eu devo me apresentar para as pessoas antes de sair falando, por isso, aqui vai. Me chamo Eduardo, sou carioca, publicitário, gosto de japonês e choro toda vez que tenho que pagar a conta do restaurante. Além disso eu venho escrevendo faz alguns anos sobre relacionamento, casamento, vida a dois e, a partir de agora, paternidade. Você pode ler mais sobre o que penso nos meus canais nas redes sociais (procure por @noivoterapia ou @papaiterapia) ou comprando o meu livro (Como realizar o casamento dos seus sonhos) em alguma livraria desse Brasil.

Seu objetivo é conquistar todos os territórios (que te sobrarem).

Bom agora que já estamos devidamente apresentados, vamos voltar ao assunto principal: vou ser pai! Como tinha falado, agora tudo é no plural.

Até depois do casamento, eu e minha esposa guardávamos uma distância segura entre o que era nosso, como nossa casa, nosso cachorro, nossa cerveja de final de tarde, para o que era de cada um, como a ida semanal dela ao salão para fazer as unhas, e a minha cerveja de final de tarde.

Essa individualidade era, e é, fundamental para a manutenção da paz em nosso pequeno pedaço de terra, que usualmente chamamos de casa.

Para que você entenda melhor, vou tentar colocar em um cenário mais próximo da sua realidade: era mais ou menos como se tivéssemos um continente de “WAR” à nossa disposição, e cada um colocava os seus exércitos onde era mais conveniente.

Assim como no jogo, as vezes temos objetivos que se completam, e por isso nos juntávamos para conquistá-los (quando por exemplo nos juntamos para acabar com um amigo no jogo, só pela piada), e as vezes temos objetivos conflitantes, onde: ou um deixa o outro seguir e sair vencedor, ou então o nome do jogo (guerra) começa a fazer um certo sentido, e aí meu amigo, sai da frente que nem Vladivostok se salva.

Depois da grande notícia das nossas vidas, eu meio que senti que tudo virou minha responsabilidade. E que agora a vida não é mais minha, a vida é nossa. E quando digo tudo, não se impressione, é tudo mesmo.

O fato de me sentir responsável por um ser que até então só iria habitar, ao menos pelos próximos meses, o confortável conjugado que é a barriga da minha esposa, me fez ter uma breve crise de pânico.

Por mais que sejamos planejados, e que tenhamos nos preparado financeiramente para ter um filho, no fundo é mais que isso. Não é só o dinheiro, ainda que ele seja parte fundamental no assunto, a “responsa” é muito maior, meu caro.

Eu me liguei que agora a vida real tinha chegado de verdade, mas ela não tinha chegado de mansinho, ela chegou de voadora, mas não qualquer voadora, aquela voadora boladona que o nosso saudoso Liu Kang dava no Mortal Kombat, aquela meio que na pedalada, cheia de gritos e como se não houvesse amanhã.

Agora eu teria a responsabilidade de colocar em nosso mundo e educar um ser-humano que faça a diferença, tenha caráter e ao menos seja melhor do que esse monte de bossais que vemos por aí. Aí eu me perguntei: será que estou preparado pra isso? E me respondi: se não estou, vou estar!

Essa barriga também é sua meu camarada!

O ponto é esse meu amigo. A chegada de um filho, é a oportunidade de nos tornarmos pessoas melhores. E isso é a melhor coisa que tem. E é o que tenho feito. Tenho me envolvido em cada etapa dessa gravidez, tenho mostrado para a minha esposa que agora, mais do que nunca, nós somos uma família.

E que agora, o que era antes uma preocupação dela, agora é minha também e que pelo menos até o nascimento da nossa pequena (sim, já sabemos o sexo, mas mais em frente falamos sobre isso), ela não precisa se preocupar com nada, que por enquanto, pode colocar na minha conta, papai tem costas largas, e ele vai dar um jeito de resolver.

Essa gravidez foi o presente que esperávamos para nos tornarmos o que sempre sonhamos, o que nascemos para ser e o que está cravado em nosso DNA: sermos Pais.

Por isso meu parceiro, faça isso, viva a gravidez a dois.

É claro que você não vai sentir tantas coisas mudando quanto a sua digníssima, mas no fim das contas, você vai se sair bem e se tornar um ser-humano melhor.

E sobre todas as coisas que eram suas ou dela, agora tudo é de vocês dois, quer dizer: a cerveja do fim de tarde, essa, pelo menos durante a gravidez, você não vai ter que dividir, essa é só sua. Aproveite!

Dudu Teruszkin é publicitário, casado com a Marina e futuro papai da Maitê. Ele escreve cartas para a sua filha todos os dias, e você pode encontrar em @papaiterapia. 

A Infanti incentiva mães e pais a compartilharem suas histórias. As opiniões publicadas neste texto são pessoais e não necessariamente representam a visão da Infanti.

Источник: https://www.infanti.com.br/blog/vou-ser-pai-e-ai-o-que-eu-faco

10 segredos sobre ser pai: coisas que ninguém contou! – Revista Seleções

Vou ser pai ... e agora?

Assim como boa parte dos homens por aí, tudo começa com frases semelhantes a “estou grávida” ou “deu positivo”. As sensações e reações nos primeiros momentos após esta frase variam de pessoa para pessoa, mas algumas costumam ser compartilhadas por muitas, tais como:

  • o mundo ao redor fica em câmera lenta
  • partes diferentes do corpo são tomadas por euforias independentes e sem sincronismo
  • a voz não sai
  • a voz, quando sai, não emite som previamente conhecido
  • o choro sai igual a um riso
  • o riso sai igual a um choro
  • desmaiar parece inevitável

É bom frisar que estas constatações não possuem comprovação científica alguma. São situações verificadas no dia a dia na troca de experiência com outros pais. É possível incrementar a lista acima com tantos itens que daria pra criar um livro somente com estas sensações.

Quando você é pai de primeira viagem (como costumam chamar os novatos!), ainda não é neste momento que a ficha cai. Na verdade, você descobre que são várias fichas (ou a mesma que cai várias vezes, sei lá!). As fichas vão caindo quando…

  • você assiste à primeira ultrassonografia
  • os primeiros sapatinhos de crochê começam a chegar
  • começam os preparativos para o quartinho
  • chega o berço – quando essa ficha cai, tem pai que dorme ali dentro…
  • a obstetra avisa que já dá pra saber o sexo do bebê
  • você não sabe mais a posição do seu time no Brasileirão
  • a bolsa estoura – tem que ter estrutura pra se manter firme nessa hora!
  • você entra na sala de parto – as perninhas tremem como se você estivesse sentado num sorvete…
  • nasce o bebê!

Em todas estas fases – e em trocentas outras intermediárias – você se pegará falando para si mesmo, para amigos, familiares e/ou estranhos: “Cara, eu vou ser pai!”; claro, a frase varia de acordo com o seu estilo de linguagem, mas você pegou a ideia. Para alguns, a ficha só cai de verdade quando a criança está ali, pertinho, no colo.

Ser pai e seus segredos

fizkes/iStock

Chegou o momento tão esperado! Preparado? Claro que não, certo? Nunca estamos. Mas esta é a beleza em ser pai: cada momento possui grandes chances em se tornar uma experiência inesquecível.

#1 Você desenvolve sua habilidade em ser multitarefa (de verdade)

Nada te prepara para as funções multitarefas de ser pai.

 Se você acha desafiador participar de uma conferência no celular enquanto está numa minireunião presencial, respondendo a e-mails e revisando um documento que precisa ser fechado no mesmo dia… Experimente acalmar sua filhota no colo chorando de cólicas enquanto termina de preparar a mamadeira e, claro, mantendo a sanidade para conseguir cantar uma musiquinha bem relaxante.

Qualquer desafio profissional depois de experiências como esta vira uma moleza!

#2 Cada minutinho (minutinho mesmo!) de folga é precioso

Ninguém vai perder sua nuvem no céu por concordar comigo nesse ponto: quando se é pai, cada momento de folga é valiosíssimo.

Por mais que amemos nossos filhos acima de nós mesmos – essa frase é quase um trava-línguas, leia-a novamente bem rápido 4 vezes -, ser pai cansa (mãe também, mas o foco do post são os papais!).

E algo muito comum quando os miúdos dormem é aproveitarmos para dormir também.

Quando os filhos são bem pequenos, é normal achar que não teremos energia para andar ou abrir os olhos ao fim do dia. Quando são maiores, temos certeza que isso não será possível!

#3 Você não tem mais um cantinho pra chamar de (só) seu

A cadeira predileta do papai? O lugar preferido no sofá? Perdeu. O bife mais suculento da mesa? O pão francês mais formosinho? Já era. O seu lado da cama? Vou dar uma dica: se estiver vazio, deite. Não pense duas vezes.

Sabe aquela sua coisinha tecnológica que você guarda no bolso? Novo dono! Se tiver sorte, poderá escolher um ou outro aplicativo para manter no seu smartphone disputando espaço com os joguinhos infantis.

Mas, sorria! O banco da frente do carro no lado esquerdo continua sendo seu… por alguns anos. Depois você pula graciosamente pro carona (ou pro de trás).

Crianças são espaçosas. Parece que estão jogando War e o objetivo é conquistar 50 territórios. Porém, é muito importante que a criança tenha um espaço adequado as suas necessidades e que seja de acordo com a sua faixa etária.

#4 Acordar cedo é um hábito para todos os dias (sim, incluindo fins de semana e feriados)

Então, você ficou empurrando com o umbigo aquela recomendação médica de acordar cedo sempre ou curte ficar debaixo das cobertas até tarde? Danado, lembra-te: tu és pai; levanta-te!

Será preciso se adequar a novos horários e criar uma rotina mais saudável. Ter horários certos para acordar e dormir é importante tanto para a criança quanto para os adultos na casa.

É comum, infelizmente, vermos crianças estressadas que se irritam com qualquer coisa. Talvez seja “apenas” cansaço e isso pode ser resolvido facilmente levando a criança para dormir mais cedo ou criar o hábito de uma soneca à tarde.

#5 Você vira uma espécie de presidente de fã-clube da noite para o dia

g-stockstudio/iStock

Tudo que uma criança faz, por mais simples que seja, se transforma em algo excepcionalmente especial na cabeça do pai.

E “tudo” e “simples” devem ser levados ao pé da letra mesmo.

Uma risadinha, um olhar, uma balbuciada, um dedinho do pé na boca, uma coçadinha na orelha, um arrotinho sinfônico… Qualquer exemplo desses vira enredo para um vídeo com uns 5 minutinhos de duração.

Dica bônus: quando for mostrar as fotos e vídeos das novas peripécias dos pimpolhos, utilize a tabela abaixo de acordo com a audiência:

  • Família > até 20 fotos e 03 vídeos de até 02 minutos cada
  • Amigos > até 10 fotos e 02 vídeos de até 01 minuto cada
  • Colegas de trabalho > até 05 fotos e 01 vídeo de até 30 segundos
  • Desconhecidos > até 03 fotos que não mostrem onde vocês morem ou a criança estude, nem nada que possa despertar demais a curiosidade de estranhos – segurança em primeiro lugar!

É bom lembrar que somente os pais da criança notam as diferenças de quando são comparadas fotos de quando ela tinha 1 ano e 6 meses com fotos da época com apenas 1 ano, 5 meses e 27 dias. Não fique chateado se seus amigos e familiares não notarem. É uma questão de altíssima sensibilidade sensorial desenvolvida durante a paternidade.

#6 O mundo te olha diferente

Sair por aí com um bebê no colo ou de mãos dadas a uma criança é como usar um crachá escrito “eu sou pai, tenho poderes especiais, tratem-me com respeito e abram alas para passarmos”. Ok, tem gente que não lê o crachá e não te trata da forma especial merecida, mas a maioria tem uma postura muito solidária.

É possível enxergar comportamentos diferenciados por onde se passa seja no ônibus, no metrô, na portaria do prédio, shoppings, praia, enfim, em qualquer lugar público haverá uma alma boa de prontidão para ajudar de alguma forma.

Pode ser cedendo um lugar em alguma fila, te ajudando com as parafernalhas que precisam ser carregadas pra lá e pra cá, dando passagem nos corredores, se levantando para que você possa se sentar ou, apenas, fazendo aquelas caretinhas clássicas falando de forma miguxa pra distrair a criança.

E essa nova forma do mundo te olhar traz a certeza de que a necessidade de amadurecimento chegou a passos largos.

#7 As mulheres te olham diferente…

Bom, não vou me estender muito sobre isso porque posso arrumar problemas em casa e passar os próximos dias dormindo no sofá. Mas, apenas de curiosidade, perceba as sutis diferenças dos olhares femininos quando você se torna pai. Apenas de curiosidade, ok?

#8 A diferença entre você e um leão é apenas a juba

jacoblund/iStock

A partir do momento que um pitoco de gente especial entra na sua vida, você desenvolve um espírito protetor que até então estava adormecido. E esse instinto quase selvagem tende a aparecer já no primeiro dia.

Logo no primeiro banho você fica olhando a enfermeira de uma forma que ela possa notar que você era o pai daquela criança. Somente para ter certeza que tudo seria feito da forma mais carinhosa possível, mesmo que, para isso, tivesse que passar a mensagem “estou de olho e gravei sua cara” só com o olhar.

Outro momento clássico em que esse instinto protetor se aguça é no teste do pezinho. Aquele pé minúsculo recebendo uma agulha enorme (ok, não era tão enorme…) e o bebê se esgoelando… Esse foi um dia triste pra mim. A vontade foi de dar uns tabefes na enfermeira que estava apenas fazendo o trabalho mais do que necessário.

Dica bônus: se você tem estômago fraco, não entre na sala do teste do pezinho!

#9 Você atualiza o ranking de prioridades da sua vida

É muito comum ouvir por aí que “tudo muda depois que os filhos chegam” e isso é uma verdade. O segredo aqui é não encarar essa afirmação de forma negativa nem tratá-la como o fim do mundo. O ser humano é um dos bichos mais adaptáveis andando por aí. E um ser humano-pai é praticamente uma evolução da espécie, sendo ainda mais adaptável!

Com a chegada dos filhos, o segredo aqui é criar uma nova agenda adaptando ou mudando datas dos planos já existentes conciliando com os novos planos que serão criados.

O mais bacana disso tudo é que revisitar e mudar suas prioridades acontecerá naturalmente, aos poucos e conforme as novas fases de cada novo ciclo.

#10 Você se torna uma pessoa melhor

Simples assim. Não há o que evoluir sobre este segredo. Você evolui como pessoa e ponto.

Exercício prático de verificação deste segredo: a cada aniversário de seu filho ou de sua filha, olhe para trás e faça uma avaliação crítica e sincera sobre o que mudou em você. Pergunte aos familiares e aos mais chegados. Surpreenda-se!

E, de lambuja, todos a sua volta também ganham! É como diz nosso lema aqui na SeleçõesVocê melhor. O mundo melhor.“.

Источник: https://www.selecoes.com.br/humor/10-segredos-sobre-ser-pai/

Embarazo y niños
Deja una respuesta

;-) :| :x :twisted: :smile: :shock: :sad: :roll: :razz: :oops: :o :mrgreen: :lol: :idea: :grin: :evil: :cry: :cool: :arrow: :???: :?: :!: